Crítica | A Vida Marinha com Steve Zissou

estrelas 4,5

Inesperado. Essa, possivelmente, é a característica que melhor define o que é A Vida Marinha com Steve Zissou. É, sobretudo, uma aventura que começa com um propósito e nos leva por águas totalmente desconhecidas e por mais que o personagem principal seja estranhamente familiar, o filme consegue ser uma constante quebra de expectativas.

Começamos em um teatro italiano onde será exibido o novo filme do documentarista Steve Zissou (Bill Murray). Após uma leve introdução por parte do apresentador começamos a assistir essa obra fictícia. O tema: exploração marinha que acaba levando à morte de um dos integrantes da viagem e melhor amigo de Steve. Ao termino da première do filme, um fracasso completo, Zissou revela suas intenções de buscar o tubarão mítico que matou seu amigo e se vingar, terminando, assim, a continuação da obra que acabará de apresentar. O ceticismo é geral, mas isso não impede a viagem de acontecer. Neste ponto a aventura começa.

Logo, porém, diferentes empecilhos e elementos não planejados vão se inserindo na trama, gerando sucessivas situações inacreditáveis. Wes Anderson consegue, assim, construir a sutil comédia de seu filme, quase que inteiramente galgada nas brilhantes atuações de seu elenco e, é claro, na quebra de expectativa. Bill Murray, à primeira vista nos entrega um personagem incrivelmente semelhante a Herman Blume, de Três é Demais (Rushmore). São, contudo, as nuances de sua personalidade, suas reações explosivas e muitas vezes fora do senso comum, que acabam tornando Steve Zissou uma figura única. O protagonista, porém, ganha sua força plena através das ótimas interações com sua tripulação – desde seu suposto filho, Ned Plimpton (Owen Wilson) e seu caso amoroso Jane (Cate Blanchett) até um de seus devotos tripulantes Klaus Daimler (vivido brilhantemente por Willem Dafoe).

Ainda assim não é somente a retratação de cada um desses personagens que garante a força da obra. A Vida Marinha com Steve Zissou é notável também pelas mudanças ocorridas seja no interior quanto no exterior de cada uma dessas figuras. Há uma clara evolução desses tripulantes ao longo da trama o que garante ainda mais doses de inesperado dentro do longa-metragem. Essa progressão por parte do roteiro, aliada à ótima montagem e edição de David Moritz provoca uma distinta sensação de passagem de tempo – aquela realmente foi uma longa viagem para todos. Os diversos letreiros amarelos que destacam os momentos dramáticos do filme resultam em uma sensação de documentário datado e certamente contribuem para o tom irônico do filme. Essa viagem ainda, constantemente, é ilustrada pela música de Seu Jorge, que adapta diversas canções internacionais para o português, como Life on Mars (David Bowie), além de representar um personagem dentro do filme que garante diegese à parte da trilha sonora.

Essa jornada, porém, não é totalmente ausente de problemas, ao ponto que o filme conta com alguns problemas de ritmo que, por vezes, acabam por torná-lo mais lento. Essas poucas ocorrências, contudo, são disfarçadas pela fotografia de Robert Yeoman, que mais uma vez consegue nos prender em momentos contemplativos em planos que raramente são estáticos e sim contam com uma precisa movimentação por menor que ela seja. Seu trabalho em conjunto com a direção de Anderson nos proporciona, por exemplo, um notável plano sequência em meados do filme que acompanha Steve subindo pelas diversas escadas de seu navio em meio a diálogos e uma mise-en-scène marcante. Importante ressaltar, também, que os enquadramentos de Yeoman são essenciais para o tom de comédia da obra.

A Vida Marinha com Steve Zissou é, sem dúvidas, um longa fora do comum, trazendo um entretenimento garantido e risadas sinceras provocadas pelas situações inacreditáveis que o Team Zissou passa ao longo de sua jornada. É uma quebra de expectativas tanto para nos espectadores quanto para os próprios personagens dentro do filme, que torna está uma aventura imperdível e fantástica no sentido literal da palavra.

A Vida Marinha com Steve Zissou (The Life Aquatic with Steve Zissou, EUA – 2004)
Direção: Wes Anderson
Roteiro: Wes Anderson, Noah Baumbach
Elenco: Bill Murray, Owen Wilson, Anjelica Huston, Cate Blanchett, Willem Dafoe, Jeff Goldblum, Michael Gambon, Noah Taylor, Bud Cort, Seu Jorge, Robyn Cohen, Waris Ahluwalia.
Duração: 119 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.