Crítica | Batman Confidential: Você Entende os seus Direitos?

estrelas 4,5

Se deixarmos de lado o prólogo do arco Irresistible (da série Lendas do Cavaleiro das Trevas), cuja trama se desenvolveria seis meses depois, temos em Você Entende os seus Direitos? a última aventura de Batman em seu Ano Um como vigilante.

O arco faz parte da criativa série Batman Confidential e marca o segundo encontro do Morcego com o Coringa, evento imediatamente após O Homem Que Ri. Seguindo a linha violenta da série e aprofundando a personalidade do Coringa ainda em seu início de ações em Gotham, o roteirista Andrew Kreisberg cria uma trama cínica cheia de suspense, insanidade e humor negro, tornando a parte triste da história ainda mais difícil de ser digerida.

Como é de praxe para boa parte das aventuras com o Palhaço Demoníaco, um ambiente familiar é estruturado logo no início do texto e a destruição violenta desse ambiente vai servir para o desequilíbrio de alguém, nesse caso, um policial honesto. O roteiro prima por uma ação constante dividida entre julgamentos, prisões, perseguições e sequestro, cada uma dessas quebras com um significado especial dentro a história, nunca escrita ou desenhada apenas para chamar atenção ou e o leitor.

No decorrer dos acontecimentos, podemos analisar a postura psicopata do Coringa, além, é claro, de sua grandiosa esperteza. Embora isso já tivesse ficado claro em O Homem Que Ri, o roteiro de Você Entende os seus Direitos? vai mais a fundo, mostra a forma banal e sádica com que o vilão manipula as pessoas – inocentes ou culpadas – e o seu interesse zero em descobrir a identidade do Batman ou conhecer de verdade qualquer pessoa. Por ser um arguto observador, ele chega rapidamente a conclusões que podem ser mortais ou dar-lhe vantagem sobre qualquer um, como acontece várias vezes no decorrer do arco.

A diagramação de Scott McDaniel nos passa uma mensagem importante através da arte. Ele desenha o Coringa sempre em grande escala, ocupando um grande número de quadros e estendendo mãos e pernas pelos cenários de outros personagens, como se estivessem em todos os lugares ao mesmo tempo e pudesse tocar ou manipular tudo. Embora o desenhista deixe esse modelo de lado mais para o final, esses desenhos servem como um bom contexto inicial para o vilão e o roteiro dá sustentação a isso a cada novo capítulo, investindo em mortes bizarras e banais, delineando a já citada atmosfera cínica e de humor negro.

Como não podia deixar de ser, o término de You Understand These Rights? tem todos os motivos para ser chamado de clássico. Há um forte diálogo com o leitor, exploração de silêncio e a arte, a finalização dos quadros e as cores adotam um caráter simples mas de grande significado, fechando a contento tudo o que se havia levantado no decorrer da crônica e abrindo caminho para um novo confronto. Além disso, Kreisberg fecha o ciclo brincando com o próprio título da história, inserindo o Charada.

Com a presença desafiadora de Gordon, a ação de Harvey Dent como promotor e um enredo denso e bastante movimentado, chegamos ao final do Ano Um de Batman com a sensação de que o herói se metera em um ninho de víboras que o tornaria cada vez mais perturbado e cheio de culpa. Aliás, esse sentimento é algo muito presente no Ano Um, talvez porque o Morcego via pela primeira vez um grande número de mortes dentro de um contexto em que ele estava presente ou que deveria ter impedido. Embora a sempre sábia intervenção de Alfred sirva como pé no chão em meio a tanta adrenalina e emoção, tanto Bruce Wayne quanto Batman parecem se pôr à prova constantemente, querendo provar para eles mesmos (note que uso a dupla personalidade para definir uma única pessoa) que o que estavam fazendo era coisa certa.

Leia a continuação da história clicando aqui.

Batman Confidential #22 a 25  (EUA, dezembro de 2008 – março de 2009)
Arco: 
Você Entende os seus Direitos?
Editora:
DC Comics
Roteiro: Andrew Kreisberg
Arte: Scott McDaniel
Arte-final: Andy Owens
Cores: I.L.L.
25 páginas (cada número)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.