Crítica | Sarah Jane Smith: Buried Secrets / Snow Blind

A Segunda Temporada de Sarah Jane Smith foi lançada pela Big Finish entre fevereiro e março de 2006, sendo encerrada no 4º episódio porque a personagem de Elisabeth Sladen voltaria a ter bastante destaque na BBC, ganhando sua própria série — The Sarah Jane Adventures — após um emocionante reencontro com o Doutor.

.

Buried Secrets

2X01 – Season Premiere
estrelas 4,5

Equipe: Sarah Jane Smith, Josh Townsend, Natalie Redfern
Espaço-tempo: Reino Unido / Florença, 2006

Quatro anos depois de finalizada a 1ª Temporada de Sarah Jane Smith, a Big Finish investiu em mais um bloco de histórias que se tornaria a temporada final da série. E que início de fim! A história é centrada em dois lugares no início (Londres e Florença) e vemos, novamente, um ótimo uso de Natalie na trama, sem tentativas de forçar seu relacionamento com Sarah e dando-lhe real importância profissional.

Josh apresenta uma “crise de companion” aqui, não se conformando em viver sua “vida normal” e querendo cada vez mais “fazer a diferença no mundo”, viver aventuras ao lado de Sarah. Depois de 7 empregos em um curto espaço de tempo, fica bastante claro que Josh estava completamente desligado ou entediado com o cotidiano e cada vez mais próximo, talvez até sentimentalmente, de Sarah Jane.

Temos aqui a apresentação de Will Sullivan, o meio-irmão de Harry Sullivan, que viajara com Sarah e o Doutor por um tempo. O encontro tem a função de apresentar Will como futuro companion, o que se efetiva nas aventuras posteriores. E por falar em companion, voltemos a Natalie. Mais uma vez acontece um conflito entre ela e Sarah, mas não da forma como acontecera em Test of Nerve. Aqui, o namorado de Natalie, Luca Parenti, que a acompanha numa exploração arqueológica na Itália e se envolve com ela, revela-se alguém que estava interessado em atrair Sarah para uma espécie de profecia, de um culto, crença, ritual perdido.

Toda estrutura narrativa da história é bem executada e o conflito é finalizado de maneira exemplar. Corpo enterrado em um local arqueológico importante, profecias, investigação e mais um ponto para os perseguidores de Sarah Jane. Que maravilha de retorno de série!

Sarah Jane Smith – 2ª Temporada (2006)
Roteiro:
 David Bishop
Direção: John Ainsworth
Elenco: Elisabeth Sladen, Jeremy James, Sadie Miller, Tom Chadbon, Ivor Danvers, Daniel Barzotti, Jacqueline Pearce, Stephen Greif, David Gooderson, Patricia Leventon, Shaun Ley
Duração: 1 episódio de 61 min.
Distribuidora: Big Finish Productions

.

Snow Blind 

2X02
estrelas 5

Equipe: Sarah Jane Smith, Josh Townsend, Will Sullivan
Espaço-tempo: Base Nikita, Antártida, 2006

As coisas começam a se encaixar com perfeição nesta Segunda Temporada de Sarah Jane Smith. Elementos místicos e biológicos que haviam sido citados desde Comeback se tornam recorrentes nos dois roteiros de abertura e, se lembrarmos bem, estiveram presentes em todos os capítulos anteriores da série. O interessante nessa primeira parte da temporada é que ela apresenta uma unidade narrativa que a anterior não apresentou. Os noticiários na abertura dos episódios, as notícias refiguradas, a citação de perseguidores e inimigos do passado, tudo se afunila para um único ponto, algo que se promete épico.

Aqui, Sarah e Josh vão para a Antártida, a convite de Will Sullivan. Na verdade, há um certo engano em relação ao convite. No entanto, a viagem acontece e esse é o grande mistério central da história — e parte de uma linha de eventos que está claro ser o ponto central da finalização da série.

Ao mesclar a ideia de uma aventura a uma cadeia de eventos marcantes para a mitologia da personagem, David Bishop realiza um trabalho impecável. Seu roteiro traz todos os elementos instigantes dos melhores episódios produzidos até o momento e tem a felicidade de melhorar o que já havia feito na abertura desse último ano da série. A colocação em cena de um membro da “Crimson Chapter of the Orphans of the Future”, a citação do “Book of Tomorrows” e a estruturação de dúvidas a serem respondidas nos dois episódios seguintes foram escolhas acertadas do roteirista. Sob direção de John Ainsworth, Snow Blind é um episódio claustrofóbico, divertido e deliciosamente misterioso. Uma promessa assustadora e potencialmente genial para o futuro.

Sarah Jane Smith – 2ª Temporada (2006)
Roteiro:
 David Bishop
Direção: John Ainsworth
Elenco: Elisabeth Sladen, Jeremy James, Tom Chadbon, Nicholas Briggs, Julia Righton, Jack Galagher, Shaun Ley, Jacqueline Pearce, Stephen Greif, Jon Weinberg
Duração: 1 episódio de 60 min.
Distribuidora: Big Finish Productions

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.