Crítica | Chase Me

estrelas 3,5

O grande desafio para ser bem sucedido em um projeto baseado em um universo ficcional já estabelecido consiste em elaborar um roteiro interessante em conformidade a uma montagem sólida. Esse casamento faz com que seja possível cumprir com as regularidades impostas pelo contexto sobre o qual se fala e abre um espaço propício para buscar novas estruturas narrativas e algumas experimentações pertinentes.

Já com uma significativa trajetória em produções animadas, a DC Comics lançou em 2003, o longa Batman – O Mistério da Mulher Morcego. O filme ganhou uma ampla aceitação de público e consagrou-se por ser o primeiro longa animado do Morcegão a dar mais destaque à representação da figura feminina. Junto ao longa, a DC apresentou o curta especial Chase Me, que atende à mesma ideia de girl power do longa principal.

O curta utiliza de uma boa qualidade gráfica e uma trilha sonora impecável para relatar uma corrida aos moldes de gato e rato em que Batman segue ao encalço da Mulher Gato a fim de resgatar um montante de dinheiro furtado pela anti-heroína durante uma festa nas Indústrias Wayne. O roteiro consegue se sustentar de modo bastante coerente durante os seis minutos de duração do curta, mas a experimentação está presente na sonoplastia. Ao substituir o diálogo tradicional por uma boa composição de jazz, Chase Me é, sem dúvida, encantador e envolvente.

O curta, no entanto, peca em restringir a experimentação aos elementos técnicos. A presença do Batman como protagonista em uma história que busca elevar a representação feminina enfraquece o próprio argumento inicial. Hoje, finalmente, a DC aprendeu a lição e já compreende que uma personagem feminina é suficientemente forte, pode e deve protagonizar (mas protagonizar mesmo) longas e curtas animados.

Confira o curta completo:

Chase Me (EUA, 2003)
Direção: 
Curt Geda.
Roteiro: Alan Burnett e Paul Dini.
Duração: 6,25 min.

FILIPE MONTEIRO . . . O exército vermelho no War, os indianos em Age of Empires, Lannister de Rochedo Casterly. Entrou em órbita terrestre antes que a Estrela da Morte fosse destruída, passou pela Alameda dos Anjos, pernoitou em Azkaban, ajudou a combater o crime em Gotham e andam dizendo por aí que construiu Woodburry. Em uma realidade alternativa, é graduando em Jornalismo, estuda Narrativas e Cultura Popular, gosta de cerveja e tempera coentro com comida.