Crítica | Destiny of the Doctor: Shadow of Death / Vengeance of the Stones

Shadow of Death e Vengeance of the Stones são respectivamente a segunda e terceira parte da série especial em áudio chamada Destiny of the Doctor, lançada para comemorar o aniversário de 50 anos de Doctor Who (2013), e que contou com a produção da Big Finish Productions em parceria com a AudioGO. A data de lançamento dos dois episódios são, respectivamente, fevereiro e março de 2013.
.

Shadow of Death

Destiny of the Doctor #2

estrelas 4

shadowofdeath_doctorwho

Equipe: 2º Doutor, Jamie e Zoe
Espaço: Um planeta na órbita de um Pulsar
Tempo: 2724

Ocorrido logo depois dos arcos The InvasionThe Three Doctors e do áudio Little Doctors, esta segunda parte da saga sobre o destino do Doutor começa com o humor recorrente nas aventuras do Senhor do Tempo ao lado de Jamie e Zoe. Discutindo sobre o controle que o Doutor tinha (ou não tinha) sobre a nave, mais uma vez chegamos a um pouso forçado, agora em um planeta próximo a uma estrela pulsar. Explorando o local, o Doutor e seus companions encontram um posto de exploração humano, onde um grupo de cientistas estudavam uma antiga cidade. A cidade é aparentemente abandonada, mas coisas estranhas acontecem ali e os cientistas não conseguem explicar os elementos básicos da tecnologia e arquitetura deixadas pelos alienígenas.

É importante destacar que embora as aventuras desta série sejam parte de um grande plano, cada uma pode ser conferida individualmente sem perda de compreensão pelo espectador. E o que vemos em Shadow of Death se enquadra perfeitamente nas duas formas de ver cada capítulo da saga: uma como sequência de Hunters of Earth e outra como uma trama isolada.

O início deixa o espectador apreensivo, mas após o primeiro encontro dos viajantes com os cientistas, esse medo é diminuído, porque passa a ser acompanhado pela curiosidade. Afinal, que sombras são essas? O que aconteceu com os cientistas mortos? Quem são os Quiet Ones? A forma como a trama se desenvolve tem alguns pontos baixos, mas nada muito grave, porque para cada diálogo ou cena que não tem importância para o episódio, muitas reflexões e questionamentos são colocados.

Aqui também há boas referências e informações sobre essa fase da série, como o estabelecimento de que Jamie tinha 22 anos quando conheceu o Doutor, em The Highlanders e comparações que o próprio companion faz dos Quiet Ones com os Cybermen (The Moonbase, The Tomb of the Cybermen) e a explicação que o Doutor faz a Zoe sobre o funcionamento do Hostile Action Displacement System da TARDIS, que seria de fato demonstrado no arco The Krotons.

O 11º Doutor aparece brevemente no psychic paper e é a partir dele que acontece a comunicação entre as duas encarnações do Time Lord. A mensagem é breve e simples, mas muito bem colocada na história. E a partida do 2º Doutor da base é calorosa e plenamente orgânica com a história. E a nossa curiosidade para saber o que significam essas informações vindas do futuro só aumentam…

Destiny of the Doctor: Shadow of Death (Reino Unido, fevereiro de 2013)
Direção: John Ainsworth
Roteiro: Simon Guerrier
Elenco: Frazer Hines, Evie Dawnay
Duração: 57 min.

.

Vengeance of the Stones

Destiny of the Doctor #3

estrelas 4

vengeanceofthestones_doctorwho

Equipe: 3º Doutor, Brigadeiro Lethbridge-Stewart e Mike Yates
Espaço: Escócia
Tempo: Anos 1970

Mais uma vez a “selvagem Escócia”. Após o desaparecimento de um avião no nordeste da Escócia, a UNIT é chamada para investigar o fenômeno. O Doutor e o Brigadeiro aparecem e procuram alguém que conheça bem a região a fim de que ajude a UNIT na investigação. É então que o Tenente Mike Yates se apresenta e passa a servir de guia e guarda da dupla dinâmica, que desde muito cedo encontram um link entre o desaparecimento do avião e certos círculos de pedras que podiam ser encontrados em vários locais dessa região da Escócia…

O que eu mais gostei nessa aventura é a apresentação carinhosa e bastante propícia que a Big Finish faz de Mike Yates em Doctor Who. Como a trama deste episódio se passa logo no início da era do 3º Doutor (depois do arco Spearhead from Space e dos quadrinhos The Arkwood Experiments) temos a sensação de descobrimento a todo instante, tanto da parte do Doutor quanto da parte do Brigadeiro. Embora os dois já se conhecessem desde The Web of Fear, eles não haviam trabalhado juntos por muito tempo, e essa convivência entre os dois é colocada no roteiro de Andrew Smith de forma cômica e ao mesmo tempo científica e militar. O famoso embate entre “armas e cérebro” já se fazia ver na série, evoluindo para um resultado bastante polêmico em Doctor Who and the Silurians.

A boa caracterização de Yates, sua boa chegada à série e a forma como ele procura entender os mistérios que estão ao seu redor só mostram o quão rico era o personagem e é uma pena que ele não tenha sido de fato companion do Doutor nos arcos da TV (porque no Universo Expandido isso aconteceu mesmo). Nesta aventura, sentimos falta de Liz, mas o roteiro não perde a graça ou é mal argumentado por isso, se bem que a presença da companion tornaria tudo bem mais interessante e com mais diálogos irônicos e alfinetadas, como era de praxe em suas aparições.

Um dos pontos positivos aqui é a espécie alien que tivemos na aventura (me lembrou um pouco a história da presença dos Zygons na Terra), e isto da caraterização das vozes e dos efeitos ao cenário em que aparecem, disfarçados e utilizando de um meio pouco usual para conseguirem informações sobre os humanos. Existem alguns exageros, é verdade, mas nada tão grave a ponto de atrapalhar por completo o espectador.

A participação do 11º Doutor aqui é curiosa, feita através do telefone e com uma mensagem que se parece bastante com a que ele daria para o 4º Doutor em Babblesphere. Mais uma vez, aplaudimos o trabalho de inclusão desse momento na aventura, porque não é encaixado ou forçado para combinar com a trama corrente, mas se põe de maneira orgânica e bastante interessante na história… Vengeance of the Stones será para mim, muito mais do que um capítulo da saga Destiny of the Doctor, o arco em que fomos apresentados a Mike Yates.

Destiny of the Doctor: Vengeance of the Stones (Reino Unido, marçoo de 2013)
Direção: John Ainsworth
Roteiro: Andrew Smith
Elenco: Richard Franklin, Trevor Littledale
Duração: 67 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.