Crítica | Beijei Uma Garota

estrelas 4

“I kissed a girl and I like it/I kissed a girl just to try it/I hope my boyfriend don’t mind it” – Katy Perry

Incrível como a letra da canção da cantora pop Katy Perry se encaixa perfeitamente nas ações que permeiam o filme. Mas, de um modo inusitado e que caminha ao contrário.

Jeremy acorda nu ao lado de uma garota misteriosa. Não faz ideia de como foi parar ali e quer sair correndo, o que faz. Chega em casa desesperado, confuso e segue para o banho onde seu noivo Antoine decide participar. Agora, Jeremy não sabe se deve contar ou não para Antoine o que aconteceu, já que foi sua primeira vez com uma mulher. Porém, seu melhor amigo e sócio Charles o aconselha a procurar novamente a garota e ver se ainda sente algo e então, decidir o que deve fazer em seguida. A partir daí a vida de Jeremy vai virar de cabeça para baixo.

Beijei Uma Garota (Toute Première Fois no original) é uma comédia que segue o caminho contrário da descoberta sexual de um homem. Na verdade, o filme faz uma desconstrução não apenas dos esterótipos sexuais ao resetar a vida amorosa do personagem principal, como também do conceito familiar.

O personagem de Pio Marmaï, que sempre foi homossexual, é o orgulho dos pais que demonstram mais interesse no casamento do filho do que na gravidez da filha. O casal é enaltecido constantemente e a filha e o marido deixados de lado, sendo a pária da vez. Possivelmente tais posições estejam embebidas em ironia, tendo em vista que não é o que ocorre na maioria das famílias. Os pais de Jeremy deixam bem claro sua predileção pelo filho e o genro o que causa alguns momentos cômicos e constrangedores no decorrer do filme.

Ao colocar Jeremy na situação de estar com uma mulher pela primeira vez, o filme parece retroceder no momento em que, geralmente, um homem se descobre sexualmente ativo, e conduz o espectador ao longo desse caminho de dúvidas e incertezas, tal qual um adolescente passaria. Com a diferença de que Jeremy é adulto e sempre foi bem resolvido. Ou ao menos ele pensou que fosse e é aí que mora o trunfo de Beijei Uma Garota.

Marmaï tem um esmero para com o papel que garante ao personagem e ao enredo toda a credibilidade possível, além da atenção constante do espectador que dará gargalhadas com algumas situações peculiares e principalmente com o Charles e suas falas pervertidas e um tanto machistas. Ainda que o personagem possua falhas de caráter, que são modificadas no decorrer da trama, é o único que permanece ao lado do amigo, mesmo dando os piores conselhos e exemplos.

Beijei Uma Garota de Maxime Govare e Noémie Saglio não é apenas engraçado como também bastante inteligente. A maneira como o tema é abordado e totalmente desconstruído, de forma leve e divertida, faz com que tópicos a princípio sérios e dramáticos, possam ser compreendidos a partir de outra perspectiva, além de continuar mantendo a sutileza da trama.

Beijei Uma Garota (Toute Première Fois – FRA 2015)
Direção: Maxime Govare, Noémie Saglio
Roteiro: Maxime Govare, Noémie Saglio
Elenco: Pio Marmaï, Franck Gastambide, Adrianna Gradziel, Lannick Gautry, Camille Cottin, Frédéric Pierrot, Isabelle Candelier, Nicole Ferroni, Etienne Guiraud, Sébastien Castro, Diane Tell, Emilie Arthapignet, Julie Cazarre, Hubert Saint-Macary, Léonard Prain
Duração: 98 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.