TODOS OS TEXTOS DE Luiando Campiago

LUIANDO CAMPIAGO . . . O espelho abriu a boca e me engoliu. Como um gato com fome, um tanto mal-educado, completamente violento. Na hora eu não pensei em nada. O caso era esse: pelos meus crimes de falar mal de filmes ruins, fui condenado ao inferno, pelo meu povo, os Saporcos do planeta Porsapolândia. Eu morri, e vim para o inferno. Parece que aqui vocês chamam o lugar de Terra. Sabe-se lá por quê.