Crítica | Histórias de Hogwarts: Poder, Política e Poltergeists Petulantes, de J.K. Rowling

estrelas 3,5

Na linha dos outros dois livros de pequenas histórias sobre a escola de Hogwarts, Um Guia Imperfeito e Impreciso e Proezas, Percalços e Passatempos Perigosos, Poder, Política e Poltergeists Petulantes oferece uma visão mais profunda sobre os bastidores da famosa escola britânica de bruxaria, sobre indivíduos famosos ligados a ela e coisas que acontecem com essas pessoas ou no próprio castelo da escola. Dos três livros, esse é o que mais informações importantes apresenta, uma vez que o lado político da magia no Reino Unido e na Europa ganha destaque.

No primeiro conto, ou “arquivo”, como alguns potterheads gostam de chama esses textos, temos a maldita Alta Inquisidora Dolores Umbridge. O texto é uma pequena biografia e, assim como tivemos antes, dá características gerais sobre a bruxa tais como casa, varinha, descendência e realizações. Muita coisa que vemos já como consequência ou de forma “pronta” em A Ordem da Fênix, se vê aqui como origem. Não existe justificativas ou circunstâncias atenuantes para os atos de Dolores em Hogwarts.  J.K. Rowling faz um retrato curto, mas muito interessante da personagem, mostrando que muito do que ela é só conseguiu ganhar força e chegar aonde chegou devido a organização da política no mundo bruxo.

Achei muito correto o livro começar pela Umbridge, porque o conceito de política, pincelado em um recorte feito no capítulo seguinte, parece ainda mais real. Há muitas semelhanças entre o mundo trouxa e o mundo mágico, desde a incompetência e opiniões racistas de políticos até a presença de funcionários do governo, professores, indivíduos influentes ou simples da sociedade que podem ser bons ou maus, fazerem de tudo para que a vida das pessoas e o mundo em que vivem se tornem um lugar melhor ou mais sombrio, mais triste, mais doloroso. Umbridge é a personificação perfeita do que tem de pior no mundo bruxo, e mais ironicamente, do lado aparentemente “bom” da história.

Os cargos ocupados por ela também delineiam essa visão de ascensão por meios nada elogiosos. Umbridge já foi Subsecretária Sênior, Professora de Defesa Contra as Artes da Trevas, Alta Inquisidora, Diretora e Chefe da Comissão de Registro dos Nascidos-Trouxas, mas seu passado não é de glórias e sua vida foi construída sob mentiras e agressões não óbvias a pessoas que questionassem sua linhagem supostamente “puro-sangue” e os contatos e importância de sua família.

Na sequência, um capítulo dedicado a todos os Ministros da Magia, do primeiríssimo Úlico Gamp (1707 – 1718) a Kingsley Shacelbolt (1998 – presente — sendo esse “presente” pelo menos até 2016), apresentando as características principais de cada mandato e relações de destaque. Nesse ponto, o leitor percebe que muita gente racista já teve posições de grande destaque nesse universo e influenciaram gerações, continuando um legado de ideias sobre “puro-sangue” que sempre causaram problemas de aceitação e integração entre pessoas das mais diversas origens.

A obra termina com capítulos dedicados a Azkaban, falando da origem e breve história da famosa prisão; sobre os primeiros anos de Horácio Slughorn como mestre de Poções em Hogwarts e sua relação com Tom Servolo Riddle; e sobre Pirraça, um capítulo que não acrescenta muita coisa de interessante para nós, mas que não é ruim.

Com Poder, Política e Poltergeists Petulantes, de J.K. Rowling fecha um ciclo de contextos sobre o Universo de Harry Potter com informações inéditas e com respostas complementares para perguntas frequentes que tivemos ao longo dos livros da série. Pela força do tema, penso que a obra seria muito melhor se tivesse dado destaque para a parte dos Ministros da Magia, mas quem sabe algo mais ou menos na linha de Animais Fantásticos e Onde Habitam, com maiores detalhes sobre esse lado da política do mundo buxo não aparece, em breve? 2016 foi um ano de retomadas para o Universo Harry Potter. Uma nova febre que surgiu. Com certeza outras obras literárias relacionadas a esse cenário voltarão a aparecer.

Histórias de Hogwarts: Poder, Política e Poltergeists Petulantes (Short Stories from Hogwarts of Power, Politics and Pesky Poltergeists) — Reino Unido, 6 de setembro de 2016
Autora: J.K. Rowling
Editora: Pottermore (originalmente disponível apenas em formato eletrônico).
65 páginas

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.