Crítica | American Horror Story – 7X03: Neighbors from Hell

– Contém spoilers do episódio. Leiam, aqui, as nossas outras críticas da série.

Os dois primeiros episódios dessa sétima temporada de American Horror Story foram bem utilizados para construir as fobias e sentimento de insegurança da protagonista, Alyy (Sarah Paulson). O clima de instabilidade na vizinhança, surgido após a vitória de Trump, que já havia aumentado em razão da morte dos Chang, alcança um novo nível nesse capítulo, Neighbors from Hell, que lida, principalmente, com a paranoia, enquanto que uma espécie de revolução começa a ser apresentada, isso, porém, não esconde alguns dos deslizes do roteiro de James Wong.

Após um breve prólogo, que nos mostra um casal sendo atacado pela gangue de palhaços, voltamos para o ponto no qual fomos deixados na semana anterior. Ally acabou de matar um de seus funcionários, por acidente, e a polícia considerou sua ação como defesa pessoal. Esse fator acaba provocando a ira de certos grupos, que manifestam-se em frente ao restaurante do casal, reivindicando justiça pela morte da vítima. Nesse momento, Kai Anderson (Evan Peters) diz que irá ajudar Ally, afastando tais manifestantes. Não muito tempo depois, durante a noite, um suspeito caminhão começa a passar na rua da protagonista e sua esposa, liberando um produto químico que mata todos os pássaros da região, tudo enquanto é criada uma forte tensão entre as duas e os seus vizinhos.

Neighbors from Hell mantém a linha narrativa de que ninguém está a salvo, mesmo dentro da própria casa. Suspeitando de tudo e todos, Ally acaba passando suas paranoias para o espectador, ao passo que somos mostrados alguns detalhes que nos fazem desconfiar dos vizinhos, do psiquiatra e até da própria Ivy (Alison Pill), que continua a não acreditar em sua mulher. Esse ponto acaba gerando uma certa repetitividade no episódio, visto que o ceticismo em relação a Ally já foi mais que explorado nos capítulos anteriores e agora estende-se para o policial encarregado dos homicídios locais. Claro que isso é feito no intuito de isolar a protagonista dos outros, mas cria-se a sensação de que estamos vendo a mesma coisa repetidas vezes.

Já o lado de Kai, que ganhou breves focos durante esses três episódios, parece dar indícios da formação de uma espécie de culto, o que justificaria o subtítulo da temporada. O personagem promete uma revolução e, pelo que vimos quando ele afasta o grupo de manifestantes, ele parece contar com uma certa influência na vizinhança. Isso, claro, pode significar que ele é o líder do bando de palhaços que anda aterrorizando o local, mas seria um tanto óbvio seguir por esse caminho, da mesma forma que seria se o psiquiatra ser revelado como parte integrante da gangue, já que o plano dele ajeitando os bottoms em sua mesa soou um tanto quanto artificial em termos narrativos, revelando demais de forma anticlimática. Mas, claro, isso pode ter sido feito apenas para aumentar nossa paranoia.

O que é totalmente inexplicado é o fato de Ally e Ivy continuarem com a babá depois de todas as suas ações e, claro, o fato dela não parecer uma pessoa exatamente normal. É pedido muito da suspensão de descrença do espectador, que deve simplesmente aceitar que as duas não consideram nem um pouco suspeito o jeito de ser de Winter (Billie Lourd), especialmente levando em conta toda a paranoia de Ally. A mesma artificialidade estende-se para o comportamento dos vizinhos, que parecem forçados demais quando começam a atazanar a vida da protagonista, especialmente pela presença dos sombreros. Esse conflito entre os vizinhos ainda nos distancia mais do ataque dos palhaços, como se fosse um filler a fim de atrasar a revelação de quem está por trás disso tudo.

Dito isso, Neighbors from Hell chega a desenvolver alguns pontos da história principal dessa temporada, mas o faz cometendo nítidos deslizes no meio do percurso. Essa progressão, no entanto, parece muito pequena, fazendo-nos sentir como se esse capítulo tivesse apenas feito chover no molhado, ainda que algumas informações importantes tenham sido oferecidas. Claro que ainda estamos no início desse sétimo ano, mas alguma revelação já seria bem-vinda a esse ponto.

American Horror Story – 7X03: Neighbors from Hell — EUA, 19 de setembro de 2017
Showrunner: Ryan Murphy, Brad Falchuk
Direção: Gwyneth Horder-Payton
Roteiro: James Wong
Elenco: Sarah Paulson, Evan Peters, Cheyenne Jackson, Billie Lourd,  Alison Pill,  John Carroll Lynch, Billy Eichner, Leslie Grossman, Cooper Dodson, Jorge-Luis Pallo, Zack Ward,  Adina Porter
Duração: 44 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.