Crítica | Gotham – 3X19: All Will Be Judged

gotham-3x19-all-will-be-judged-plano-critico
estrelas 4
Obs: Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da temporada aqui.

Uma das características definidoras da identidade de Gotham é a forma como a própria série assume suas “galhofas”, seu drama exagerado e teatralidade. Vejam, tais elementos podem ser vistos como defeitos quando aparecem sem intenção, mas visto que isso foi assumido como a linguagem da série, que mistura a atmosfera séria com a eventual comédia, se trata de uma qualidade do seriado, que sabe o que quer ser. Basta pegarmos o Pinguim, por exemplo, que perfeitamente caracteriza a parcela de humor negro do seriado, enquanto que Bullock brinca com a metalinguagem, tirando palavras do espectador, como é o caso, aqui, em All Will Be Judged.

Barnes está à solta e ele quer julgar e executar Jim Gordon, quem considera culpado. Dito isso, Gordon e Bullock são surpreendidos por esse Executor logo quando estavam prestes a descobrir algo relacionado à Corte das Corujas. Ambos precisam, agora, encontrar uma forma de derrotar o antigo capitão da polícia, que retorna com um visual Mad Max, com direito a machado na mão. Em paralelo, Bruce continua seu treinamento e o último passo é, enfim, abandonar a dor causada pela morte de seus pais. Já na mansão Wayne, graças a Selina, Alfred descobre que o clone de Bruce tomara seu lugar. Já o Pinguim e Ed buscam uma maneira de escapar do cárcere.

Estamos perto do season finale desse terceiro ano de Gotham, mas não deixa de ser impressionante a forma como o roteiro de Ken Woodruff sabe trabalhar com todas as subtramas, de maneira que sejam conectadas pela ameaça da Corte. Todos os lados dessa história estão envolvidos de alguma maneira, o que garante a nítida coesão da temporada. Fica cada vez mais claro que veremos, no fim, todos combatendo essa sociedade secreta de alguma forma – mesmo Bruce, que terá de ganhar controle sobre si mesmo novamente, visto que, agora, ele está à mercê do aparente líder da Corte, que o enganara, transformando-o em um fantoche.

A presença de Barnes como o principal antagonista do capítulo foi a escolha certa, visto que possibilitou mais movimentação da trama envolvendo Jim e Harvey. Embora seu visual novo cause certo choque de imediato, não é nada do que já não vimos antes na série e a piada de Bullock em relação ao vilão nos mostra que os realizadores reconhecem o quão espalhafatoso é essa nova caracterização. Como dito antes, é uma série que brinca consigo mesmo, mas não tem medo de assumir um tom mais sombrio, especialmente com a chocante morte de Kathryn e a mão do ex-capitão sendo estourada, grau de violência que sempre nos pega de surpresa, mas é bem-vinda na série. Claro que precisamos aceitar que Barnes não acerta ninguém com a lâmina, exceto Kathryn, mas nada que a suspensão de descrença não resolva.

O mesmo não vale para o arco de Alfred e Selina, que são desacordados e descobrem que o falso Bruce sumiu, sem nenhuma explicação, o que apenas piora pelo fato de nenhum deles abordar o assunto. Felizmente, isso é deixado para trás com a união desse lado da história com a de Gordon, com Alfred pedindo ajuda ao policial. Dessa forma, peça por peça, o quebra-cabeças gradualmente é preenchido, mostrando como o roteiro de Woodruff tem o finale em mente, não deixando tudo para a última hora, como é muito comum em muitos seriados por aí.

O lado do Pinguim também nos reserva algumas surpresas, com a inesperada e temporária aliança entre ele e Ed. É curioso observar como ambos se antagonizam, um se recusando a ser chamado de Pinguim e o outro querendo ser chamado de Charada, além do fato de que um age mais com o coração, enquanto que o outro enxerga tudo de forma mais analítica. A honra entre bandidos aparece de forma bastante clara aqui e nos proporciona com a já mencionada parcela de humor negro da série, especialmente na ousada fuga das gaiolas.

All Will Be Judged pode contar com pequenos deslizes, mas não deixa de ser mais um ótimo episódio de Gotham, uma série que, verdadeiramente, só tem acertado. Nos vemos cada vez mais próximos do finale e não podemos deixar de ficar curiosos para descobrir como tudo irá se desenrolar daqui para a frente. Com metalinguagem, humor negro, sangue, o episódio demonstra como a série encontrara sua linguagem, proporcionando uma experiência gratificante para quem a acompanha desde a primeira temporada.

Gotham – 3X19: All Will Be Judged  – EUA, 22 de maio de 2017
Showrunner:
Bruno Heller
Direção:
John Behring
Roteiro:
Ken Woodruff
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, Erin Richards, Cory Michael Smith, Jessica Lucas, Raymond J. Barry, Richard Kind, Michael Chiklis, Drew Powell, Chris Chalk, Morena Baccarin, Jamie Chung
Duração:
43 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.