Crítica | American Gods – 1X05: Lemon Scented You

estrelas 5,0
Contém spoilers do episódio. Por favor, evite entregar detalhes do livro nos comentários.

Quando se trata de obras de fantasia e/ou ficção científica na qual o protagonista é lentamente introduzido a elementos, até então, desconhecidos por ele, é bastante comum que tal personagem se veja na posição de completa confusão, se perguntando constantemente o que raios (poupando o “francês” aqui) está acontecendo. Quando o público alvo dessas obras é o adulto, então essa pergunta, muitas vezes, acaba passando para o próprio leitor/ espectador. Esse é o caso de Lemon Scented You, episódio que marca a segunda metade da temporada inaugural de American Gods e que nos joga de cabeça em uma loucura até ainda não vista na série, por incrível que pareça.

Continuamos de onde fomos deixados nos finais dos dois capítulos anteriores. Shadow Moon se depara com sua esposa morta-viva e, desde já, o roteiro de David Graziano começa a pintar seu humor negro na narrativa. Ele não questiona sobre o retorno dos mortos da mulher e sim vai logo para a questão de sua traição com seu melhor amigo. Considerando todas as coisas que Moon presenciara até então, é apenas natural que ele não se espantaria (tanto) com essa sobrevida de Laura – apesar disso, durante toda a interação existe aquela dúvida: ele não se importa com a resposta sobrenatural ou simplesmente está a evitando? Natural que, eventualmente, a volta da esposa entre em pauta, mesmo com a atitude “fuck it” do protagonista.

Essa, porém, é a menor das loucuras de Lemon Scented You, que abraça por completo o lado mais surrealista da série ao retratar mais abertamente os novos deuses contra os quais Odin, agora explicitamente revelado, pretende entrar em guerra. O auge, claro, é Media (Gillian Anderson), que se caracteriza através de ícones do mundo pop, desde David Bowie/ Ziggy Stardust (com o visual do clipe de Life On Mars), até Marilyn Monroe. O roteiro de Graziano consegue ser ainda mais açucarado através dos diálogos, que utiliza alguns versos das canções de Bowie – beating up the wrong guy e there’s a starman waiting in the sky são trechos bastante claros disso – e, claro, segmentos dos próprios filmes de Monroe. Essa composição se faz completa através da própria interpretação de Anderson, que oscila entre personalidades, correspondendo ao ícone o qual interpreta no momento.

Mr. World, da mesma forma, se apresenta como uma figura calma, que controla absolutamente tudo ao seu redor e Crispin Glover, no papel, nos dá a entender que, a qualquer momento, ele pode perder o controle – como cujos domínios estão ameaçados. Contrapondo a essas figuras, temos o old school Mr. Wednesday, um perfeito contraponto a todo esse visual espalhafatoso, através de suas roupas sóbrias e o próprio rosto mais envelhecido de Ian McShane. Novamente o ator não cansa de roubar a atenção, mostrando, em seu silêncio, o poder de seu personagem, ainda que ele esteja à mercê daquelas novas divindades ao seu redor.

É importante notar como essa interação torna mais crível aquilo que Wednesday busca combater, mostrando toda a ameaça que eles representam, algo deixado bem claro pelo massacre na delegacia. Evidente que isso funciona como algo a mais para motivar o protagonista, como se já não bastasse tudo o que ele vira até aqui. Aos poucos sua realidade vai sendo desconstruída (literalmente, como vemos na sequência no interrogatório), ao passo que aquele homem, que não acreditava em nada, vai deixando de existir.

Não podemos esquecer, também, da cena inicial, em animação, que lida com um dos pontos mais trabalhados no seriado até então: a morte dos deuses. Acima de tudo, ela funciona para nos mostrar como a divindade, a partir do momento que cai no esquecimento, deixa de existir, dialogando com a missão de Wednesday, que, aparentemente, busca evitar justamente isso.

Lemon Scented You é um dos episódios de American Gods que mais movimentam sua trama principal, deixando bem claro o que está em jogo e quais os antagonistas da série. Assim como Shadow, somos jogados em uma espiral de loucura, com esse estranho universo se desvelando diante de nossos olhos. A loucura da série, enfim, se revela em todo o seu surrealismo e não havia hora melhor para isso acontecer do que no meio da temporada. A batalha entre os deuses novos e os antigos ganha forma, enquanto que todo o resto parece se desfazer, com o mundo humano se fazendo tão insignificante quanto os policiais que claramente morderam mais do que poderiam mastigar.

American Gods – 1X05: Lemon Scented You — EUA, 28 de maio de 2017
Showrunner:
Bryan Fuller, Michael Green
Direção:
Vincenzo Natali
Roteiro:
David Graziano
Elenco:
Ricky Whittle, Emily Browning, Ian McShane, Yetide Badaki, Gillian Anderson, Cloris Leachman, Orlando Jones, Peter Stormare, Mousa Kraish, Martha Kelly, Pablo Schreiber, Erika Kaar, Chris Obi,  Omid Abtahi,  Mousa Kraish, Crispin Glover
Duração:
60 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.