Crítica | Looking – 1X08: Looking Glass

estrelas 4,5Para aqueles que não desistiram de Looking e acompanharam a série até o fim, não há como negar que o resultado extremamente recompensador. Sóbria, correta, realista e de personagens carismáticos e muitíssimo bem desenvolvidos, o seriado revelou-se uma grata surpresa ao retratar o universo gay com uma destreza e fidelidade invejáveis, por mais que, vez outra, um deslize tenha surgido. Mas tais deslizes foram pouco para desmerecer um trabalho tão apaixonante.

Da mesma forma, raramente somos capazes de ver uma season finale tão equilibrada, que consiga amarrar as diversas pontas soltas e ainda inserir pequenos cliffhangers que nos deixam ainda mais ansiosos para a próxima temporada. Enquanto estiver fora do ar, Looking vai deixar grandes saudades.

Mesmo após todas as sacanagens de Augustín em cima do namorado Frank (que particularmente, não irá fazer nenhuma falta se sair da série), foi quase impossível não sentir uma pontada de pena de Augustín após a enxurrada de verdades doloridas jogadas em sua face. Mesmo odiado por boa parte dos espectadores, Augustín brilhou ao se jogar na sarjeta, drogado e lamentando por sua falta de sucesso nos âmbitos profissionais e pessoais. Tal momento pode ser encarado como uma espécie de rendição para o personagem, algo que espero que tenha uma continuidade na segunda temporada. Augustín é um personagem interessante sim, e merece ter seus momentos de simpatia perante o público.

Impossível não sorrir e vibrar por Tom com o sucesso de seu restaurante, mesmo que algumas presenças inesperadas, como Lynn e seu misterioso amigo, surjam na última hora. Apesar de afetado por este fato, Dom segura bem as pontas, demonstra maturidade e controla todo o estresse. E no fim, ainda consegue arrancar um beijo de Lynn, vencendo o desafio do medo que o acometia. Fica a pergunta se, na próxima temporada, ambos irão retornar como um casal fixo.

Já a parte pasmem! do episódio continua por conta de Patrick. O rapaz até tentou ir atrás de Richie, se redimir por seus erros, mas acabou tendo que aceitar o pedido de “dar um tempo” feito pelo latino, e no fim das contas, acabou cedendo para o orelhudo Kevin, fazendo com ele o que jamais teve coragem de fazer com Richie. Para aqueles que se sentem próximos ao personagem (e torcem por sua felicidade com Richie), foi sem dúvidas, um momento duro e difícil de se aceitar. E não teve como não encher os olhos de lágrimas com Richie aparecendo ao final, proferindo uma das declarações de amor mais verdadeiras e sinceras dos últimos tempos.

No fim, os personagens de Looking ainda seguem em busca de sua felicidade própria, de seus objetivos, de uma estabilidade em suas vidas. São personagens reais, de conflitos e problemas reais, e isto já é suficiente para tornar Looking uma experiência extremamente válida.

Looking – 1X08: Looking Glass
Showrunner: Michael Lannan
Roteiro: Michael Lannan
Direção: Andrew Raigh
Elenco: Jonathan Groff, Frankie J. Alvarez, Murray Bartlett, Scott Bakula, Russell Tovey, Raúl Castillo
Duração: 28 min.

RAFAEL OLIVEIRA. . . .Cinéfilo ainda em construção, mas que já enxerga na Sétima Arte algo além de apenas imagens e som. Amante de Kubrick e Hitchcock e viciado em música indie, cético e teimoso, mas sempre aberto para novas experiências e estranhas amizades.