Crítica | Legends of Tomorrow – 2X09: Raiders of the Lost Art

legends-of-tomorrow-s02e09-raiders-of-the-lost-arc-plano-critico

estrelas 3

Contém spoilers! Leiam as críticas dos demais episódios de Legends of Tomorrow, aqui.

Se tem uma coisa que esta segunda temporada de Legends of Tomorrow tem me proporcionado é diversão. Claro que uma diversão despreocupada, com tropeços aqui e ali, mas com um saldo positivo até agora, algo que The Flash, a queridinha, injustamente bem cotada e misteriosamente bastante assistida da CW não nos tem proporcionado há muito, muito tempo.

O roteiro de Raiders of the Lost Art segue com a caça ao amuleto que vimos esquentar em The Chicago Way, e mais uma vez comprovamos as possibilidades que a série pode ter, se souber trabalhar bem com o grupo de Lendas. Apesar de impasses na construção de alguns diálogos e no desenvolvimento (crescimento ou retrocesso) de alguns personagens, desde Out of Time a série tem surpreendido consideravelmente, se comparada à vergonhosa primeira temporada e todo tortuoso trajeto para matar Vandal Savage.

A apresentação da Sociedade da Justiça neste segundo ano, a entrada de Vixen para o grupo das Lendas mais as novas missões de busca construíram novos pilares para o show. Em andamento, temos os dois pés atrás apenas com a presenta do Flash Reverso nesse cenário, mas pelo menos no presente episódio (e na maioria das vezes em que apareceu nesta temporada) ele tem funcionado bem na história. Sua ação neste capítulo que brinca com Os Caçadores da Arca Perdida (1981), Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977) e Star Wars: Episódio V – O Império Contra-Ataca (1980) é bem pensada, não acontece cedo demais, para não estragar o mano-a-mano entre a Legião do Mal e as Lendas e, quando acontece, é organicamente disposta no roteiro.

Descobrimos algumas coisas que antecederam o “desaparecimento” de Rip Hunter (Arthur Darvill está ótimo e hilário nesse episódio. Me lembrou bastante a sua versão meio boba de Rory, em Doctor Who) e tivemos a inserção da Lança do Destino de maneira definitiva no Universo da série. Não sei quanto a vocês, mas me preocupa o tipo de apelação e conveniências que a Lança pode trazer para o programa. Se considerarmos que já temos o Flash Reverso, que é um pouco apelativo demais considerando os outros heróis em cena — mas ainda estão conseguindo lidar bem com ele — a chegada de um elemento desse porte ao programa pode aumentar a carga de “impossíveis” e se tornar uma pedra no sapato.

As sequências envolvendo um Rip sem memória de ser Rip e um jovem e medroso George Lucas são impagáveis, assim como a maioria das piadas nerds, algo que a equipe de roteiristas da série está pegando o jeito de fazer direito (aprendam, povo de Flash e Supergirl!). Esse lado cômico é intercalado por blocos de ação de Damien Darhk e Malcolm Merlyn, talvez inseridos de forma muito episódica, mas nada que atrapalhe a qualidade geral do roteiro. Tanto que os objetivos centrais da história foram alcançados e ainda tivemos um bom empurrão para o futuro, de modo que só podemos reclamar dessa levada episódica fazendo referência ao ritmo e nada mais.

Uma coisa interessante: a interação entre Mick e Stein foi nada menos que excelente. Eu nunca imaginei que gostaria de verdade do atormentado Onda Térmica, mas aqui ele está incrível, engraçado, dramático, preocupante e preocupado ao mesmo tempo. A oposição dos métodos de atuação de Dominic Purcell e Victor Garber geraram excelentes momentos. Eis aqui uma escanteada de personagens aceitável e que funcionou a favor do episódio!

A linha central de LoT mudou para melhor nessa segunda temporada. A série ainda tropeça nos diálogos, pois não consegue segurar um tom inteligente, satírico e provocativo ao longo de todo o capítulo, mas já tem conquistado e avançado bastante desde a sua estreia, em 2016. Mantendo ou crescendo a partir desse ponto, teremos, enfim, um bom produto de super-heróis vindo da CW em 2017. Dedos cruzados!

Legends of Tomorrow – 2X09: Raiders of the Lost Art (EUA, 24 de janeiro de 2017)
Direção: Dermott Downs
Roteiro: Keto Shimizu, Chris Fedak
Elenco: Victor Garber, Brandon Routh, Arthur Darvill, Caity Lotz, Franz Drameh, Matt Letscher, Maisie Richardson-Sellers, Amy Pemberton, Nick Zano, Dominic Purcell, Neal McDonough, John Barrowman, Matt Angel, Jesse Stretch, Martin Van Steinberg
Duração: 44 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.