Crítica | Gotham – 3X18: Light the Wick

estrelas 4,5
Obs: Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da temporada aqui.

Seguindo a mesma premissa de The Primal Riddle, de colocar todas as peças do tabuleiro no lugar, Light the Wick continua a se aprofundar nos planos da Corte das Corujas, deixando tudo pronto para o season finale, com todos os personagens da série ligados a essa sociedade secreta de alguma forma. Enquanto isso, a trama principal continua parecida com a de Batman Begins, especialmente agora que um dispositivo que transforma o líquido em vapor dando as caras em Gotham. Além disso, é preciso notar como o capítulo fortalece a coesão de toda a temporada, trazendo alguns elementos previamente estabelecidos, como se tudo estivesse nos levando para esse ponto.

Depois de entregar Nygma para a Corte e ser aceito, enfim, como membro, Jim tenta descobrir mais sobre Kathryn e, no processo, acaba demandando que quer fazer parte do círculo mais interno. É nessa manobra ousada que descobre os planos da Corte de transformar o vírus de Alice Tetch (irmã do Chapeleiro) em uma arma, que irá causar o caos em toda a cidade. Enquanto isso, o Pinguim, obcecado por encontrar Edward, vai atrás de Gordon, acreditando que esse pode colocá-lo em contato com a Corte, que mantem o Charada preso. Do outro lado do mundo, temos Bruce continuando seu treinamento, aprendendo que, para se tornar imbatível, deve se libertar de sua ira.

É gratificante enxergar como todas as subtramas da série estão conectadas, algo que raramente vemos em Gotham ou em qualquer outra série. Tudo parece girar em torno da Corte e o roteiro de Tze Chun busca deixar isso bem claro. Até mesmo a irritante tentativa de Lee em acabar com Jim, algo que já está cansando, tamanha a repetitividade, está ligado à investigação do detetive, podendo estragar tudo pelo qual ele lutara até esse ponto. Ao menos, ao que parece, presenciamos um desfecho dessa subtrama ou sua pausa, para que a série foque em elementos mais pertinentes: afinal, Jim já corre perigo o suficiente sem sua ex tentando acabar com ele.

A utilização do vírus de Alice Tetch e a consequente reaparição de Barnes e Strange foi a manobra certa a se seguir, abrindo um diálogo com tudo o que se passou na primeira metade dessa temporada, que passa a soar menos isolada agora. Temos, portanto, a sensação de que, desde o início, havia o plano de utilizar o sangue dessa personagem para servir como a grande arma da Corte. Além disso, por já ter sido apresentado antes, esse elemento da trama dispensa mais detalhes aqui no ponto em que estamos, possibilitando, portanto, que a narrativa siga fluidamente, sem grandes interrupções. O próprio Barnes, que é solto ao fim do episódio, já nos afasta da possibilidade de termos um vilão da semana no capítulo seguinte, já que ele fora devidamente trabalhado durante essas últimas temporadas.

Mesmo o arco de Bruce se torna ainda mais relevante, com os diálogos entre o shamam e Kathryn, que expõem suas verdadeiras intenções em treinar o garoto. Evidente que Wayne está sendo utilizado para cumprir um propósito nefasto e, aqui, novamente as similaridades entre GothamBatman Begins aparecem, nos dando a entender que, em algum ponto, Bruce terá de lutar contra esse shaman ou, ao menos, com a Corte das Corujas. Considerando seu treinamento intensivo, seria interessante ele provar ser uma ameaça para a Corte e seus assassinos, ainda que seja mais provável que ele vá combater seu clone malvado.

Light the Wick, portanto, nos leva cada vez mais para perto do season finale dessa terceira temporada de Gotham, sabendo avançar cada uma de suas subtramas, sem nos fazer passar por qualquer enrolação. O único porém é o arco de Lee, que, pelo menos, parece ter sido resolvido aqui. Resta aguardar para ver como todas essas peças irão, enfim, se unir, mas, ao que tudo indica, é que teremos um final explosivo desse terceiro ano, com todos lutando contra um inimigo em comum.

Gotham – 3X18: Light the Wick – EUA, 15 de maio de 2017
Showrunner:
Bruno Heller
Direção:
Mark Tonderai
Roteiro:
Tze Chun
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, Erin Richards, Cory Michael Smith, Jessica Lucas, Raymond J. Barry, Richard Kind, Michael Chiklis, Drew Powell, Chris Chalk, Morena Baccarin, Jamie Chung
Duração:
43 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.