Crítica | Hannibal – 2ª Temporada

estrelas 5,0

O fim da primeira temporada de Hannibal foi uma surpresa a todos que acompanharam as obras anteriores relacionadas ao canibal. Um ano depois, na segunda temporada, Bryan Fuller se supera ainda mais e constroi um direcionamento próprio dentro da sua adaptação. Preservando a narrativa inteligente observada na temporada anterior, a série inicia seu segundo ano em torno das tentativas de Will Graham em provar sua inocência e colocar Dr. Lecter atrás das grades.

A jornada de Will é conduzida com uma maneira bastante precisa, de modo que a posição do telespectador é de constante angústia, dúvida e certa descrença. À medida que Graham começa a se fazer ouvir e atrair aliados à sua causa, Lecter parece sempre estar a um passo à frente para obstruir seus planos. A razão disso é a cautela com que Hannibal planeja seus movimentos, a exemplo do reaparecimento de  Mirian Lass à série. O psiquiatra prova estar sob controle de todas as etapas da sua teia de crimes.

Se há algo mais persuasivo que Dr. Hannibal Lecter é o roteiro pensado por Fuller e Harris. A história consegue direcionar o público tão bem, que ao fim da temporada já estamos completamente entregues e cientes de que tudo pode acontecer, por mais improvável que seja. E o mais importante: os roteiristas constroem a trama com tamanha habilidade que é impossível apontar alguma ausência de sentido.

Pode-se dizer que a segunda temporada promoveu uma verdadeira chacina em todo o elenco. Um a um, pouco a pouco e até em grandes grupos. Pelo menos em algum momento todos parecem sucumbir diante de Hannibal, o que nos dá margem para prever uma temporada bastante movimentada no ano que vem. É difícil imaginar uma terceira temporada ainda melhor, mas, se levarmos em conta a excepcional qualidade desta produção da NBC, Hannibal sempre pode se superar.

Hannibal (Hannibal, EUA, 2013)
Direção: David Slade, Michael Rymer, Peter Medak, Guillermo Navarro, James Foley, Tim Hunter e John Dahl.
Roteiro: Bryan Fuller e Thomas Harris.
Elenco: Hugh Dancy, Mads Mikkelsen, Caroline Dhavernas e Laurence Fishburne.
Duração: 43 min (cada episódio).

FILIPE MONTEIRO . . . O exército vermelho no War, os indianos em Age of Empires, Lannister de Rochedo Casterly. Entrou em órbita terrestre antes que a Estrela da Morte fosse destruída, passou pela Alameda dos Anjos, pernoitou em Azkaban, ajudou a combater o crime em Gotham e andam dizendo por aí que construiu Woodburry. Em uma realidade alternativa, é graduando em Jornalismo, estuda Narrativas e Cultura Popular, gosta de cerveja e tempera coentro com comida.