Crítica | À Procura do Amor

estrelas 4

Confesso ter sido atraído por À Procura do Amor por este contar em seu elenco James Gandolfini – como um fã de Família Soprano eu não poderia deixar de ver a última atuação do eterno Tony Soprano na tela grande. Sem falar em Julia Louis-Dreyfus que nos marcou eternamente com Elaine em Seinfeld.

Em questão de trama, o filme não foge do lugar comum das comédias dramáticas. Trata de uma massagista divorciada, Eva (Julia Louis-Dreyfus), com a filha prestes a se mudar para a faculdade. Em uma festa, Eva conhece Albert (James Gandolfini), também divorciado com uma filha indo para a universidade. A atração dela por ele não ocorre de imediato, mas mesmo assim ela aceita sair com o homem. Na mesma festa, Eva conhece Marianne (Catherine Keener), uma poetisa que vive a vida mais naturalmente e que logo se torna sua cliente e amiga.

O longa-metragem se desenvolve a partir da relação entre Eva e esses dois personagens. A química entre ela e Albert é construída de maneira muito natural e convincente e ainda mais amplificada pela ótima atuação dos dois. O roteiro do filme, mesmo que tenha sua dose do previsível (difícil fugir disso em comédias românticas hoje em dia), entretém do início ao fim. A história é bem contada e não deixa a desejar em nenhum ponto.

Na fotografia e montagem o filme poderia ser mais ousado. A tradicionalidade desses dois acabam afetando negativamente a dinâmica do filme. Felizmente o ritmo é constantemente retomado nas cenas nas quais contamos com a presença de Gandolfini.

O humor do longa é muito bem construído, não pecando pelo exagero. Não espere rir até cair da cadeira; essa é uma comédia mais leve e inteiramente intercalada com o drama. O que devo colocar em destaque é a reflexão provocada pelo filme acerca dos relacionamentos e da opinião alheia. Em uma era onde as informações pessoais estão a um clique de distância, é bom sermos lembrados que não se deve julgar alguém pelo que falam dela e sim pela nossa própria experiência.

À Procura do Amor fecha com chave de ouro a carreira de James Gandolfini, nos oferecendo uma comédia dramática mais tranquila e bastante reflexiva com ótimas atuações e roteiro. Veio em um momento oportuno da era digital e, embora todos os personagens estejam na meia-idade, pode e deve ser aproveitado por adolescentes e adultos.

À Procura do Amor (Enough Said, EUA – 2013)
Direção: Nicole Holofcener
Roteiro: Nicole Holofcener
Elenco: James Gandolfini, Julia Louis-Dreyfus, Catherine Keener, Toni Collette, Ben Falcone
Duração: 93 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.