Crítica | Gotham – 4X09: Let Them Eat Pie

– Contém spoilers do episódio. Leiam nossas outras críticas da série aqui.

Ousado e surpreendente, Let Them Eat Pie é mais uma prova do quanto Gotham evoluiu ao longo dos anos. Mesmo com inúmeras subtramas sendo desenvolvidas ao longo da temporada, a equipe do showrunner Bruno Heller sabe escolher quais elementos contemplar em cada capítulo. Pensando nesse quarto ano da série temos quatro arcos distintos sendo construídos, cada um focado em determinado personagem. É preciso notar como os roteiristas entendem que pontuais pausas nessas histórias funcionam a fim de garantir que não nos cansemos dessas subtramas – bom exemplo disso é toda a situação na qual Bruce Wayne se encontra, profundamente abalado pela suposta morte de Ra’s al Ghul. Caso explorassem essa linha semana após semana, cairíamos na repetitividade, problema, felizmente, não encontrado nesse nono episódio.

O roteiro de Iturri Sosa, no entanto, gera certa preocupação em relação a isso nos minutos iniciais – a reaparição do Prof. Pyg, após sua ausência em Stop Hitting Yourself poderia indicar que veríamos uma mera repetição do que já vimos em Hog Day AfternoonA Day in the Narrowscom Gordon novamente indo atrás do criminoso, somente para falhar na captura desse. Felizmente, tais temores são dissipados conforme progredimos na trama, que revela trazer elementos verdadeiramente perturbadores, fazendo bom uso da violência (explícita e implícita) a fim de causar o necessário desconforto, que amplia a perversão de Pyg, solidificando-o como um eficiente antagonista.

A estrutura narrativa segue por um caminho bastante óbvio, mas não por isso menos engajante, fazendo o bom trabalho de unir os arcos do Pinguim/ Sofia Falcone com o do assassino procurado. Essa fusão permite que enxerguemos toda a temporada como uma grande teia, com cada ramificação afetando as outras, em um bom exemplo de como não fragmentar indevidamente uma série, algo que cansamos de ver em outros seriados por aí. Aliás, a escolha de Cobblepot e Falcone como vítimas das ações de Pyg garante o sentimento de urgência, tão necessário para o funcionamento da sequência do jantar, que ainda ganha ares surreais com a versão distorcida de Cell Block Tango.

Nesse meio, sabiamente é deixado um pouco de lado a fragilizada relação de Gordon e Bullock, que já ganhara o devido destaque nos capítulos anteriores. Permanecendo em “banho maria”, tal subtrama certamente será resgatada de forma ainda mais dramática posteriormente, não muito diferente do que vimos aqui com o arco de Bruce e Alfred, com o paralelo óbvio traçado entre as duas duplas em conflito. Parece um tanto desconexo do restante do capítulo, porém, as cenas com Wayne, funcionando como o único ponto do capítulo que não se encaixa, de fato, com o restante dos acontecimentos da temporada. Ao menos, a situação do garoto milionário foi desenvolvida, tirando-o da estagnação que fora colocado nas semanas anteriores.

Outro relacionamento abalado é o de Pinguim e Sofia, ambos agindo pelas costas um do outro, fato que foi bem inserido com a aparição de Pyg na festa, que também serviu para ressaltar o quanto Cobblepot se importa não apenas com o menino órfão, como com Falcone, que é considerada sua única amiga. Nota-se certa semelhança com toda a traição de Nygma da temporada anterior, mas com ares diferenciados, que impedem que nosso envolvimento seja prejudicado, principalmente pela diferença de personalidade entre Edward e Sofia, cujas verdadeira intenções permanecem como mistério nessa temporada.

No fim, Let Them Eat Pie funciona como bom encerramento para o arco do Prof. Pyg, ou, ao menos, finaliza um dos atos envolvendo o antagonista, que já cumprira sua função dramática na narrativa, desestabilizando ainda mais a relação de Harvey e Jim, enquanto trouxe algumas memoráveis sequências para o seriado. Gotham novamente nos surpreende pela maneira como faz uso da violência para construir a tensão, constantemente se auto-renovando, enquanto nos deixa sem saber o que veremos pela frente. Próximos do midseason finale, temos uma situação de instabilidade criada para todos os personagens, que se veem cada vez mais isolados.

Gotham – 4X09: Let Them Eat Pie — EUA, 19 de novembro de 2017
Showrunner: 
Bruno Heller
Direção:
Nathan Hope
Roteiro:
Iturri Sosa
Elenco: 
Ben McKenzie, Donal Logue, Robin Lord Taylor, David Mazouz,  Cory Michael Smith,  Camren Bicondova, Sean Pertwee, Anthony Carrigan, Maggie Geha, Jessica Lucas, Crystal Reed,  Charlie Tahan, John Doman, Morena Baccarin
Duração: 
43 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.