Crítica | Gotham – 3X09: The Executioner

estrelas 5,0

Obs.: Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da temporada aqui.

Jim Gordon sequer teve um momento para respirar ao voltar para a GCPD, como vimos em Blood Rusho policial já foi pego de surpresa pela revelação de que seu superior, o capitão Barnes, possivelmente está envolvido com uma série de assassinatos de criminosos da cidade. Com The ExecutionerGotham demonstra toda a coesão que tomara conta da série nesta temporada, evidenciando o cuidado dos roteiristas em encadear um fato no outro. Estamos diante de um seriado de vinte e dois episódios que, praticamente, não conta com nenhum filler, algo verdadeiramente surpreendente para seriados nesse formato – Megan Mostyn-Brown, como roteirista chefe, verdadeiramente sabe o que faz.

No caso de The Executioner, nono episódio da terceira temporada, o texto está nas mãos de Ken Woodruff, um dos showrunners do seriado e não é por menos, visto a importância dos eventos que aqui ocorrem. Após ouvir o testemunho do cirurgião assassinado, Jim parte em uma investigação secreta contra Barnes, fato que apenas confia a seu parceiro, Harvey e sua ex, Lee. Não demora muito para o capitão da polícia fisgar o que está acontecendo, criando um forte suspense na narrativa, ao passo que não sabemos o que se passa em sua cabeça. Em paralelo, Edward Nygma descobre sobre a morte de sua amada e logo passa a desconfiar que não fora apenas um acidente. Do outro lado da cidade, Bruce e Selina são surpreendidos pela nova aparência de Ivy, que agora conta com o corpo de uma adulta e está sendo perseguida por figuras misteriosas.

Evidente que a trama principal gira em torno de Gordon e Barnes, é isso o que nos mantém fisgados na história, temendo por um conflito que irá gerar a morte de um dos lados. Logo no início do capítulo, através de Bullock, somos lembrados do histórico invejável do capitão, um homem justo e totalmente limpo, o que apenas torna sua queda ainda mais trágica. É interessante que vemos a formação de um vilão que não demonstrara traços de loucura anteriormente: ele é tanto uma vítima quanto aqueles que assassina, manchando seu nome para sempre. O roteiro de Woodruff espertamente traz essa questão à tona constantemente, não permitindo que esqueçamos que esse é um herói caído, destruído pelas loucuras da cidade que jurou defender.

A tensão e expectativa, porém, não se limitam a esse lado da história. A investigação pessoal de Nygma, que obviamente chegaria a conclusão de que não fora um acidente que matara Isabella, nos mantém a todo momento na dúvida se ele irá conectar os fatos a Oswald. Aqui a figura do Pinguim ganha ainda mias profundidade: não sabemos se torcemos por ele ou não – sabemos a sua motivação para assassinar a amada de Nygma, mas, ao mesmo tempo, o enxergamos como uma figura profundamente egoísta, que não se importa com a felicidade de seu amigo/paixão. Edward, por outro lado, demonstra, ironicamente, uma personalidade mais unilateral – a cada momento da série ele tem uma motivação diferente: sair da prisão, eleger Cobblepot, se entregar a sua recente paixão. Woodruff ainda faz uma brincadeira com isso, com o Pinguim dizendo que o futuro Charada apenas conehce ela há uma semana.

O lado da história de Bruce, por sua vez, nos traz um necessário alívio cômico através de sua relação com Selina. Evidente que aqui a atmosfera de suspense e investigação também se constrói, mas em todas as cenas o roteiro sabe muito bem encaixar humor, de forma que descontraímos de tudo o que está ocorrendo no restante do episódio. Claro que Harvey também cumpre essa função, trazendo até uma brincadeira metalinguística do roteiro com a fala “eu estive fora por uma hora!”, refletindo o ritmo acelerado, porém fluido, que a série adotara já há algum tempo.

The Executioner, enfim, nos traz o que aparenta ser o desfecho de mais um arco da série. As consequências das ações do Chapeleiro já foram, até segundo aviso, todas desencadeadas, gerando o encarceramento do capitão da polícia, abrindo o possível espaço para Jim ascender dentro da delegacia. Resta saber se o seriado irá colocar outro novo personagem em seu lugar, ou deixará Gordon um passo mais próximo de como o conhecemos nos quadrinhos. Depois disso ele vai precisar deixar o bigode crescer, é claro.

 Gotham 3X09: The Executioner – EUA, 14 de novembro de 2016
Showrunner:
Bruno Heller
Direção:
John Behring
Roteiro:
Ken Woodruff
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, Erin Richards, Cory Michael Smith, Jessica Lucas, Richard Kind, Michael Chiklis, Drew Powell, Chris Chalk, Morena Baccarin, Jamie Chung
Duração:
42 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.