Crítica | Believe 1X04: Defection

estrelas 2,5
Infelizmente, Bo e Tate continuam presos em Nova Iorque sem conseguirem sair para outro estado, pois o cerco da polícia fechou ainda mais. O amber alert emitido pelo FBI passou para o amarelo, o que significa que dobrou o número de chamadas na televisão e até nos jornais, e agora, todos na cidade sabe quem eles são.

Milton diz que não pode ficar com eles por muito tempo e após guiá-los para fora do metrô (como encerrou o episódio anterior) até outro esconderijo, afirma que em breve conseguirá uma forma de tirá-los da cidade. Sozinhos numa casa em construção, Bo pergunta a Tate sobre o motivo de ele ter sido preso e ele afirma ser inocente, no que a menina diz acreditar. Muito cansado, sem dormir há mais de 24 horas, ele acaba cochilando no chão mesmo e Bo vai passear pela casa e acaba avistando uma borboleta azul (similar ao pingente que sua mãe usava no outro episódio, logo podemos deduzir que é ela desde o princípio) do lado de fora e decide segui-la até o quintal. A borboleta para no muro de tijolos e depois some. A menina tenta tirar o tijolo com as mãos, mas não consegue e então o move com seus poderes, encontrando uma carta escondida. Ela abre o envelope, lê o que está escrito e encontra também um anel de noivado. Segundos depois, Tate acorda e começa a procurar pela menina, mas ela já não está mais lá.

Skouras continua com seu plano de treinar outra pessoa com poderes para localizar a menina, mesmo que isso custe a vida de alguém. A agente Ferrel está cada vez mais intrigada nos reais motivos de sua busca e ao questionar seu supervisor de para quem ela deve entregar a menina, ela descobre que Bo está fugindo com o pai biológico, mas na verdade, ela é ‘propriedade’ do governo americano (finalmente explicaram o porquê dessa perseguição sem fim!). O episódio volta para quando Nina faleceu e vemos Milton argumentando com Skouras que eles deveriam entregar a criança para a adoção. Skouras, no entanto argumenta que um casal normal não poderia criá-la e que ela deve ficar com eles, pois Milton já possuía uma ligação especial com a mãe, logo, não será difícil desenvolver uma com a menina também. De volta ao presente, Tate está desesperado em encontrar Bo antes do FBI. Ferrel consegue encontrar a base de operações de onde Milton controla tudo, mas quando ela e outros agentes chegam até o local o encontram abandonado.

Ao ajudar um casal a se reencontrar (foi por isso que ela saiu sem avisar ao Tate) Bo acaba ficando cara a cara com os agentes do FBI que levam Tate preso (mais uma vez). Assustada, a menina acaba provocando um evento que deixa a todos boquiabertos e mais uma vez, eles conseguem fugir.

Há uma teoria meio mística de que o episódio 4 de qualquer temporada de qualquer seriado é a chave fundamental para desvendar algo importante. As vezes funciona, outras não. No caso de Believe, essa teoria não funcionou tão bem assim. O grande problema é que eles insistem em repetir o final, com o Tate indo preso, Bo surtando e surpreendendo algum oficial com seus poderes e eles aproveitam o momento de distração para fugir. Pergunto-me até quando será assim?

Minha maior frustração é essa teimosia em ficarem escondendo todos os segredos e criando diálogos fracos e sem conteúdo, apenas para encher o episódio. Quando é que vão de fato começar a se discutir as questões importantes? No final da temporada? Não dá para ficar alimentando o espectador com sementes de esperança e querer que ele perdure até o final, acreditando que ainda há salvação. Será que tem mesmo?

Believe – 1×04: Defection
Showrunner
: Alfonso Cuarón, Michael Friedman
Roteiro: Nick Antosca
Direção: Sam Hill
Elenco: Johnny Sequoyah, Jake McLaughlin, Delroy Lindo, Jamie Chung, Kyle MacLachlan, Kerry Condon, Trieste Kelly Dunn, Matthew Rauch, Ato Essandoh, Suzy Jane Hunt, Tom Lipinski, Peter McRobbie, Rob Morgan, Dan Bittner, Juri Henley-Cohn
Duração: 45 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.