Crítica | Driveclub

estrelas 4

Driveclub é um jogo exclusivo de Playstation 4 desenvolvido pela Evolution Studios, produtora de Motorstorm, famosa série de corrida que deixou sua marca no Playstation 3. As semelhanças de um jogo para outro, porém, são pouquíssimas. Se o jogo de rali focava em variações de veículos e cenários destruídos, o exclusivo da Sony para a nova geração foca em carros licenciados e estradas com belas paisagens.

Não se trata de um jogo do tipo “Velozes e Furiosos”. Meninas com mini-shorts, competições no meio de cidades contra pilotos descolados e carros tunados não dão as caras em Driveclub. Até por isso, o jogo se reveste de um caráter de elegância contribuído por um menu simples e pela gama de desafios pouco mirabolante. Campeonatos, drifts e time events são as únicas opções do modo single player, que tem como objetivo a conquista de medalhas nesses modos para se abrir disputas mais difíceis. Mas isso não significa que o jogo seja chato ou maçante.

driveclub2

Por ser um game arcade, a mecânica é fácil de se aprender e dá margem para qualquer jogador eventual se tornar um bom piloto e se divertir. Também não se trata, nesse sentido, de um Grand Turismo, até mesmo porque a licença das marcas é bem menor. Mas por sua simplicidade e por não errar na jogabilidade que se propõe utilizar, é um jogo bem sucedido e que permite boas horas de entretenimento.

O ponto alto de toda experiência é o gráfico. Se o modo para um jogador não propõe nada original e pode se tornar repetitivo para um fã de jogos de corrida, voltar a correr é válido pelas lindas estradas permeadas de cenários magníficos de inúmeros países. Reino Unido, Canadá, Chile, Índia e a gelada Noruega dão ao jogador uma sensação de paz e adrenalina ao se acelerar à 120 por hora em uma estrada cheia de folhas de árvores sob a luz de um forte sol. A famosa transição do dia para a noite – bons tempos de Enduro e Top Gear – também ressalta a sensação de liberdade, essencial em um jogo de corrida. O fator replay do jogo, tanto pela beleza quanto pela luta por medalhas, é outro ponto positivo.

A ideia de se criar um clube e convidar amigos para se propor desafios aos outros clubes também é ótima, mas difícil de ser executada. Seja pela falta de amigos que possuam PS4, seja pela queda constante de servidores da Sony, esse é um aspecto um pouco original que pode ser aperfeiçoado em possíveis sequências. Quando o modo online funciona, porém, é viciante bater seu próprio recorde em um time event, por exemplo, para continuar correndo e tentar bater a sombra do carro de um jogador online que o superou por milésimos de segundo.

A trilha sonora do jogo é praticamente inexistente. Descobri, para minha surpresa, que existe uma trilha original gravada pela banda galesa Hybrid, mas todas as músicas são eletrônicas e estão desligadas no default do jogo, sabe-se lá o porquê. De fato, a ausência de música combina com o modesto game que parece preferir ressaltar a experiência visual acima de tudo. Mas uma trilha variada, no mesmo estilo feito em Burnout: Paradise – que ia de Tchaikovsky para Guns e de Vivaldi para Avril Lavigne – poderia ter sido uma boa opção para dar mais vida ao jogo.

driveclub1

A inteligência artificial é bem trabalhada e dificulta o trabalho do jogador. Para se ter noção, terminar uma corrida sem batidas vale um troféu de ouro. E caso você provoque a batida, ou corte um caminho, o jogo te pune por três segundos sem poder acelerar. Nesse aspecto, por mais arcade que seja, Driveclub preza pela corrida técnica e limpa.

A falta de maior customização e a física pouco realista podem atrapalhar quem espera um jogo de corrida completíssimo. Mas já foi possível notar que a Evolution Studios não focou em aprimorar o sistema dos carros em si. De real, bastou as marcas e os países. Simples mas não simplório, Driveclub é um jogo de corrida bem-vindo à nova geração, que não inventa muito e praticamente não desliza no modelo de jogo que segue. Consegue divertir tanto o jogador fortuito quanto o viciado em games de corrida e ainda traz um dos mais bonitos gráficos do gênero para consoles, que merece ser visto pelos donos de Playstation 4.

Driveclub
Desenvolvedor: Evolution Studios
Lançamento: 7 de outubro de 2014
Gênero: Corrida
Disponível para: PS4

ANTHONIO DELBON . . . Ressentido como Vegeta, não suporto a beleza nos outros. Escondo minhas taras em falsas profundidades e não titubeio em dizer um taxativo não aos convites para experimentar os gostos do mundo. O mundo tem gostos demais, livros demais, críticas demais. Escrevo porque preciso – viver, não sobreviver - e viajo fluidamente sem sair do lugar. Na madrugada, nada melhor do que a guitarra de Page ou a voz de Yorke para lembrar da contingência do pó, ainda que nossa tragicômica vida mereça ser mantida, seja por distração ou por vício, como diria Cioran.