Crítica | Gotham – 3X14: The Gentle Art of Making Enemies

gotham-3x14-plano-critico

estrelas 5,0

Obs.: Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da temporada aqui.

O final de Smile Like you Mean It já deixara bem claro que o próximo capítulo de Gotham traria o Inferno da Terra, mas definitivamente não esperávamos algo dessa magnitude, que justifica perfeitamente o subtítulo dessa temporada, Mad City. Estamos falando de um seriado que demorou a encontrar sua linguagem, que lutou em suas duas primeiras temporadas para se estabelecer em termos narrativos e que eu ousaria dizer que encontrou o seu ápice aqui em The Gentle Art of Making Enemies, um episódio que não apenas respeita o material original, como consegue construir seus personagens e a própria cidade de forma brutal, angustiante e devastadora. Mais uma vez nos vemos dentro de um divisor de águas dentro do seriado e nada será o mesmo daqui para a frente.

Após a explosão da central de energia de Gotham, toda a cidade cai na escuridão, abrindo espaço para que seus cidadãos demonstrem suas verdadeiras faces. O caos se instaura, com os seguidores de Jerome ensinando o que significa a loucura. Enquanto isso, Gordon e Bullock vão atrás desse vilão, que parece ter seu olhar fixo em Bruce Wayne. Do outro lado, temos o Pinguim, descobrindo que Nygma estava por trás dos trágicos acontecimentos que marcaram sua vida nos últimos capítulos.

O roteiro de Vincent Romano tomou para si a difícil tarefa de adaptar A Piada Mortal para a televisão, não estamos falando de uma adaptação fiel, mas que utiliza o famoso quadrinho como base para as peripécias de Jerome no capítulo, inclusive fazendo o vilão utilizar um chapéu similar ao Coringa na obra de Alan Moore. Felizmente, Romano acerta em cheio, nos entregando um texto com urgência que se esbanja de referências bem inseridas, fazendo com que a brutalidade de Gotham chegue a um nível ainda não visto no seriado.

Jerome está realmente assustador e enxergamos nele traços dos diferentes Coringas que já apareceram em tela – de Mark Hamill a Heath Ledger, podemos ver como essas interpretações influenciaram Cameron Monaghan na composição de seu personagem e ele não nos entrega apenas uma cópia e sim algo próprio, que, finalmente, se estabelece como um vilão de verdadeiro destaque dentro da série. Estamos falando da personificação do caos, da psicopatia – ele não tem um motivo claro, apenas quer matar, destruir e liberar o que há de pior nas pessoas. O clímax ainda aproveita para construir a figura de Wayne, em uma das cenas mais brutais de todo o seriado, definindo a regra do Morcego de nunca matar, o que é reiterado nos momentos finais do capítulo em uma sequência que evidentemente se inspira em Ano Um através das cores utilizadas.

O lado do Pinguim, por sua vez, segue por um caminho mais intimista, com o personagem tendo os resquícios de sua humanidade destruídos totalmente. A grande fraqueza de Cobblepot sempre fora seus relacionamentos: vide sua mãe, seu pai e agora Nygma. Finalmente o personagem perde tudo, exatamente onde Gordon fora forçado a mata-lo na primeira temporada. Evidente que Oswald ainda não morreu, mas o que veremos futuramente, provavelmente, será um personagem totalmente diferente, mais frio e completamente sozinho, sem requisitar da ajuda dos outros para conseguir o que quer.

The Gentle Art of Making Enemies, no fim, se estabelece como um dos episódios mais potentes de Gotham, nos entregando um dramático e angustiante winter finale. O que veremos daqui para frente é um mistério, mas é de se esperar que tudo tenha mudado na série, especialmente para Bruce e Oswald. Especulamos que os próximos capítulos irão focar, finalmente, na Corte das Corujas, mas tudo fica no território da especulação, enquanto o seriado entra em mais um hiato, retornando apenas no dia 24 de abril.

Gotham 3X14: The Gentle Art of Making Enemies – EUA, 30 de janeiro de 2017
Showrunner:
Bruno Heller
Direção:
Louis Shaw Milito 
Roteiro:
Vincent Romano
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, Erin Richards, Cory Michael Smith, Jessica Lucas, Richard Kind, Michael Chiklis, Drew Powell, Chris Chalk, Morena Baccarin, Jamie Chung, Cameron Monaghan
Duração:
43 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.