Crítica | A Arma de um Jedi – Uma Aventura de Luke Skywalker, por Jason Fry

estrelas 4

Série Literária: Jornada Para Star Wars: O Despertar da Força
Espaço:
Planeta Devaron — Vila e a Floresta de Tikaroo / Templo de Eedit.
Tempo: 2 d.BY, mais precisamente entre Uma Nova Esperança (Episódio IV) e O Império Contra-Ataca (Episódio V).

Escrito por Jason Fry e com ilustrações de Phil Noto, A Arma de um Jedi é uma divertida aventura protagonizada por Luke Skywalker logo após a destruição da Estrela da Morte e a fama de bom piloto e ‘protegido da Força’ que ele passou a ter a partir de então. O livro aproveita a oportunidade para desenvolver um pouco a personalidade de Skywalker antes de o vermos já bastante avençado — porém com treinamento a ser completado — no uso do Sabre de Luz e no controle da Força em O Império Contra-Ataca. Expande-se também o relacionamento entre ele e R2-D2 e C-3PO, que o acompanham nessa jornada.

A trama começa com uma narrativa de trabalho em andamento, em um presente difícil de localizar. A pilota Jessika Pava está fazendo um serviço que não aprecia muito e encontra-se com C-3PO, como quem trava conversa e cuja história narrada se torna o verdadeiro assunto do livro. Esta narrativa maior, porém, não é em primeira pessoa, apesar de sabermos tratar-se de um relato do androide de protocolo à senhorita Pava, ou Azul Três, como ela provocativamente se apresentou no início.

Partindo de elementos familiares ao público de Star Wars, a história vai elencando cenas do princípio de treinamento de Luke ainda em Uma Nova Esperança, unindo aí suas reflexões sobre as mudanças que a Força trouxe para sua vida e como ela o confunde e o amedronta. Creio que até para espectadores que não gostam muito do personagem este livro é uma oportunidade de ter diante de si um novo olhar para ele, pois apenas acompanhado de seus amigos de metal e em uma missão para a Aliança Rebelde que de repente se torna em uma jornada para atender a um estranho chamado da Força no planeta Devaron, o jovem piloto e padawan revela muito de si, desde características de personalidade algumas vezes confusas nos filmes até a forma como ele se integra às novas situações, demonstrando uma grande capacidade de adaptação e abertura para o novo, a despeito da propensão à ira que parece ser algo de berço.

Foi amplamente divulgado que este volume e os outros da série literária Jornada Para Star Wars: O Despertar da Força traria informações preciosas sobre o Episódio VII, e isso pode ser comprovado na obra desde pequenas indicações da fauna e flora de Devaron (os happabores são um exemplo disso) até a apresentação do personagem Sarco Plank, cuja construção e exploração é um dos grandes mistérios e uma das grandes “surpresas esperadas” do livro. Aliás, a linha de suspense que o texto de Jason Fry nos traz ajuda a manter a atenção durante toda a obra, porque não existe um único momento sem algo importante acontecendo e a capacidade do autor em descrever de maneira objetiva, porém precisa, os cenários visitados, as ações dos personagens e sua aparência emotiva dá uma louvável amplitude visual à prosa, fazendo-nos imaginar que estamos em uma continuação ou extensão dos filmes da saga.

The_Weapon_of_a_Jedi_ A Arma de um Jedi_ Uma aventura de Luke SkywalkerPor se tratar de uma obra juvenil, é claro que o leitor deve esperar um momento de “fofuchismo” no meio da narrativa que destoa conceitualmente da história, mas o fato de acontecer com uma personagem agradável e essa presença ser reduzida a uma ponte e uma sequência textual, não podemos dizer que há aí um empecilho absurdamente grande para destruir a qualidade do livro. Isso não isenta o autor da inclusão de um elemento “alheio” à atmosfera, mas também não é possível condená-lo pelo já dito caminho esperado no qual a obra se encaixa e pela forma afetiva com que esse ponto do livro é trabalhado.

A Arma de um Jedi nos apresenta a um capítulo angular na vida de Luke Skywalker e traz a narração de um ato bastante importante para um Jedi ou para um aprendiz de Jedi. Com humor na medida certa envolvendo R2-D2 e C-3PO (apenas tropeçando na sub-utilização dos dróides no miolo da aventura) e obedecendo a linha cronista adotada desde o início, Jason Fry ainda consegue encerrar o livro nos tirando algumas boas gargalhadas e trazendo-nos ainda mais perguntas, parte delas provavelmente a ser respondidas em O Despertar da Força e a outra parte a ser colocada como uma porta aberta para outras obras do Universo Expandido de Star Wars.

A Arma de um Jedi: Uma Aventura de Luke Skywalker (Jornada Para Star Wars: O Despertar da Força)
Título original: The Weapon of a Jedi: A Luke Skywalker Adventure (Star Wars: Journey to the Force Awakens).
Lançamento no Brasil: 16 de outubro de 2015
Autor: Jason Fry
Ilustrações: Phil Noto
Tradução: Álvaro Hattnher
Editora: Seguinte (Cia das Letras)
200 páginas

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.