Crítica | Doctor Who – Série Clássica: Planet of the Daleks (Arco #68)

estrelas 3

Equipe: 3º Doutor, Jo
Era: The Space War
Espaço: Spiridon
Tempo: 2540

Continuando exatamente onde fomos deixados no arco anterior, Frontier in Space, Planet of the Daleks retoma a ameaça apresentada brevemente em seu predecessor pelos arqui-inimigos do Doutor. Dirigido por David Maloney, responsável pelo inesquecível The War Games e roteirizado por Terry Nation – que se ausentara do seriado desde The Feast of Steven, episódio de natal de 1965 -, criador da malévola raça, a história ainda atua como uma espécie de continuação de The Daleks, não somente dando prosseguimento à trama apresentada em 1963, ainda com o 1º Doutor, como realizando inúmeros paralelos com o clássico arco.

As constantes semelhanças com o primeiro texto de Nation para Doctor Who já começam nos primeiros minutos do capítulo inicial. Após o Time Lord e Jo escaparem do planeta dos Ogrons e o Doutor contactar sua raça, pedindo auxílio, ele entra em uma forma de coma induzido a fim de se recuperar dos danos sofridos – algo já apresentado em The Daemons. Pouco após a TARDIS começa a se materializar em um diferente planeta e a companion prontamente decide investigar, a fim de buscar alguma ajuda para seu amigo. No meio de uma floresta, os paralelos com The Daleks se iniciam, pela similaridade da locação e, naturalmente, com semelhanças que só aumentam conforme o enredo se desenrola.

Mas aqui estamos centenas de anos após os acontecimentos em Skaro e os Thals, que reaparecem sabem da ajuda prestada pelo Senhor do Tempo em sua ainda primeira aparência. Dez anos após o início do que se tornaria a série mais longeva de todos os tempos, Nation realiza uma auto-homenagem, inclusive, trazendo lembranças do Doutor, que chega a mencionar Ian e Barbara, que com ele estavam na ocasião. Diversas vezes ao longo do roteiro, o escritor traz pontos específicos de volta, como a paralisia da perna do Doutor, semelhante à sofrida por Ian ou a utilização da armadura dos daleks como disfarce. Elementos esses fazem Planet of the Daleks servir também como uma espécie de revival do famoso arco, além, é claro, de apelar fortemente para a nostalgia dos fãs.

Isso não quer dizer, contudo, que a história não esteja ausente de defeitos. O arco conta com um evidente problema de ritmo, um enredo dilatado, que traz inúmeras repetições ao longo de seus seis episódios. Para isso percebermos, basta observar a grande quantidade de vezes que os personagens principais se vêem presos pelas cruéis criaturas, algo que acaba cansando o espectador. Além disso, sentimos que parte do texto foi subaproveitado. Ao invés de oferecerem uma maior participação ativa para a companion, principalmente quando o Time Lord está desacordado, ela é mais uma vez colocada no papel de donzela em perigo, atuando como uma coadjuvante muitas vezes esquecida e que contribui para o primeiro problema apresentado aqui, especialmente considerando a estrutura narrativa que se divide entre o Doutor, Jo e um grupo de Thals (ao menos por alguns capítulos).

Nation, porém, sabe do grande carisma de sua maior criação e sabiamente se apoia nos seres de caricatas vozes robóticas. A título de curiosidade, essa é a história que primeiro apresenta um Dalek com os bulbos de luz mais longos em sua parte superior, algo que seria utilizado mais amplamente na Nova Série. O que efetivamente falta é uma participação do Mestre, que atuara como principal antagonista em Frontier in Space, mas aqui se trata de uma impossibilidade, levando em conta o falecimento de Roger Delgado no mesmo ano – sua falta já começa a aparecer bastante cedo.

Mesmo diante de tais problemas, Planet of the Daleks funciona perfeitamente como a continuação do arco anterior. Trata-se de uma história que oferece um divertimento certo, mas que acaba cansando em certos pontos devido a uma maior lentidão. Seu paralelismo com The Daleks, porém, o torna imprescindível para qualquer fã de Doctor Who, trazendo mais uma entrada na longa história de conflitos do Doutor e os Thals contra seus temíveis adversários.

Planet of the Daleks (Arco #68) – 10ª Temporada
Direção:
 David Maloney
Roteiro: Terry Nation
Elenco: Jon Pertwee, Katy Manning, Bernard Horsfall, Prentis Hancock, Tim Preece, Jane How, Roy Skelton

Audiência média: 9,71 milhões

6 episódios (exibidos entre 07 de Abril e 12 de Maio de 1973)

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.