Crítica | Empire: Trilha Sonora Original da 1ª Temporada

estrelas 2

Nesse começo de ano uma série conseguiu definitivamente conquistar os americanos, gerando uma audiência enorme para a Fox (leia crítica da primeira temporada, aqui). Empire traz como sinopse um drama familiar envolvendo um grande chefão da indústria musical e a luta de sua família para ocupar seu trono e funciona muito bem na proposta de mostrar a atual indústria da música. O Glee do Hip-Hop – como é chamada por alguns – possui Timbaland como compositor e produtor musical da atração. Se a série por um lado consegue retratar bem a indústria do hip-hop e do R&B atual, por outro, sua trilha sonora cai nas armadilhas do mesmo.

A compilação de músicas da primeira temporada possui 18 faixas que revezam entre alguns poucos momentos e outros (a maioria) que soam cômicos de tão raso conteúdo musical. O rapper Timbaland imprime aqui grande parte de suas características como um competente produtor musical, sabendo lidar bem com o processo de edição, remixagem e produção das músicas, se assemelhando ao que fez no recente disco póstumo de Michael Jackson. Timbaland insere batidas que viciam o ouvinte, mas que mascaram um trabalho pouco inovador. Tudo soa muito clean, pouco orgânico, bastante repetitivo e com um volume que corrobora com a “guerra dos sons” travada entre gravadoras (saiba mais, aqui). Em outras palavras, Empire cai na armadilha da própria indústria que referencia no programa.

O lado comercial da trilha retrata em grande parte o hip-hop comercial e sem atitude que dominou parte da indústria, sendo mostrado com força através do personagem Hakeem, interpretado por Yazz. O primeiro single do personagem, Drip Drop, exemplifica isso com letra e melodia absurdamente fracas, mostrando uma música materialista, rasa e sem objetivo diferente de venda. O personagem é quase uma menção direta a Chris Brown, assim como – coincidência ou não – sua namorada interpretada por Serayah McNeill possui timbre similar ao de Rihanna, como mostra Keep It Moving.

Empire mostra um lado R&B bem forte, levado com força pelo personagem Jamal de Jussie Smolett. Se trata claramente do mais talentoso artista da trilha, lembrando um pouco Frank Ocean, seja em composição, timbre ou sua opção sexual que gera polêmica no mercado do hip-hop (explorada em Good EnoughKeep Your Money), forte tema na série. O ponto negativo de Jussie aqui é a extrema semelhança de suas músicas com canções de Justin Timberlake e outros artistas pop do R&B atual, sem apresentar um diferencial. Se não fosse esse problema, faixas como Conqueror e You’re So Beautiful, onde participa, poderiam ter uma relevância maior para o disco.

A trilha também possui participações de artistas populares, como a participação contrastante da eterna odiada pelos fãs do Nirvana, Courtney Love, em Walk Out On Me. Um arranjo bastante fraco que se sustenta na interpretação “viciada” da cantora. Há também espaço para Jennifer Hudson, revelação do Soul atual, mostrar seu talento vocal em Remember The Music. Mas o ponto alto do disco vem em Money For Nothing, que tinha tudo pra desagradar por se tratar de um cover de um clássico transferido para um gênero diferente. No entanto, não desaponta, entregando um cover ousado, onde a guitarra clássica de Mark Knopler marca boas transições entre as batidas eletrônicas de Timbaland. NY Raining fecha o álbum apresentando uma característica forte no mercado atual: a mistura de hip-hop com samplers e refrões de R&B, se tornando facilmente uma das melhores faixas. Com essas mesmas características também é decepcionante a canção mais inspirada de Yazz, Nothing But A Number, ou a parceria de Terrence Howard e Jussie Smollett, Nothing To Lose, não estarem inclusas na compilação.

Em curtas palavras, a trilha de Empire é exatamente a indústria que ela satiriza: falha e pouco inspirada. É verdade que também sabe aproveitar boas influências do R&B e sabe escolher pessoas capacitadas vocalmente para sua trilha. No entanto, o império de Lucious Lyon é um império de um hip-hop que cresceu em meio a riquezas e canta falsamente sobre as ruas, de um R&B que aparentemente não sabe mais ousar. Uma cópia barata de um mercado que não consegue se reinventar.

Empire: Original Soundtrack From The Season 1
Artista: Vários
País: Estados Unidos
Lançamento: 10 de março de 2015
Gravadora: Columbia
Estilo: Hip-hop, R&B, Pop

HANDERSON ORNELAS. . . Estudante de engenharia química, cantor de chuveiro e tocador de guitarra de ar. Seja através dos versos ácidos de Kendrick Lamar, a atitude de Bruce Springsteen, ou a honestidade de Tim Maia, por seus fones de ouvido ecoam ondas indistinguíveis. Vai do sangue de Tarantino à sutileza de Miyazaki, viajando de uma galáxia muito, muito distante até Nárnia. Desbravador de podcasts e amante de indie games, segue a vida com um senso de humor peculiar e a certeza de que tudo passa - menos os memes.