Crítica | Arquivo X – 10X06: My Struggle II

estrelas 5,0

Obs: Há spoilers. As críticas da “série completa” e dos dois longas-metragens podem ser lidas aqui.

Na sua última temporada, lá em 2002, o episódio The Truth trazia todas as respostas que os fãs de Arquivo X esperaram durante tantos anos. A série acabou, um filme veio seis anos depois, e algumas respostas ainda ficaram em aberto ao longo desses anos.

Quando Chris Carter, criador da série, anunciou que sim, Arquivo X voltaria para uma décima temporada a esperança se renovou e pensamos que, enfim, teríamos um final à altura da série, com todas as respostas que tínhamos direito e até um pouco mais. 2016 começou e com ele a nova temporada da série. Foram ao todo seis episódios que trouxeram de volta memórias de um tempo tão bom, enlouqueceu os fãs e nos deixou ainda mais cheios de perguntas.

A season finale que estreou essa semana não foi diferente de tudo isso. Apesar de ter sido um episódio intenso, cheio de ação e diálogos explicativos, deixou todos os fãs com aquela sensação “WTF?” no final? Mas vamos a trama desse último episódio. Os acontecimentos se passam algumas semanas após o primeiro episódio da série com uma recapitulação de toda a história de Dana Scully desde a sua entrada nos Arquivos X, passando pela sua abdução, o nascimento e a sua saída do FBI. Lá em 2002, no último episódio de Arquivo X, o Canceroso alerta Mulder que em breve uma invasão alienígena destruiria a raça humana e apenas alguns escolhidos seriam poupados. Pois é sobre esse fato que se trata o final dessa décima temporada. Desde 2012 pessoas estão morrendo em decorrência de um vírus alienígena e agora chegou a hora de concluir o plano. Scully está protegida por causa de seu DNA alienígena, que ela já havia descoberto no início dessa temporada. Mas e o resto das pessoas? Quem mais estaria a salvo dessa tragédia? Mulder, William, onde quer que ele esteja?

Em busca de uma cura, Scully trata de convencer a recém chegada a série Agente Einstein, que é uma espécie de Dana mais jovem, a produzir uma vacina a partir do seu DNA. O problema é que a jovem agente se questiona sobre todas essas novidades e custa a entender que nem tudo pode ser explicado pela ciência. Ao mesmo tempo, Mulder tem um encontro frente a frente com o Canceroso, que parece mesmo estar por trás de toda essa conspiração. O diálogo entre os dois, analisando a raça humana e o motivo de sua extinção, é um dos melhores dessa e de muitas temporadas passadas.

Falando em temporadas passadas, Monica Reyes está de volta e com um segredo que vai deixar todo mundo com o queixo caído. Não vou revelar aqui pra não estragar a surpresa, mas digamos que Scully não pode confiar nem na pessoa que a ajudou a colocar seu filho no mundo. É, gente, não tá fácil pra ninguém. William, por sinal, é mais uma vez citado na trama e parece mesmo que muitas coisas ainda serão reveladas sobre o paradeiro do garoto se Chris Carter nos brindar com uma nova temporada. Por sinal, o criador de tudo isso dirige e roteiriza esse episódio.

O final é mesmo a cereja do bolo e tem tudo a ver com essa retomada da série. Não vou falar aqui como a cena final acontece, mas ela vai te irritar no início, mas depois, fará você perceber que era exatamente assim que ela merecia, e deveria terminar. Se tem gancho para uma 11ª temporada? Nossa, e como! Ficamos na torcida para que Carter e sua turma divulguem logo essa informação e não nos deixe roendo as unhas de tanta curiosidade. E apesar de ter sido curta, foi incrível rever as teorias, as loucuras, as crenças, as memórias, as pirações e a verdade que ainda estão com Mulder e Scully! E que venham mais e mais temporadas e episódios pois “A Verdade Está Lá Fora” e todos nós queremos saber como isso acaba!

Arquivo X – 10X06:  My Struggle II (EUA, 2016)
Criador e showrunner: Chris Carter
Direção: Chris Carter
Roteiro: Chris Carter
Elenco: David Duchovny, Gillian Anderson, Mitch Pileggi, Joel McHale, Lauren Ambrose, Robbie Amell, Annabeth Gish, William B. Davis
Duração: 44 min.

GISELE SANTOS . . Gaúcha de nascimento, mas que não curte bairrismos nem chimarrão! Me encantei pelo cinema ainda criança e a paixão só cresceu ao longo dos anos. O top 1 da vida é "Cidadão Kane", mas tenho uma dificuldade enorme de listar os melhores filmes da minha vida. De uns anos para cá, os filmes alternativos têm ganhado espaço neste coração que um dia já foi ocupado apenas por blockbusters pipoquentos.