Crítica | Legends of Tomorrow 1X05: Fail-Safe

estrelas 2,5

Obs: Há spoilers. Leiam as críticas dos demais episódios de Legends of Tomorrow, aqui.

A grande sacada do início desse arco, em White Knights, foi o estabelecimento de uma missão mais ou menos coesa e que dava importância para cada um dos personagens principais, mesmo que não trouxesse Savage ou investisse em algo de fato firme no que diz respeito às consequências das viagens no tempo e interferências de Rip e seu time em plena União Soviética, na reta final da Guerra Fria. A trama funcionou ali e até se manteve acima da média pela diferença em relação ao início da série. Os ânimos para a continuação ficaram altos. Mas Fail-Safe não trouxe nada de especial.

Vamos pensar friamente. Se você é espectador de uma série que fala de viagem no tempo e que já no final de seu episódio piloto mudou o propósito primário para algo que exigia mais ações a longo prazo, o mínimo que deveria vir a seguir, convenhamos, seria o estabelecimento de um mote dramático denso que pudesse se desenrolar em partes e até comportar, se fosse o caso, a inclusão de personagens do universo em que esta série se localiza, como sabemos ser o grande sonho molhado da CW, vide, por exemplo, a piadinha de Jax com a pergunta “Flash Who?“; a aparição de Cisco em uma projeção mental de Stein e a cereja do bolo, o badass Connor Hawke, o segundo Arqueiro Verde, no desfecho do episódio.

A grande falha de Fail-Safe é só utilizar a fuga da prisão soviética como trampolim para o andamento da série no final do grande evento, que é interessante, mas surgido aos atropelos em meio a uma perseguição de Chronos que deveria ser um fator surpresa interessante mas só reafirma aquilo que temíamos que fosse acontecer: a “fórmula LoT”, representada por uma viagem ao final do episódio que ou leva os viajantes randomicamente para um lugar onde encontrarão problemas ou é utilizada de forma pensada por Rip para mais uma etapa de busca, com vimos no começo da temporada. Se o princípio de Legends of Tomorrow fosse algo parecido com o de Star Trek, que adota uma narrativa de “crônica de viagem”, não havia do que reclamar em relação à forma. Mas nem este é o caso e nem isto caberia mais ao programa, que mostrou intenção em realizar algo épico e através de uma narrativa fluída, só que não é isto que está acontecendo.

O diretor Dermott Downs, que já havia assinado Blood Ties, tenta ao máximo exercer uma de suas principais características, que é a ação mesclada com outros gêneros, especialmente o suspense, e uma abordagem bastante forte para as relações entre os personagens, algo a que o roteiro se apega fortemente e que acaba sendo chato demais, um contraste inconveniente em relação a White Knights, que procurou manter a racionalidade sem deixar de tocar nesse aspecto. Por incrível que pareça, a única relação de apego, se é que podemos chamar assim, acontece entre Mick e Palmer, que durante o tempo que passam na prisão firmam uma relação de cumplicidade interessante e que possui um bom respaldo do texto no final, com o até então pouco interessante Onda Térmica (se bem que em White Knights ele teve um aproveitamento aceitável) agindo de forma incompreensível até para seu parceiro Snart, que encabeça uma piadinha interna interessante, afirmando que a entrada dele nessa prisão não seria a sua primeira prison break.

Apesar de termos cenas de ação interessantes, todo o escopo de Fail-Safe parece um amontoado de fan service com a cartilha da CW para LoT, o que não é algo interessante de se ver e que, mais uma vez, desperdiça a oportunidade de nos entregar um bom resultado para uma trama que tinha sim muito para dar. Se só considerássemos o impasse de Valentina Vostok — para quê, aquilo? — chegaríamos a esta conclusão, mas infelizmente ela não é a única que sofre com o tratamento do roteiro, apesar de ter bons momentos em cena. Isto talvez seja o mais frustrante em Legends of Tomorrow: a gente consegue ver coisas muito legais aparecendo nos episódios mas a história-base e a soma das partes não logram sair da mediocridade. Que desperdício!

Legends of Tomorrow 1X05: Fail-Safe (EUA, 2016)
Direção: Dermott Downs
Roteiro: Greg Berlanti, Marc Guggenheim, Phil Klemmer, Andrew Kreisberg
Elenco: Victor Garber, Brandon Routh, Arthur Darvill, Caity Lotz, Franz Drameh, Ciara Renée, Amy Pemberton, Dominic Purcell, Wentworth Miller, Carlos Valdes, Casper Crump, Stephanie Corneliussen, Joseph David-Jones, Nick Gracer, Voytek Skrzeta
Duração: 42 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.