Crítica | Além da Muralha, de James Lowder

estrelas 4

Vivenciar o fenômeno das Crônicas de Gelo e Fogo é uma possibilidade incrível de se abrir para as mais diversas vertentes que utilizam a obra de Martin como base para inúmeros tipos de pesquisa. De conversas de bar a aulas universitárias, Westeros felizmente se tornou uma segunda casa para muita gente. E digo felizmente com convicção, pois se trata de uma obra que suscita densas e amplas discussões, muitas delas compiladas nos ensaios presentes em Além da Muralha, coleção que trata de temas variados tendo como alicerce as personagens de Game Of Thrones.

O primeiro ponto a ser ressaltado é o fato que James Lowder, organizador do livro, parece tentar abordar o maior espectro de questões possíveis, não se limitando à série de livros ou à série da HBO. Algo bem-vindo e já realizado na edição deste autor em outras obras pop, relacionadas inclusive à The Walking Dead e X-Men. Além da Muralha abrange desde o psicológico de Theon Greyjoy até os caminhos tortuosos para adaptar a obra original para os quadrinhos. É uma coletânea para todos os gostos.

O problema central reside exatamente aí. O preço relativamente baixo não faz disso um dilema prático. Certamente, porém, até pela diferença do tipo de escrita em cada ensaio, não se trata de uma coletânea uniforme e isso pode gerar um certo cansaço no leitor ao gostar demais de um texto e pular para outro demasiadamente desinteressante. Em termos gerais, dos catorze textos, mais da metade agrada muito, por tratar do conteúdo da obra relacionando-o com questões psicológicas e éticas. Mas se você prefere uma questão mais literária, nada como analisar o romantismo em Westeros com Linda Antonsson e Elio Garcia, os mesmos autores do Mundo de Gelo e Fogo, enciclopédia de Westeros lançada em co-autoria com George Martin. Talvez analisar poder e feminismo façam seus olhos brilhar. Não se preocupe, pois há espaço para as fortes personagens femininas de Martin serem analisadas em um contexto histórico. E tem até ensaio que analisa os livros na era dos ebooks!

Não se pode reclamar, nesse sentido, do desconhecimento da obra por cada escritor, já que as referências são abundantes. De Dom Quixote às revistas pulp, de Dostoievski aos quadrinhos de Stan Lee, mais de um ensaio trata da questão levantada com cuidadosa pesquisa e comparações férteis entre personagens e cenários históricos e literários. Em Além do Gueto, Ned Vizzini determina: “A literatura mítica se preocupa com reis e semideuses, a literatura do Iluminismo se concentra na nobreza, e a literatura moderna traz as histórias para a rua”. Seu texto – um dos melhores da coletânea – contribui ferozmente com uma queda de preconceito em relação ao gênero de fantasia, suscitando o cinismo de Tyrion como exemplo de uma quebra do maniqueísmo do gênero, com o fim de situar a obra de Martin além de um “Senhor dos Anéis” americano, selo comumente dado ao autor. Tudo com muito bom humor, lembrando até vícios em jogos de RPG que Martin teve nos anos 80 e os comparando com seu próprio vício em Magic: The Gathering.

Do ceticismo científico dos meistres ao jogo de cena que Martin utiliza seguindo o que dizia o escritor russo Anton Tchékhov – Não se deve colocar um rifle carregado no palco se ninguém estiver pensando em atirar com eleAlém da Muralha consegue trazer ambiguidades morais, questões religiosas, figuras políticas e até transtorno do estresse pós-traumático de Arya Stark – este último no meu texto favorito – sem parecer maçante nem pedante. Em comparação com outra obra, que relaciona a guerra dos tronos especificamente com a filosofia, a coletânea consegue ser mais abrangente, acessível e leve, ainda que dando boas pontas de profundidade para provocar a reflexão no leitor. Peca, talvez, pelo tamanho pequeno da maioria de seus textos e por não se conter em uma uniformidade que pudesse dar mais subsídio ao seu leitor.

Em suma, James Lowder conseguiu fazer uma homenagem ao gênero de fantasia e destacar sua importância cada vez maior conforme obras como a de Martin ganham notoriedade. A fama não veio à toa e cada autor deste livro de ensaios entende as diversas arestas que fizeram do jogo dos tronos um tema caríssimo e revolucionário quando se popularizou em anos recentes. Ler Além da Muralha é como conversar com verdadeiros aficionados, destes que são tão apaixonados que conseguem trazer uma luz nova para velhos debates, assim como Martin ama descontruir estereótipos e tirar o chão dos nossos pés.

Além da Muralha: explorando o universo de As Crônicas de gelo e fogo, de George R. R. Martin – EUA, 2015
Organização:
James Lowder
Editora no Brasil: Editora Leya
Tradução: Marcia Blasques
Páginas: 240

ANTHONIO DELBON . . Ressentido como Vegeta, não suporto a beleza nos outros. Escondo minhas taras em falsas profundidades e não titubeio em dizer um taxativo não aos convites para experimentar os gostos do mundo. O mundo tem gostos demais, livros demais, críticas demais. Escrevo porque preciso – viver, não sobreviver - e viajo fluidamente sem sair do lugar. Na madrugada, nada melhor do que a guitarra de Page ou a voz de Yorke para lembrar da contingência do pó, ainda que nossa tragicômica vida mereça ser mantida, seja por distração ou por vício, como diria Cioran.