Crítica | Cães de Aluguel (Trilha Sonora Original)

estrelas 4,5

Obs: Leiam as críticas dos filmes dirigidos por Tarantino, aqui e das trilhas sonoras de seus filmes, aqui.

Quando Quentin Tarantino surpreendeu com seu Cães de Aluguel em 1992, mal desconfiávamos que testemunhávamos não apenas o nascimento de uma grande carreira cinematográfica, mas também de algumas das melhores coletâneas musicais que viriam a preencher seus filmes. Tarantino nunca traz músicas originais em seus projetos (Django Livre e Os Oito Odiados são as exceções), preferindo trazer canções pops e trilhas instrumentais para preencher o campo musical. Isso rapidamente se transformou em uma característica do que faz um “filme de Tarantino”, ao lado de diálogos verborrágicos e violência extrema.

Logo nos créditos iniciais de Cães de Aluguel, Tarantino opta por sair ao mundo com Little Green Back, da The George Baker Selection. A canção do grupo dos anos 60 confere um aspecto “descolado” para a produção, cumprindo a esperança de Tarantino de fazer “um filme com alma dos anos 50”. É uma abertura forte justamente pela música, que ajuda a humanizar o grupo de criminosos, ainda mais saídos de um diálogo repleto de referências de cultura pop.

E muito antes de ficar popularizada no Awesome Mix de Guardiões da Galáxia, Hooked on a Feeling do Blue Swede já era usada aqui, em uma cena pequena, mas significativa para a trama, quando o recém-infiltrado Mr. Orange sai de carro com a gangue liderada por Harvey Keitel.

Mas quando falamos de momentos musicais de Cães de Aluguel, é impossível não pensar imediatamente no deliciosamente perverso momento do Sr. Blonde com um indefeso policial. Antes de brutalmente decepar sua orelha com uma navalha, o gângster de Michael Madsen resolve ligar o rádio e se depara com Stuck in the Middle with You, de Stealers Wheels. A canção rock folk do músico holandês é chave para a criação do estilo Tarantino, já que vemos um personagem mau fazendo um ato de crueldade, mas é impossível não encontrar um divertimento aqui, ainda mais pela dancinha de Blonde e a serena melodia de Baker. Definitivamente a gênese para esse tipo de personagem no cinema tarantinesco.

Um aspecto muito interessante no álbum é a inclusão de um radialista do fictício “K-Billy’s Super Sounds of the Seventies Weekend”, servindo também ao propósito de o filme se passar ao longo de um final de semana. Entre faixas, temos a voz monótona de K-Billy anunciando a próxima faixa, além de diversos trechos de diálogo do longa – incluindo a antológica dissecação de Like a Virgin, de Madonna.

Um começo digno para a fantástica viagem musical para a qual Tarantino nos levaria, juntamente com suas inesquecíveis obras.

Reservoir Dogs (Original Motion Picture Soundtrack)
Compositor:
Various Artists
País: EUA
Ano: 1992
Gravadora: MCA
Estilo: Rock, Pop, Folk

LUCAS NASCIMENTO . . . Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.