Crítica | Carga Explosiva 2

estrelas 3

Luc Besson e companhia tiveram a chance de se redimir e de fato construir um roteiro consistente, assim como cenas de ação empolgantes nessa continuação de Carga Explosiva.

Frank decide fazer um bico como motorista particular e acaba se afeiçoando a Jack, seu mini-patrão. Acontece que mesmo mudando de profissão é difícil deixar velhos hábitos de lado e ele rapidamente identifica que alguém quer fazer mal ao garoto ao levá-lo ao consultório do pediatra. Ele consegue salvar a criança, mas não por muito tempo e, agora, precisa cumprir a promessa que fez ao menino e de quebra, salvar algumas pessoas da morte em decorrência de uma arma biológica.

Com a mudança de ares, da França para Miami, as cenas de ação ganharam proporções exageradas. E Frank ficou mais hábil também, além de mais irritado. O vilão da vez é inescrupuloso, afinal, usar uma criança para liberar um vírus mortal é no mínimo cruel. E é aí que mora toda a diversão desse filme, em todo o absurdo de ser. A começar pela personagem Lola que curte andar com trajes mínimos e armas poderosas. Não se deixe enganar pela magreza da moça, pois ela certamente não deixará por menos. Em seguida temos cenas de perseguição mirabolantes, com alguns defeitos de CGI e erros de continuidade. Ao menos a trilha sonora foi elaborada de forma correta por Alexandre Azaria e é animada, como deve ser em filmes de ação.

Statham parece estar mais envolvido com a coreografia das lutas e as sequências ficaram mais longas e não tão picotadas como antes, facilitando para o espectador se empolgar sem perder o Frank de vista, principalmente quando ele está amarrando assecla atrás de assecla com uma mangueira. Aliás, a criatividade das lutas é um fator importante nessa sequência que inclui até perseguição de um ônibus escolar com jet ski. E, ainda que o tema de armas biológicas tenha sido apenas arranhado, foi uma excelente escolha de artifício do vilão. 

Carga Explosiva 2, que agora faz jus ao nome, é uma evolução por completo do primeiro filme. Temos o personagem principal mostrando outra natureza que costumava esconder, uma trama que faz sentido do início ao fim e antagonistas que conseguem impor respeito seja lutando dentro de um jatinho debaixo d’água ou com lingerie da Victoria’s Secret.

Carga Explosiva 2 (Transporter 2 – EUA 2005)
Direção: Louis Leterrier
Roteiro: Luc Besson, Robert Mark Kamen
Elenco: Jason Statham, Alessandro Gassman, Amber Valletta, Kate Nauta, Matthew Modine, Jason Flemyng, Keith David, Hunter Clary, Shannon Briggs, François Berléand, Raymond Tong, George Kapetan, Jeff Chase, Gregg Weiner, Gregg Davis
Duração: 87 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.