Crítica | Guardians Team-Up #1 a 10 (2015)

guardians-team-up-plano-critico

estrelas 4

O sucesso do filme dos Guardiões da Galáxia certamente fez bem para as vendas dos quadrinhos do grupo, que, até então, eram um dos mais obscuros da Marvel Comics. Naturalmente que a editora não deixaria isso passar e passou a publicar inúmeras revistas com a equipe – algumas solo, como O Lendário Senhor das Estrelas e outras seguindo a cronologia estabelecida por Andy Lanning e Dan Abnett lá em 2008Guardians Team-Up é uma dessas publicações que surfa na popularidade adquirida pelo grupo, trazendo uma coletânea de one-shots encabeçados por diferentes roteiristas e artistas, com nomes como Bill Willingham (criador do sensacional Fábulas) e Brian Michael Bendis.

Embora leve em consideração eventos passados e paralelos do universo Marvel, Guardians Team-Up pode ser lido como histórias à parte da continuidade geral, excetuando, é claro, o número três, que faz parte da saga O Vórtice Negro, colocando os Guardiões ao lado de Ronan, o Acusador. As outras revistas, por sua vez, trazem, cada uma, os Vingadores, Mulher-Hulk, as versões animais dos Vingadores (isso mesmo), Noturno, Homem-Formiga, Surfista Prateado, Homem-Aranha e Deadpool.

A cada edição temos uma combinação inusitada, geralmente focando em um dos membros dos Guardiões, com o tom dependendo do roteirista. Willingham, por exemplo, opta por uma abordagem mais séria, colocando Gamora ao lado de Noturno em uma série de batalhas gladiatórias. Temos, portanto, uma série de fácil leitura, constantemente se renovando em virtude de suas narrativas diferenciadas. Dessas é impossível não ressaltar a inesperada união de Rocket com os Vingadores animais, encabeçada por Andy Lanning e Andy Schmidt, certamente uma história que jamais esperaríamos ver e a edição de Drax com o Homem-Formiga, que faz bom uso da personalidade mais brincalhona de Scott Lang. Deadpool, por sua vez, nos diverte com a quebra da quarta parede, que chega a mencionar o filme dos Guardiões, mas a maneira como Rocky é trabalhado posteriormente não se encaixa nem um pouco com sua personalidade em geral.

guardians-team-up-plano-critico-1

A arte, é claro, também muda de mãos a cada número, assumindo traços que melhor se encaixam com o tom estabelecido pelo roteiro. O brasileiro Gustavo Duarte chama a atenção pelas suas formas mais cartunescas, assim como fizera em Guardiões da Galáxia – Especial de Aniversário de 100 Anos da Marvel, representando bem a ironia da história de Lanning e Schmidt, ao mesmo tempo que explora a personalidade de Rocket pelas imagens e não somente através do texto.

Bengal, por sua vez, encarregado do número oito da publicação, é o que conta com a maior responsabilidade. Estamos falando de uma revista silenciosa, com apenas um balão de fala no seu fim. Sem a necessidade do texto escrito, o artista muito bem representa as emoções de Groot e do Surfista Prateado, na história mais curta da minissérie, mas que claramente conta com a maior veia artística.

Descompromissada e divertida, a minissérie Guardians Team-Up é um prato cheio para os fãs desse grupo cósmico da Marvel. Embora tenha sido motivado, claro, pelo sucesso da adaptação cinematográfica, temos aqui algumas histórias bastante autorais, enquanto outras seguem o modelo básico da editora. Servindo tanto para os fãs de longa data do grupo, quanto para aqueles que nunca leram sequer uma página dos Guardiões, os dez números dessa revista certamente valem o investimento, trazendo diferentes sensações, através de narrativas diferenciadas, a cada edição, por mais que algumas não fujam do comum.

Guardians Team-Up #1 a 10 — EUA, 2015
Roteiro:
Brian Michael Bendis, Sam Humphries, John Layman, Andy Lanning, Andy Schmidt, Bill Willingham, Paul Scheer, Nick Giovannetti, Ray Fawkes, Javier Pulido, Tim Seeley
Arte:
Arthur Adams, Stephane Roux, Mike Mayhew, Otto Schmidt, Gustavo Duarte, Diogo Saito, Shawn Crystal, Bengal, Javier Pulido, Mike Norton
Arte-final: 
Arthur Adams, Jay Leisten, Mike Mayhew, Otto Schmidt, Gustavo Duarte, Diogo Saito, Shawn Crystal, Bengal, Javier Pulido, Mike Norton
Cores:
Ian Herring, Brett Smith, Rain Beredo, Otto Schmidt, Marcelo Maiolo, Chris Sotomayor, Matthew Wilson, Marte Gracia, Javier Pulido, Jessica Kholinne
Letras:
Cory Petit
Capas: 
Arthur Adams, Ian Herring, Stephane Roux, Mike Mayhew, Rain Beredo, Otto Schmidt, Humberto Ramos, Edgar Delgado, Clay Mann, Romulo Fajardo, Jr., David Lopez, Bengal, Javier Pulido, Mike Norton, Marte Gracia
Editora original: 
Marvel Comics
Data original de publicação: 
maio a outubro de 2015
Editora no Brasil: 
Panini Comics
Data de publicação no Brasil: 
não publicado inteiramente no Brasil
Páginas: 
281

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.