Crítica | Avengers Assemble – 1X22: Guardians and Space Knights

estrelas 3

Avengers Assemble é a série animada que substituiu – indevidamente, diria – Vingadores: Os Heróis Mais Poderosos da Terra, que tinha a fantástica qualidade de ser surpreendentemente fiel aos mais famosos arcos dos quadrinhos clássicos e também modernos, além de ter uma arte muito boa para esse tipo de obra televisiva. Assemble, apesar de não ser oficialmente uma terceira temporada da série anterior, também não nega os fatos retratados antes, mas torna a equipe mais assemelhada à que figura no Universo Cinematográfico Marvel (UCM).

Dessa forma, pode-se dizer que a aparição dos Guardiões da Galáxia no 22º episódio da 1ª temporada de Avengers Assemble é, para todos os efeitos, a segunda vez que, nesse universo animado, os dois grupos se encontram (leia sobre a primeira vez, aqui). E isso fica evidente não só pelo reconhecimento expresso do grupo cósmico por parte do Capitão América no começo do episódio, como, também, a presença de Galactus como vilão já enfrentado pelos heróis da Terra. Pelo menos isso: a série nova cria uma certa continuidade e não joga no lixo a anterior, além de se passar explicitamente no mesmo universo de Ultimate Spider-Man, em uma espécie de Universo Animado Marvel (que não se relacionada, em continuidade, com o UCM).

Bem, feita essa introdução, os Guardiões que vemos em Guardians and Space Knights são exatamente os mesmos de Ultimate Spider-Man, com o Senhor das Estrelas usando uniforme que lembra a versão original, criada por Steve Englehart e Steve Gan em 1976.

Em termos de história, o título pode ser enganoso para os leitores Marvel mais tarimbados, pois há o uso da expressão Space Knights. Mas não tenham esperanças: os Cavaleiros Espaciais de Galador, liderados pelo saudoso Rom não aparecem. A menção a cavaleiros espaciais é mesmo para os Vingadores, mas que foi uma estranha escolha, ah isso foi.

Os Vingadores chegam à Terra vindo da Zona Negativa e se deparam com Galactus mais uma vez com fome e mais um vez montando sua máquina devoradora de mundos por sobre Nova Iorque. Os Vingadores tentam agir em conjunto, mas o arrogante Homem de Ferro sai na frente com algum plano que ele não se digna a contar à equipe e desaparece junto com Galactus. Os Vingadores vão atrás pelo hiperespaço apenas para chegarem a um distante planeta habitado pelos D’Bari, que estão sendo evacuados com a ajuda dos Guardiões da Galáxia. O problema é que Galactus foi para lá, pois o Homem de Ferro transformou-se em seu mais novo arauto.

Por um lado, apesar dos Vingadores não estarem entendendo nada, o Capitão acha, lá no fundo, que Stark tem um plano. Por outro lado, os Guardiões não querem saber de conversa e partem para cima do agora extremamente poderoso Homem de Ferro. A partir daí, as pancadarias entre os Guardiões e o “super-Homem de Ferro” e entre os Guardiões e os Vingadores remanescentes começam. A dinâmica de pares é estabelecida, com o Hulk lutando contra Groot, Falcão contra Rocket Raccoon, Senhor das Estrelas contra Capitão América, Drax contra Thor e Gamora contra Gavião Arqueiro. Tudo é muito rápido, mas respeitoso das características de cada um dos heróis, gerando eficientes diálogos e boas lutas.

O final não surpreenderá ninguém, mas até que faz sentido, ainda que exija que nós aceitemos que Galactus, mais uma vez, possa ser derrotado por meia dúzia de heróis. Mas faz parte do jogo. Afinal de contas, o Devorador de Mundos não pode almoçar a Terra, não é mesmo?

Em termos de arte, esse desenho deixa a desejar, com personagens mal acabados, com traços simples demais e ao mesmo tempo tentando ser realistas. Saem as “quase” caricaturas de Vingadores: Os Heróis Mais Poderosos da Terra e entra algo mais inacabado, simplista, corrido mesmo, com uma estranha mistura de computação gráfica que mais parece feita nos primórdios da técnica.

Trabalhando com uma ameaça verdadeiramente cósmica e respeitando duas grandes equipes, o episódio, apesar da arte falha, é uma boa diversão

Avengers Assemble – 1X22: Guardians and Space Knights (Idem, EUA)
Lançamento: 06 de abril de 2014
Direção:  Tim Eldred
Roteiro: Man of Action, Paul Giacoppo
Elenco (vozes): Laura Bailey, Troy Baker, Adrian Pasdar, Bumper Robinson, Roger Craig Smith, Fred Tatasciore, Travis Willingham
Duração: 23 min.

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.