Crítica | Boardwalk Empire 5X02: The Good Listener

estrelas 5,0

Atenção:  Contém spoilers do episódio comentado e das temporadas anteriores

O trecho final da vida de Nucky Thompson continua em The Good Listener, introduzindo-nos à narrativa através de um plano circular por dentro de um gramofone, nos mostrando imagens esparsas de uma noite boêmia. O movimento para e nos deixa com um Eli Thompson acordando, de ressaca, durante uma operação do FBI fechando um armazém de contrabando de álcool. Desde já sabemos, portanto, que veremos alguns dos personagens que não deram as caras no episódio passado.

O que não era de se esperar, contudo, é o quão fechado em si mesmo seria esta narrativa. Não que ela falhe em deixar pontas para a continuidade da temporada, muito pelo contrário, mas trata-se de um roteiro daqueles feitos com tamanha precisão, que qualquer detalhe deixado de fora poderia estraga-lo. Trata-se, afinal, de uma história escrita por Terence Winter, que há muito já deixou claro seu domínio sobre a progressão da trama de sua própria criação.

Winter, então, decide trazer apenas alguns elementos do episódio passado para se apoiar. Estes são: o acordo de Nucky em Havana e o atentado contra sua vida. O episódio tem através destes dois um de seus núcleos e decide investir em uma abordagem mais ousada, já nos colocando na iminência de um conflito que, normalmente, veríamos nos trechos finais da temporada. Lansky e Luciano, aos poucos, se transformam nos antagonistas da temporada, de forma cuidadosa, já que os acompanhamos desde o primeiro ano da série.

Já em Chicago temos outro núcleo envolvendo Eli e Mueller, que funciona para nos mostrar o auge do Império de Capone. Este, já famoso e milionário, já deixa o poder subir à cabeça, se tornando tão impulsivo como nunca e com a metade da precaução que já quase não apresentava. Winter insere então, discretamente, a futura queda do homem com a aparição de Eliot Ness, jurando perante à imprensa que irá capturar o gangster. A mesma pessoa foi retratada por Kevin Costner no filme Os Intocáveis, de Brian De Palma. Sabemos, portanto, que Al tem seus dias de glória contados, resta a dúvida se veremos detalhes de seu encarceramento em Boardwalk.

Intercalando os blocos do presente, temos as cenas do passado de Nucky, geralmente inseridas após uma sequência do mesmo personagem já na década de 1930. Esse constante oscilar se encaixa perfeitamente na narrativa, atuando como elipses temporais do tempo presente. E o mérito vai para a montagem, que sabe utilizar com precisão os efeitos sonoros para compor fluidas transições e, em sua maioria, deliciosamente imperceptíveis – quando vemos já estamos diante de outro personagem em um lugar totalmente diferente, com até mesmo anos de distância. É tal trabalho que mantém o ritmo fluido do episódio, que o faz passar em meros instantes diante de nossos olhos. Já é o segundo capítulo seguido que percebemos isso, deixando claro o cuidado empregado neste desfecho.

E falando em final, Winter traz à tona, constantemente, a dúvida de como Thompson irá terminar. Irá se aposentar, se tornar ainda mais rico e bem-sucedido ou morrer? A indagação ganha vida por John Torrio, que no ano anterior sofreu, também, com uma tentativa de assassinato. Ao mesmo tempo vemos as possibilidades de um novo sucesso de Nucky e seu pulso firme, enrijecido pelos anos anteriores. Vem à cabeça, novamente, sua infância e a iminência da morte que tal perspectiva pode significar. São tais pensamentos que mantém o espectador ainda mais atento, firmando ainda mais a atenção que a narrativa por si só já consegue fazer.

The Good Listener termina de forma circular, tanto literalmente quanto metaforicamente, deixando aberto muitas questões (afinal, estamos no início da temporada ainda), mas conseguindo se estabelecer como um episódio fechado em si mesmo. Trata-se de um capítulo que consegue aumentar ainda mais a expectativa deste ano, que já estava em alta. Até agora a qualidade excedeu o que esperávamos, algo difícil de se fazer em uma série de tamanha qualidade.

Boardwalk Empire 5X02: The Good Listener (EUA, 2014)
Showrunner: Terence Winter
Direção: Allen Coulter
Roteiro: Terence Winter
Elenco: Steve Buscemi, Michael K. Williams, Chris Caldovino, John Ellison Conlee, Ivo Nandi, Vincent Piazza, Kelly Macdonald, Anatol Yusef, Patricia Arquette

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.