Crítica | Boardwalk Empire 5X08: Eldorado

estrelas 3,5

Atenção: contém spoilers do episódio comentado.

Nucky Thompson entrando nas águas de Atlantic City para um mergulho é o que primeiro vemos neste último episódio de Boardwalk Empire, já traçando um paralelo imediato com os ausentes créditos iniciais. O mergulho, porém, vai além disso: é uma entrega, uma desistência – ele se despe completamente antes de se molhar, representando a desconstrução daquele homem que acompanhamos desde o primeiro dia da Lei Seca. Eldorado, enfim, une as duas narrativas desta temporada final, fechando o ciclo entre um Enoch mais novo e seu “eu” atual, ao mesmo tempo que nos despedimos de cada um dos personagens. O roteiro de Howard Korder e Terence Winter, contudo, acaba sendo mais burocrático que efetivamente dramático.

De um em um vemos os destinos finais de cada indivíduo dentro da série, seja através de uma despedida de Nucky, como é o caso de Eli e Margaret, seja através de uma mudança no ponto de vista. Essa estrutura mais acelerada, com diferentes focos, do episódio chegaria a funcionar se ainda tivéssemos mais um pela frente. Porém, em Friendless Child, fomos deixados em uma enorme expectativa acerca de Gillian Darmody, algo que não é cumprido neste capítulo final. A cena entre ela e Enoch é curta e praticamente apática – revela um triste final para a personagem (Thompson chegou tarde demais), mas poderia ter sido construída uma maior tensão acerca do acontecimento.

Entramos, então, no já citado ciclo que se fecha. Descobrimos, afinal, como e porque o novo Enoch entregou Gillian às mãos do Comodoro e tal sequência foi maravilhosamente bem construída, com uma direção precisa do talentoso Van Patten e um dramático jogo de olhares de Marc Pickering, que se firmou como um dos pontos altos dessa temporada. Ao voltarmos para o presente, contudo, nos deparamos com o twist final que soa apressado, a revelação de Tommy Darmody., que nos entrega os minutos finais da série. Tivemos aqui uma saída fácil, pouco criativa e anticlimática – Tommy foi minimamente trabalhado nesta temporada e um arrependimento de Nucky em relação à avó do garoto garantiria um maior envolvimento na cena. Ao contrário disso, tivemos um desfecho que, no mínimo, decepciona.

Nem todos os personagens, porém, tiveram essa fácil saída. O encerramento do arco de Al Capone é, sem dúvidas, o melhor momento do episódio, com uma despedida de seu filho que chega a tirar lágrimas do espectador que se lembrar das dramáticas cenas entre os dois nas temporadas passadas. Trata-se da volta desse lado mais humano de Capone, nos tirando daquela corrida desenfreada que acompanhamos nos últimos episódios. Stephen Graham garante a profundidade desse marcante personagem, rapidamente resgatando a  identificação do público. Seus segundos finais, subindo a escadaria para o tribunal são emblemáticos, comprimindo em poucos instantes toda a trajetória do personagem desde seus tempos de aliança com Jimmy Darmody.

Do lado de “Lucky” Luciano, acompanhamos, enfim, a formação da Cosa Nostra, os princípios do crime organizado. Vincent Piazza, como sempre, faz um ótimo trabalho e o roteiro coloca em sua boca marcantes palavras que nos fazem voltar à primeira temporada: sua reunião com Nucky, Torrio e Rothstein – I’m with the big boys now (estou com os garotos grandes agora). A reunião que coloca em prática seus planos é interessante, concretizando o que vimos desde Golden Days for Boys and Girls, ainda que não estritamente necessária para um bom desfecho para o personagem.

Eldorado encerra, com altos e baixos, uma das melhores séries da HBO (o que não é dizer pouco). A história de Nucky chega ao fim à beira do término da Lei Seca, fechando mais um ciclo dentro da série. Por mais que alguns personagens não tenham recebido o necessário tratamento, tivemos um episódio sólido, que certamente deixará saudade em todos que acompanharam, desde o início, essa odisseia regada a álcool, sangue e dinheiro.

Boardwalk Empire 5X08: Eldorado (EUA, 2014)
Showrunner:
Terence Winter
Direção:
 Tim Van Patten
Roteiro: Howard Korder, Terence Winter
Elenco: Steve Buscemi, Kelly Macdonald, Shea Whigham, Stephen Graham, Vincent Piazza, Jeffrey Wright, Gretchen Mol, Anatol Yusef, Marc Pickering
Duração: 60 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.