Crítica | Férias Frustradas (2015)

estrelas 2

Lançado em dezembro de 1983, o Férias Frustradas original dirigido por Harold Ramis e concebido pelo mago John Hughes pelo selo National Lampoon foi, e permanece, um perfeito road movie que explorava bem as possibilidades da comédia de erros. Mesmo com três continuações lançadas (incluindo férias na Europa, no Natal e em Las Vegas), a franquia não escapou de um novo capítulo que busca rebootar a história

A trama nos coloca junto a Rusty Griswold (Ed Helms), filho adulto do casal Clark (Chevy Chase) e Ellen (Beverly D’Angelo), que agora sustenta sua própria família, que inclui a esposa Debbie (Christina Applegate) e os irmãos James (Skyler Gisondo) e Kevin (Steele Stebbins). Assim como no original, o patriarca resolve fazer uma viagem de carro para chegar ao parque de diversões Walley World, na esperança de tirar a família da rotina.

Conhecidos apenas pelo roteiro dos dois Quero Matar Meu Chefe, a dupla John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein assume tanto o texto quanto a direção deste novo Férias Frustradas, e confesso que me empolguei quando – logo no primeiro ato – Rusty explica para sua família que a nova viagem não será uma mera cópia da original e que se sustentará sozinha. Uma metalinguagem divertida e que foi usada brilhantemente pelos dois Anjos da Lei, mas que infelizmente representa, aqui, o momento em que o espectador morde a isca de uma armadilha muito ruim.

Nenhuma das piadas é realmente capaz de fazer o espectador rir, sendo pautadas principalmente em trocadilhos óbvios e escatologias. A subtrama do caminhoneiro na linha de Encurralado instiga no começo, mas tem um desfecho tão… frustrante, assim como a chegada da família no cobiçado Walley World: no primeiro, o parque se encontrava deserto e fechado, desencadeando a ira do protagonista e fazendo-o sequestrar um segurança para um dos passeios mais embaraçosamente engraçados de todos os tempos. Enquanto não estragarei a surpresa aqui, resta dizer que é algo que nem de longe é tão marcante; é genérico, na verdade.

Ed Helms até consegue segurar as pontas como um Rusty que definitivamente é filho do Clark Griswold de Chase, mas falta, ali, a química que tornou o original tão divertido. É interessante a inversão de papéis de se ver um irmão mais velho sofrendo bullying do mais novo, e o novato Skyler Gisondo convence como um nerd legítimo, mas o humor não vai além da insistência do mais jovem em comprovar que seu irmão tem uma vagina. E Chris Hemsworth, tão destacado na campanha de marketing, decepciona com um personagem sem graça e com pouco tempo de cena para tornar-se memorável – sua “melhor” piada já estava no trailer, e você provavelmente já sabe qual é. Por fim, não sei quem teve a ideia de desenterrar Christina Applegate…

O novo Férias Frustradas não diverte nem faz rir como o original da National Lampoon, limitando-se a uma historinha com poucas reviravoltas realmente engraçadas ou chocantes. Definitivamente, os Griswold não precisavam sair de casa novamente.

Férias Frustradas (Vacation, EUA – 2015)
Direção:
John Francis Daley, Jonathan M. Goldstein
Roteiro:
John Francis Daley, Jonathan M. Goldstein
Elenco: Ed Helms, Christina Applegate, Skyler Gisondo, Steele Stebbings, Chris Hemsworth, Leslie Mann, Chevy Chase, Beverly D’Angelo, Charlie Day, Catherine Missal
Duração: 99 min.

LUCAS NASCIMENTO . . . Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.