Crítica | Doctor Who – Série Clássica: The Wheel In Space (Arco #43)

The Wheel in Space

estrelas 4

Equipe: 2º Doutor, Jamie, Zoe
Espaço-tempo: Foguete Silver Carrier e Estação Espacial W3
Tempo: 2079

The Wheel In Space fecha a 5ª Temporada da série clássica de Doctor Who com mais um encontro do 2º Doutor com os Cybermen e a chegada de mais uma companion à TARDIS, a inteligentíssima Zoe Heriot. Depois da partida de Victoria em Fury from the Deep, estava evidente que só mais uma garota a bordo poderia diminuir a tristeza e a saudade de Jamie, que é quem mais sentiu a partida da antiga colega de aventuras. O Doutor se contém melhor em relação a isso, dizendo, em tom de reprovação a Jamie e um pouco de culpa: “Eu também gostava dela, sabia Jamie?”.

Um elemento narrativo muito característico dos arcos dessa temporada foi a construção ou o produto final de um plano vilanesco a partir da chegada do Doutor. À exceção de The Enemy of the World e The Web of Fear, o Time Lord encontrou situações aparentemente estranhas que foram ganhando força e maiores dimensões a partir de sua chegada. Outro ponto interessante é que a temporada começou e terminou com os Cybermen como vilões, uma sequência de invasão que ainda teria um outro passo a dar na temporada seguinte.

David Whitaker assina o roteiro do arco, que foi baseado em uma história de Kit Pedler. A aventura dessa vez se passa no espaço, mas o “elemento terráqueo” tão presente na temporada é parte da atmosfera. Os Cybermen seguem em sua engenhosa empreitada para dominar a Terra e o modo como conseguem programar toda a sequência de acontecimentos que vemos nesse arco é realmente espantoso.

O episódio de abertura é bastante vago em seu propósito, o que nos dá a impressão de ser um filler no meio da história. Tudo bem que, devido as especificidades que conheceríamos mais adiante, seria necessária uma apresentação quase didática, mas isso não justifica a grande demora para que essa apresentação fosse feita. De qualquer forma, o final desse capítulo traz um intrigante cliffhanger e então as cosias começam a ficar boas.

Além da chegada clandestina de Zoe à TARDIS (falaremos um pouco mais sobre isso adiante), temos a primeira vez em que o nome John Smith é utilizado em um episódio da série, dito em um momento de desespero de Jamie a uma das cientistas da Estação Espacial W3.

Algo que notamos imediatamente é a química entre Jamie e Zoe, principalmente porque o rapaz quer impressionar a garota e não aceita o fato dela ser mais inteligente que ele, sempre com respostas para tudo. Como a abordagem do escocês nunca é agressiva, de imediato consideramos que seria interessante ver os dois viajarem juntos com o Doutor. E dito isso, chegamos à sequência final o arco.

Mesmo com saudade de Victoria e ainda triste por estar sozinho, Jamie se mostrava leal ao Doutor, não revelando os segredos da TARDIS para Zoe, que se aproveita de um momento de descuido e se enfia em um baú da nave, fugindo da Estação Espacial onde trabalhava para poder viver aventuras que desafiassem a sua forma lógica de ver as cosias. É claro que isso não é dito nesse momento, mas a garota já havia comentado a respeito e a decisão dela em querer acompanhar o Doutor é uma prova clara disso.

Com clássicos elementos de ficção científica, batalha árdua para conseguir o resultado almejado contra os vilões (me lembrou um pouco os eventos de The Moonbase) e a chegada de uma nova tripulante à TARDIS, The Wheel In Space é um bom arco de encerramento de temporada, mesmo que falhe na tentativa de criar um cliffhanger incógnito. Fica mais que evidente que Zoe iria seguir os viajantes do tempo, portanto, a semente da dúvida plantada é bastante boba e dá a entender outra coisa. Mesmo assim, a história recebe um final bacana e acende no público a esperança de um novo tom para os arcos na temporada seguinte, o que realmente aconteceria.

The Wheel In Space (Arco #43) – 5ª Temporada – Season Finale

Direção: Tristan de Vere Cole
Roteiro:
David Whitaker, Kit Pedler
Elenco principal: Patrick Troughton, Frazer Hines, Kenneth Watson, Michael Goldie, Michael Turner, Donald Sumpter, Deborah Watling, Wendy Padbury

Audiência média: 7,25 milhões

6 Episódios (exibidos entre 27 de abril e 01 de junho de 1968).

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.