Crítica | Doctor Who: Quadrinhos da “TV Comic” – 3º Doutor (1970)

O Plano Crítico já possui um grande número de críticas para os quadrinhos da TV Comic dentro das eras do e Doutores. O processo de regeneração do 2º Doutor foi acompanhado nos quadrinhos dessa revista, por sinal, mídia onde temos a maior abertura entre os eventos da chamada Temporada 6B, melhor explorada aqui.

Em The Night Walkers (1969), um grupo de espantalhos animados pelos Time Lords capturam o exilado e fujão 2º Doutor e o carregam para sua TARDIS. Em algum tempo depois, considerando os acontecimentos ao final de The War Games, o 3º Doutor aparece tombando no chão, ao sair da TARDIS, em Spearhead from Space. A Era UNIT acabava de começar.

Neste bloco de textos, teremos críticas rápidas para as primeiras 5 aparições do 3º Doutor na TV Comic, seja na série mensal, seja nos especiais de férias, todos eles publicados no ano de 1970.

.

The Arkwood Experiments

estrelas 3

ArkwoodEquipe: 3º Doutor (+ UNIT e Brigadeiro Lethbridge-Stewart)
Era: UNIT — Ano 1
Espaço-tempo: Arkwood Private School, Reino Unido, anos 1970

Primeira aventura do 3º Doutor na TV Comic, The Arkwood Experiments se apresenta muito melhor em termos de roteiro (ainda assinado por Roger Noel Cook) do que as histórias anteriores da revista. Não se trata de um arco perfeito, é verdade — preste atenção que os pássaros selvagens do Zoológico, que fogem em ira no início da história, jamais são citados depois e este é apenas um dos muitos furos do roteiro — mas o conteúdo é interessante e representa muito bem a personalidade do 3º Doutor, um feito que não tínhamos nos quadrinhos dos Doutores anteriores dentro da revista.

O Doutor é chamado pelo Brigadeiro Lethbridge-Stewart para atender a uma ocorrência em um Zoológico (no futuro, ele teria outro problema em um Zoológico, na ST Walls of Confinement) e se irrita porque acha que está sendo chamado para um passeio. Cook tem a sensibilidade de retratar com precisão a relação entre o Doutor e o militar, bem como a forma como o Time Lord se porta frente aos problemas apresentados a ele.

A investigação de caráter breve nos faz perceber que os animais irritados e, em seguida, as crianças raivosas, são parte dos experimentos de um garoto de 10 anos chamado Cedric Mathews, cuja droga que inventa ativa a violência naquele que a ingere. O que vem a partir daí é algo na linha de Zero de Comportamento, só que com o fator medonho característico de um experimento comportamental. As falas finais dos estudantes, após o Doutor lançar sobre eles o gás-calmante são patéticas e a conclusão não é exatamente brilhante mas, considerando as tenebrosas aventuras da TV Comic dos anos anteriores, podemos dizer que isto aqui é uma verdadeira maravilha.

TV Comic #944 – 949
Roteiro:
 Roger Noel Cook
Arte: John Canning

.

The Multi-Mobile

estrelas 3

Comic3AEquipe: 3º Doutor (+ UNIT e Brigadeiro Lethbridge-Stewart)
Era: UNIT — Ano 1
Espaço-tempo: Reino Unido, anos 1970

O Doutor e o Brigadeiro são convidados para assistir a demonstração de um novo super carro criado para uso militar (o Multi-Mobile do título). Após terminado o exercício, o super carro é roubado por agentes estrangeiros, cuja intenção era chegar ao centro de energia nuclear da Inglaterra, destruir o local e deixar o país sem defesa.

Plenamente contextualizado com os conflitos da Guerra Fria — só faltou dizerem que os agentes estrangeiros eram soviéticos –, o roteiro tem uma característica fluída de acontecimentos. Mesmo que o comportamento do Doutor pareça bobo demais na reta final da história, este detalhe é facilmente esquecido pela boa representação de todo o resto, inclusive na futuramente comprovada eficácia do açúcar colocado em um tanque de combustível para boicotar a fuga dos criminosos.

