Crítica | Believe 1X11: Revelation

estrelas 2E chegamos à reta final.

Aparentemente, o último episódio não teve muita ligação com esse, exceto a parte da revelação de Dani para o Skouras.

Channing continua se recuperando do ferimento a bala, mas sua situação piorou um bocado e ela precisa de ajuda de alguém especializado. Enquanto isso, Bo tem um pesadelo e decide que Tate e ela precisam conversar com Skouras, para ver se conseguem dar um fim a essa perseguição e enfim terem uma vida saudável.

Cansado de esperar, Milton decide procurar ajuda e Tate e Bo colocam seu plano em ação.

Na Orchestra, Dani está obcecada com tudo relacionado a Bo e consegue acessar arquivos sigilosos sobre a menina. É quando nota uma estranha mancha na manga da sua camisa e ao levanta-la está com uma irritação no braço. Ela vai até a enfermaria, mas, não lhe dão mais informações a respeito da irritação. A enfermeira que a examinou, vai correndo contar ao Skouras que Dani está mostrando sinais de degradação, o que o deixa bastante preocupado.

Tate e Bo montam um plano de irem até o local onde Skouras dará um discurso para que consigam conversar com ele. Ao chegarem ao local, a menina usa seus poderes para tirar os seguranças do caminho e conduzir o alvo até eles.

Quando se encontram, Skouras está incrivelmente feliz em ver a menina, mas ela lhe pede que a deixe em paz. Ele então, com um discurso pronto, diz que a Orchestra inteira foi construída por causa dela e que ela precisa ficar com os seus semelhantes, mas Bo não quer saber nada daquilo e afirma que seu lugar é ao lado de Tate.

Irredutível, Skouras não dá sinais de que irá parar de persegui-los e acredita estar fazendo a coisa certa e para completar, lança a dúvida de que Winter é o verdadeiro responsável pela morte de Nina. Os seguranças chegam até eles, mas Bo consegue escondê-los no espelho para espanto de Tate. A menina está evoluindo.

De volta a Orchestra, Dani está determinada a descobrir mais sobre a irritação que surgiu em seu braço e acaba seguindo outra menina com o mesmo problema que está sendo levada a força até uma propriedade bem longe da instalação principal. Lá, ela descobre uma espécie de centro médico, onde os médicos em questão estão trajando roupas de segurança máxima e há vários pacientes em macas. Ela encurrala um dos médicos e exige respostas, sem ter para onde fugir, o homem lhe diz que não sabe exatamente a causa, mas todos que apresentam essa mesma irritação acabam morrendo.

Milton consegue ajuda para Channing, mas ainda assim, ela irá precisar de cirurgia. Tate e Bo estão indo ao encontro dele e vão exigir uma resposta sobre o que de fato aconteceu com Nina. Os capangas do Skouras estão em seu encalço e quase conseguem pegá-los, mas a menina tem alguns truques na manga. Ao encontrarem com Winter no heliponto, Bo pede que ele responda o que querem saber e tem um vislumbre do passado. Milton se sente culpado, mas a verdade é que ele não sabe realmente se a culpa é dele.

Querendo sair logo dali, Bo avisa que agora seus caminhos vão se separar. Ela cansou de fugir.

Ao chegar à Orchestra, Skouras se depara com Dani em seu caminho que é incrivelmente hostil e diz que ele não se importa com ninguém, a não ser com Bo e que ela dará um fim nisso.

A forma como eles encontraram para montar o embate final foi bem fraca, pois desde o princípio fica claro que Skouras não é uma figura confiável. Como também é evidente que Dani não é uma pessoa estável e Skouras abusou da sua “boa vontade”. Logo, os dois se merecem. Já Tate e Bo deveriam ter escolhido caminhos separados desde que descobriram ser pai e filha. Teria sido mais interessante também terem aproveitado aquele jornalista e divulgado parte dos experimentos da Orchestra, criando assim outra atmosfera para a série e não apenas essa trama de gato e rato infinito.

O que fica parecendo é que desde que cancelaram a série, os episódios estão sendo mal feitos, o que é uma ofensa aos fãs que continuam acompanhando. Uma pena ver um seriado que poderia ser tão promissor se afundar por fazer as escolhas mais óbvias.

Believe – 1×11: Revelation
Showrunner
: Alfonso Cuarón, Michael Friedman
Roteiro: Nick Antosca, Bobby Arnot
Direção: Steve Hill
Elenco: Johnny Sequoyah, Jake McLaughlin, Delroy Lindo, Jamie Chung, Kyle MacLachlan, Arian Moyaed, Mia Vallet, Geoffrey Cantor, Nick Tarabay, Ella Rae Peck, Katie McClellan, Rebecca Watson, Brit Whittle, Isabel Shill, James Hindman
Duração: 45 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.