Crítica | Gotham – 3X08: Blood Rush

estrelas 4

Obs.: Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da temporada aqui.

No que claramente consiste em uma das maiores construções de personagem exibidas em Gotham, Blood Rush, enfim, faz com que Nathaniel Barnes perca aquele parafuso que faltava, se entregando totalmente à sua ira, que estivera contida desde que o sangue de Alice entrara em seu sangue. Mais uma vez somos proporcionados um episódio de Gotham que sabe dosar o foco em cada indivíduo retratado, nos entregando um capítulo dinâmico que acaba contribuindo muito para a progressão da temporada como um todo. 

Jim Gordon está de volta na GCPD e os primeiros minutos do episódio chegam a nos fazer temer pela volta da estrutura de vilão da semana. Isso é, até enxergarmos Barnes se aproximando de um homem com aparência muito suspeita. Desde já sabemos o que irá acontecer – o capitão da polícia estava à beira de explodir há alguns episódios e é exatamente isso o que acontece aqui. Após assassinar o homem que perseguira, uma investigação criminal tem início, com Gordon e Bullock procurando o homem que está exatamente ao lado deles. Enquanto isso, Edward Nygma teme realizar alguma ação violenta em relação à sua nova namorada, cuja aparência o lembra constantemente da srta. Kringle, algo que o Pinguim utiliza a seu favor, é claro.

Algo que nos tem chamado a atenção de Gotham há algum tempo é como cada episódio nos faz sentir algo bastante diferente – cada subtrama provoca um diferente sentimento, que garante o caráter único de cada capítulo, compondo esse quadro de loucura que tomara a cidade durante essa temporada. Aqui somos jogados de volta ao princípio da série, com Harvey e Jim lado a lado novamente, mas é nítido que algo está totalmente diferente. Para começar, o roteiro não demonstra uma preocupação exagerada em relação à investigação policial, essa não é uma série desse gênero. Ao invés disso, o foco permanece no psicológico dos personagens, seja James tendo de lidar com Lee ou Barnes lutanto contra seus instintos assassinos.

Esse estado do capitão da polícia traz uma boa dose do inesperado – não sabemos o que ele irá fazer a seguir e a violência permanece à espreita na esquina a todo momento. Apenas nos momentos finais isso é quebrado e caímos em algo bastante previsível, com o assassinato do cirurgião plástico e Gordon descobrindo o culpado por trás do crime. Já esperávamos essa resolução há algum tempo, afinal, em algum momento o protagonista do seriado precisa ascender de posição na polícia – apesar que, em virtude dos últimos acontecimentos, não acreditemos que Harvey entre no lugar dele antes. Do lado de Nygma, sua relação com a bibliotecária já começa a cansar – há uma grande irrealidade naquilo tudo, do lado da mulher, é claro, que, se não tiver uma razão maior por estar ao lado de Edward, soará artificial demais. Felizmente o Pinguim está presente para tirá-la da jogada, ainda que muito provavelmente ela tenha sobrevivido ao “acidente”. E se, de fato, tiver encontrado seu fim, isso irá gerar uma cisão entre o prefeito e seu assistente, trazendo uma nova e interessante subtrama ao seriado.

Blood Rush, apesar de seus deslizes, não decepciona e mesmo seus erros abrem caminho para desdobramentos que certamente irão alterar todo o tabuleiro de Gotham. Resta esperar para que as peças se movimentem de forma orgânica, permanecendo com essa fluidez narrativa que tomara conta da temporada. Nos aproximamos do midseason finale e o cenário já está sendo preparado, nos deixando na dúvida se, enfim, veremos Jim Gordon como capitão da polícia e o Pinguim de volta à sua loucura que estamos acostumados, por mais que ela não tenha se escondido totalmente.

Gotham 3X08: Blood Rush – EUA, 2016
Showrunner:
Bruno Heller
Direção:
Rob Bailey
Roteiro:
Tze Chun
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, Erin Richards, Cory Michael Smith, Jessica Lucas, Richard Kind, Michael Chiklis, Drew Powell, Chris Chalk, Morena Baccarin, Jamie Chung
Duração:
42 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.