Trazendo o melhor da relação entre o Doutro e o Brigadeiro e um bom motivo dramático central, Roger Noel Cook demonstra que consegue lidar muito melhor com histórias ambientadas na Terra e dentro da esfera militar da UNIT, uma situação que contrasta bastante com sua abordagem para as excursões intergaláticas do Doutor.

TV Comic #950 – 954
Roteiro:
 Roger Noel Cook
Arte: John Canning

.

Insect

estrelas 2

AntsEquipe: 3º Doutor (+ UNIT e Brigadeiro Lethbridge-Stewart)
Era: UNIT — Ano 1
Espaço-tempo: Reino Unido, anos 1970

Em uma região agrária da Inglaterra, um fazendeiro foi fazer o trabalho comum (no século XX) de quem trabalha na lavoura: espalhar agrotóxico pelo campo. Mas desta vez, algo sai errado. Devido a uma composição química e misturas inadvertidas, os insetos/”pragas” do campo começaram a crescer até atingirem tamanhos assustadores e, claro, ameaçar a vida das pessoas em volta.

Depois de duas boas histórias, Roger Noel Cook nos traz essa bizarrice sem tamanho. O único elemento bom do enredo é o fator Terra-UNIT, ou seja, a forma como o roteirista e o desenhista John Canning mostram o Reino Unido da época em que a trama se passa. Mesmo que, no presente caso, a história seja ruim, a sensação que temos é que, de alguma forma, há algo bem interessante, talvez advindo da boa relação do Doutor com o Brigadeiro, talvez pela forma como o pequeno enredo elenca vários ingredientes do cotidiano… O fato é que, em alguns quadros e tiras, a coisa funciona um pouco, mas isso não impede de a história inteira ter uma qualidade questionável

TV Comic #955 – 959
Roteiro:
 Roger Noel Cook
Arte: John Canning

.

Assassin from Space

estrelas 1

Equipe: 3º Doutor
Era: UNIT — Ano 1
Espaço-tempo: Reino Unido, anos 1970

Publicado durante a exibição de InfernoAssassin from Space é uma história bem curtinha, desenhada por Patrick Williams, que estreava nos quadrinhos do 3º Doutor. A trama tem uma premissa inteligente: uma espécie alienígena (um tipo de inseto com garras gigantes) descobre a existência do Doutor na Terra e percebe que ele é um tipo de salvador do planeta. Como é intenção desses aliens é empreender uma invasão, eles estabelecem que é mais seguro matar o Doutor antes de qualquer maior decisão, para que não acabem tendo surpresas desagradáveis, o que é um pensamento inteligente, diga-se de passagem.

A partir daí, as coisas acontecem aos atropelos e de uma forma nada agradável. O Doutor acaba conseguido vencer o bicho que o ataca e toda a espécie, com medo, vai embora. Simples. E horrível. Pelo menos os desenhos de Patrick Williams são legais. É bom vez um traço diferente dos sisudos modelos de John Canning.

TV Comic Holiday Special, 1970
Roteiro:
 Roger Noel Cook
Arte: Patrick Williams

.

Undercover

estrelas 0,5

UndercoversprayEquipe: 3º Doutor (+ UNIT e Brigadeiro Lethbridge-Stewart)
Era: UNIT — Ano 1
Espaço-tempo: Reino Unido, anos 1970

O Brigadeiro reporta ao Doutor o roubo de um “pequeno equipamento” da UNIT e cabe ao Time Lord tentar resgatá-lo. O cenário é, mais mais vez, geopolítico, como aconteceria muitas vezes durante a era do 3º Doutor.

Disfarçado de mulher (!) e utilizando um negócio chamado “spray da obediência” (!) o Doutor — imitando uma fala que seria característica do Mestre — consegue invadir o local onde a maleta roubada está (depois de enganar os guardas com seu spray e ser chamado de ‘Madame’) e acaba encontrando o Brigadeiro ao final do resgate. O Brigadeiro, pasme, está “disfarçado” de militar (!). Pois é. Uma história para ler e esquecer.

TV Comic Holiday Special, 1970
Roteiro:
 Roger Noel Cook
Arte: Patrick Williams

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.