Crítica | Doctor Who – Big Finish Mensal #8 a 10

Seguimos aqui com a publicação da série principal da Big Finish. O leitor pode conferir a sequência desta série nos seguintes links: edições #1 a 3; edições #4 a 6 e edição #7 (juntamente com os outros arcos que compõem a saga do Império Dalek).

Seguimos, portanto, a partir da edição #8.

 Red Dawn

BF #008
estrelas 3,5
red dawn doctor who

Equipe: 5º Doutor, Peri
Espaço-tempo: Planeta Marte, 2005

A primeira missão espacial estadunidense vai ao Planeta Marte com uma importante equipe, a fim de explorá-lo.

Embora no universo de DW já tenhamos visto algumas missões ao Planeta Vermelho, é a primeira vez que os americanos pousam ali e, já nesta primeira experiência, encontram os Ice Warriors. A trama do arco Red Dawn gira em torno de uma quase mitologia planetária, envolvendo o heroico guerreiro Izdal, que se sacrificara à Aurora Vermelha, o ultravioleta pôr-do-sol marciano.

A estranheza da história consiste em seu enredo dividido em dois ambientes ou linhas dramáticas, uma escolha que bipartiu a densidade da trama, distraindo o espectador e perdendo a oportunidade de dar maior atenção ao que de fato merecia maior atenção. E a isso me refiro à trama de traição e tentativas de domínio envolvendo os terráqueos, o elo fraco da história; não por existir, mas por receber mais atenção do que devia.

Mesmo assim, Red Dawn é um interessante encontro do 5º Doutor e Peri com os nativos de Marte, evento que envolve confiança, sacrifício honroso (de ordem moral) e um final bem interessante, ao menos para os viajantes da TARDIS e para a primeira Embaixatriz meio-humana a se estabelecer no planeta vermelho após essa aventura.

Red Dawn (Reino Unido, maio de 2000)
Direção: Gary Russell
Roteiro: Justin Richards
Elenco: Peter Davison, Nicola Bryant, Robert Jezek, Maureen Oakeley, Georgia Moffett, Stephen Fewell, Matthew Brenher, Hylton Collins, Alistair Lock, Jason Haigh-Ellery
Duração: 4 episódios de c. 22 min.

.

The Spectre of Lanyon Moor

BF #009
estrelas 3,5

Arte de Lee Sullivan para The Spectre of Lanyon Moor, publicada como prévia da aventura na DWM #292.

Equipe: 6º Doutor, Evelyn
Espaço-tempo: Cornualha, Inglaterra, 2000 / Grécia, 2000

A incrível dupla formada pelo 6º Doutor e por Evelyn Smithe encontra-se na Inglaterra dos anos 2000, com uma história improvável e que, pelo menos ao nosso olhar mais apressado, traz um quê de mágica e fantasia não necessariamente absurdos no universo de Doctor Who, cujo roteiro, nesta aventura, Nicholas Pegg não possuiu tanto cuidado ao abordar.

A dupla chega a Lanyon Moor e encontra uma situação mais ou menos pacífica na superfície e um plano intricado em andamento. A dinâmica lembra-nos bastante uma história vivida pelo 6º Doutor ao lado de Peri, com a diferença que aqui temos a volta de um querido personagem da Série Clássica, o Brigadeiro Lethbridge-Stewart; e o trabalho com crenças locais (ou o acreditar no sobrenatural) e a ciência.

É claro que a explicação final para o plot dentro da fantasia se alia ao sci-fi, algo mais ou menos esperado, mas o caminho percorrido até esse momento não foi de todo elogiável, com desvios que nos lembram um pouco aqueles vistos em Red Dawn. Mesmo assim, trata-se de uma boa história, especialmente pela exploração da amizade entre o Doutor e o Brigadeiro e a ação e carinho de Evelyn no meio de tudo isso.

The Spectre of Lanyon Moor (Reino Unido, junho de 2000)
Direção: Nicholas Pegg
Roteiro: Nicholas Pegg
Elenco: Colin Baker, Maggie Stables, Nicholas Courtney, Susan Jameson, Barnaby Edwards, Toby Longworth, James Bolam, Helen Goldwyn
Duração: 4 episódios de c. 22 min.

.

Winter for the Adept

BF #010
estrelas 3

Arte de Lee Sullivan para Winter for the Adept, publicada como prévia da aventura na DWM #293.

Equipe: 5º Doutor, Nyssa
Espaço-tempo: Suíça, 22 de novembro de 1963

Doctor Who e fantasmas. Só esse pequeno período seria o bastante para fazer com que alguns whovians torcessem o nariz, como eu constantemente faço quando tenho diante de mim um elemento da série com esse tema. E por quê o preconceito? Porque a maioria das histórias que trazem tal elemento tendem a ter uma finalização insatisfatória, a despeito de um excelente início.

Peguemos, por exemplo, um outro áudio com o 5º Doutor e Nyssa, The Land of the Dead – história, inclusive, lembrada pela companion nessa aventura – que figura, em essência, o mesmo modelo de Winter for the Adept. Em ambos os casos a proposta é interessante, existe um elemento de horror no ar que funciona bem até certo ponto, mas a trilha que o roteiro toma para a resolução do caso não poderia ser mais questionável.

A diferença é que pelo menos aqui a história tem um número bem maior de acertos, a trilha sonora é belíssima e Peter Davison tem, enfim, uma ótima interpretação (eu não sou muito fã dos primeiros áudios dele).

A história se passa em uma escola para garotas nos Alpes Suíços, em 1963, e Nyssa vai parar na região por conta de um teletransporte que deu errado (um teletransporte feito e vistoriado pelo Doutor, diga-se de passagem). Ao se dar conta de que algumas lendas sobre Poltergeist circulam pela instituição, Nyssa tenta levar as coisas na base da racionalidade, mas é logo vencida pela cadeia inexplicável de eventos que se apresenta. Na esteira desses eventos, o Doutor aparece para resgatar a companion em um drástico e decisivo momento, quando ela e uma jovem do local correm grande perigo.

A ambientação de Winter for the Adept é boa e o texto sabe equilibrar bem os núcleos de conflito entre o Doutor e os humanos, mas o ponto fraco é sempre a presença dos fantasmas, que, devido a racionalização feita na reta final, acabam parecendo ainda mais bobos e forçados.

Como disse no início, a tendência dessas histórias em Doctor Who é ter um bom início e um final pouco animador. No caso de Winter for the Adept, mesmo que ache estranho quase tudo no que diz respeito à resolução do caso, o espectador será brindado com uma trama meio fantástica e meio científica e cujo espaço geográfico trará uma estranha e falsa sensação de aconchego e frio repentinos, mudança de sensações que provavelmente tenha algo a ver com a estranha criatura (os Spillagers, seres de outra dimensão) que, ao que tudo indica, vêm assustando muitos humanos ao redor do mundo por muitos e muitos séculos.

Winter for the Adept (Reino Unido, junho de 2000)
Direção: Gary Russell
Roteiro: Andrew Cartmel
Elenco: Peter Davison, Sarah Sutton, Liz Sutherland, Sally Faulkner, Hannah Dickinson, India Fisher, Peter Jurasik, Christopher Webber, Andy Coleman, Nicky Goldie
Duração: 4 episódios de c. 22 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.