Crítica | Guardiões da Galáxia: Prelúdio

estrelas 3

Desde Homem de Ferro 2, a Marvel tem lançado, antes dos filmes de seu universo cinematográfico, revistas que visam estabelecer um mínimo plano de fundo para essas histórias. Tais quadrinhos ora focam em personagens secundários, ora nos próprios protagonistas e não chegam a ser essenciais para o espectador entender o longa-metragem. Muitos deles, inclusive, são mal conduzidos, como é o caso do respectivo a Homem de Ferro 3. É claro que, com o lançamento de Guardiões da Galáxia, tal prelúdio não poderia faltar para esta ousada aposta do estúdio.

As revistas que nos preparam para o filme cósmico da Marvel são duas, ambas escritas por Dan Abnett e Andy Lanning, responsáveis pela nova formação do grupo em 2008. O que vemos nelas, contudo, não são os Guardiões em si, já que eles somente se formarão no filme. Na primeira edição temos uma história de origem da vilã Nebula, nos mostrando sua busca pelo Orbe, intercalando essa aventura com flashbacks de seu treinamento ao lado de Gamora. Aqui já podemos observar o cuidado dos roteiristas em querer expandir o universo dos filmes, trazendo já nomes que somente estavam na cabeça dos fãs. A surpresa ao ver não só a citação direta como a aparição de um deles é grande, ao passo que já vemos as peças, apresentadas no fim de Os Vingadores, sendo colocadas em movimento.

gotgpreludio2-pc

Gamora e Nebula

Seguindo o exemplo do primeiro número, o que poderíamos esperar do segundo seria uma história focada em Korath ou no próprio Ronan, ambos mencionados por Nebula ou Gamora nas páginas lidas anteriormente. A expectativa é quebrada, contudo, ao nos depararmos com Groot e Rocket Raccoon fazendo o que eles melhor fazem: causando uma grande confusão. É inegável a familiaridade de Abnett e Lanning com o material, algo tornado claro pela forma como a história procede, fazendo uso de cada aspecto da forma física de seus personagens. Mesmo perante às limitações impostas (os quadrinhos precisam se encaixar com o filme), suas histórias conseguem agradar aos fãs que os acompanharam de 2008 a 2010. Nesta segunda edição vemos os futuros membros dos guardiões realizando uma missão não exatamente legal que acaba os envolvendo em tiroteios, obviamente.

Por mais que esta segunda história proceda de forma fluida, nos apresentando esses dois importantes personagens, não podemos deixar de sentir como se fosse desnecessária, principalmente levando em consideração de que se trata de um prelúdio. É possível, sim, que tais eventos afetem a trama de Guardiões da Galáxia, mas, até então, ela parece um simples one-shot, não contando com a carga de sua antecessora, que já nos apresenta a um universo expandido. Novamente volto a reiterar que, se analisada individualmente, esta seria uma ótima história.

gotgpreludio1-pc

Confusão, para variar

Quando chegamos no território da arte, contudo, o resultado é diferente. Wellinton Alves, que assina pelos dois números, nos traz um traçado simples sem muitos detalhes e não consegue obter o desejado resultado seja nos momentos de ação seja nos estáticos, causando um estranhamento no leitor que não consegue se acostumar com os desenhos. São personagens sem expressividade e mesmo Gamora e Nebula parecem travados, sem nos passar a sensação de movimento. Muitas vezes é preciso se ler as falas para entendermos o que se passa nas imagens graças à falta de transição entre cada quadro, que tenta provocar uma leitura mais dinâmica e consegue justamente o contrário.

O prelúdio de Guardiões da Galáxia nos traz duas interessantes histórias. Por mais que a primeira seja mais relevante que a segunda, ambas certamente irão entreter o leitor, graças ao eficaz trabalho de Lanning e Abnett. Embora a arte não agrade, são revistas que valem a experiência, acrescentando ao universo que será construído no vindouro longa-metragem da Marvel Studios. Essenciais? Não, somente para os fãs mais dedicados e que não aguentam mais esperar por 31 de Agosto de 2014.

Guardiões da Galáxia: Prelúdio (Guardians of the Galaxy Prelude, EUA, 2014)
Roteiro: Dan Abnett e Andy Lanning
Arte: Wellinton Alves
Editora: Marvel Comics

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.