Crítica | Friends From College – 1ª Temporada

Friends_from_College plano critico

estrelas 2

Friends from College é uma série que tinha de tudo pra dar certo. Pra começar, ela é uma criação de Nicholas Stoller, um cara que tem em seu currículo a direção de Ressaca de Amor, O Pior Trabalho do Mundo, Vizinhos e Vizinhos 2, além de ter escrito e dirigido a divertida animação Cegonhas: A História que não te Contaram. No time dos atores, temos talentos como Keegan-Michael Key (da excelente série cômica Key & Peele), Cobie Smulders (a Robin, de How I Met Your Mother), Fred Savage (o eterno Kevin, de Anos Incríveis) e Billy Eichner (de Parks & Recreation e Difficult People), entre outros menos conhecidos, mas competentes. Além de tudo, a série é uma produção original da Netflix, plataforma conhecida por dar liberdade total aos seus criadores. No entanto, o resultado final dessa equação é muito inferior ao esperado.

A série abre nos mostrando Ethan (Key), um escritor em crise que é casado com sua namorada da época da faculdade, a advogada Lisa (Smulders), enquanto mantém um caso (que já dura 20 anos) com a também casada Sam (Parisse), que estudou com os dois em Harvard. A situação se torna delicada quando Ethan e Lisa se mudam pra Nova York e o velho grupo de amigos se reúne pela primeira vez em anos. Esse grupo também inclui o mulherengo Nick (Faxon), o agente literário Max (Savage), e a peculiar atriz Marianne (Park). Aquilo que começa como uma reunião alegre vai gradualmente se tornando num festival de rancores antigos e emoções reprimidas, enquanto Ethan e Sam se esforçam, de maneira hercúlea, para que seu caso permaneça vivo e em segredo.

Misturar drama e comédia é algo que vem se tornando cada vez mais comum no mundo das séries. A própria Netflix tem dois excelentes exemplos desse tipo de produção em seu catálogo, Love e Master of None. Friends from College tenta pegar esse bonde, mas falha especialmente na parte dramática. Enquanto os personagens das duas séries supracitadas são complexos e multifacetados, mesclando características positivas e negativas e, dessa forma, possibilitando uma identificação por parte do espectador, aqui todo mundo é quase que inteiramente detestável.

A escolha da série em focar grande parte do seu tempo no caso entre Ethan e Sam só piora as coisas, já que não há nenhum motivo para que torçamos pelo sucesso do affair (e isso não é nenhum julgamento de valor em relação à traição em si), afinal, os dois são pessoas péssimas e é mais do que natural torcermos para que sejam pegos em sua infidelidade. Não que o resto do elenco esteja muito distante em termos de detestabilidade. O grupo inteiro é formado por gente mimada que não está nem aí para os outros.

Como se isso não bastasse, ninguém na série parece real. Durante diversos momentos, o espectador vai se ver estupefato diante de certas atitudes totalmente desproporcionais e forçadas por parte dos personagens. Por exemplo, Ethan tem um tique quando fica nervoso: ele começa a falar com vozes cartunescas e a se comportar como uma criança. Em outro momento, Max, Ethan e Nick se reúnem para uma sessão de brainstorming e acabam cheirando cocaína e apostando por quanto tempo uma pizza grudada no teto demora para cair. Ou então quando, durante uma festa de casamento de um amigo em comum, Ethan fica com ciúmes quando Sam se reencontra com um ex-namorado de Harvard (numa ponta excelente de Seth Rogen), que é claramente é mais popular do que ele, e começa a agir de maneira detestável e totalmente artificial. A questão não é que esse tipo de humor não possa funcionar, mas quando a série se propõe a ser uma “dramédia“, um mínimo de realismo é esperado.

Friends of College não é pior coisa do mundo, ou até mesmo do catálogo de produções originais da Netflix (vide Flaked e Girlboss). É possível se divertir assistindo a série? Sim, e o fato de serem apenas oito episódios colabora nesse aspecto. Porém, conforme mencionado na introdução, fica aquele gostinho de que poderia ter sido muito mais. No fim das contas, a série é uma representação bem fiel do que geralmente são esses encontros de amigos que não se vêem há muito tempo: muito melhor na teoria do que na prática. Pelo menos ela acaba mais rápido do que esses eventos torturantes geralmente duram.

Friends From College – 1ª Temporada (EUA – 14 de julho de 2017)
Criação: Nicholas Stoller e Francesca Delbanco
Direção: Nicholas Stoller
Roteiro: Nicholas Stoller e Francesca Delbanco
Elenco: Keegan-Michael Key, Annie Parisse, Jae Suh Park, Fred Savage, Nat Faxon, Cobie Smulders, Greg Germann, Billy Eichner, Griffin Robert Faulkner, Jeté Laurence, Francesca Delbanco, Romy Byrne, Chris Smith, Christopher Nicholas Smith, Ike Barinholtz, Brad Morris, Heather Burns, Barry Godin
Duração: 30 min. por episódio (oito episódios)

ANDRÉ DESCROVI . . . Professor de inglês formado pela Greendale Community College. Mestre em Língua Suméria pela Miskatonic University. Doutor em Psiquiatria pelo Lecter Institute of Mind Studies. Membro do conselho de diversas corporações, entre elas: Bluth Company, Dunder Mifflin, Kramerica Industries e Vandelay Industries. Atualmente reside em Carcosa, onde trabalha como consultor de crimes ritualísticos para a empresa Cohle & Hart. (93 é o sentido da vida.)