Crítica | Modern Family – 3ª Temporada

estrelas 4

Após duas primeiras temporadas muito bem construídas e homogêneas, o terceiro ano de Modern Family se inicia um pouco desgastado. As piadas começam a perder força, as relações entre os personagens se tornam mais repetitivas e saturadas.

Os roteiristas conseguem contornar esses embaraços de maneira prudente. Assim, o bom desenvolvimento da série não fica tão comprometido e o público não sente essas mudanças tão a fundo. O único problema é que essa tentativa em driblar o marasmo culminou em uma massificação de episódios de dramédia.

Nesse sentido, alguns núcleos vão perdendo força em relação a outros que ganham mais visibilidade ao longo dos 24 episódios da temporada. À família Dunphy é reservada as cenas mais maçantes e cansativas da temporada. Se Ty Burrell era responsável por segurar alguns dos mais engraçados momentos da série, neste momento temos um Phil bem mais apático e com piadas cada vez menos originais.

A relação entre o restante dos Dunphy é pautada nas fissuras familiares e nos dilemas presentes no cotidiano entre pais que, mesmo apegados ao passado, vão percebendo o desenvolvimento dos filhos e entendem a importância desta etapa. O papel de Claire fica, portanto, restrito a esse processo e à sua insatisfação com as suas atividades de dona de casa. Claire, portanto, se torna candidata a vereadora. Quando você imagina que a personagem vai ganhar mais autonomia e se apresentar mais politicamente engajada, o roteiro dá um jeito de fazer com que ela retorne às atividades do lar e tudo permaneça da mesma maneira.

Os melhores momentos em Modern Family estão centrados na família Pritchet e, logicamente, no maior ganho da temporada: Lily. Elencar Aubrey Anderson-Emmons para interpretar uma Lily mais velha nesta temporada foi a melhor escolha que poderiam ter feito. A atriz, com pouco mais de quatro anos na época, se mostra muito segura e passa a ser, sem dúvida, o elemento mais engraçado do núcleo  infantil.

Glória, que vem crescendo exponencialmente durante todas as temporadas, traz ainda o maior cliffhanger da temporada. A colombiana revela estar esperando um filho e será entorno da espera pelo novo membro da família que boa parte da quarta temporada se desenvolverá.

Ainda que apresente alguns deslizes e inconstâncias, a terceira temporada de Modern Family se mantém segura e não faz vergonha. Utilizar de um mecanismo que pressupõe a evolução natural de todos os personagens consegue segurar uma série que tende a se manter em alta por bastante tempo.

Modern Family – 3ª Temporada (EUA, 2011)
Criadores:
 Steven Levitan e Christopher Lloyd.
Direção: Michael Spiller, Jason  Winer, Chris Koch, Steven Levitan, Gail Mancuso, Bryan Cranston, Fred Savage, James R. Bagdonas e Scott Ellis.
Roteiro: Steven Levitan e Christopher Lloyd.
Elenco: Ed O’Neill, Sofía Vergara, Julie Bowen, Ty Burrell, Jesse Tyler Ferguson, Eric Stonestreet, Sarah Hyland, Ariel Winter, Nolan Gould, Rico Rodriguez, Aubrey Anderson-Emmons.
Duração: 24 min. (cada episódio)

FILIPE MONTEIRO . . . O exército vermelho no War, os indianos em Age of Empires, Lannister de Rochedo Casterly. Entrou em órbita terrestre antes que a Estrela da Morte fosse destruída, passou pela Alameda dos Anjos, pernoitou em Azkaban, ajudou a combater o crime em Gotham e andam dizendo por aí que construiu Woodburry. Em uma realidade alternativa, é graduando em Jornalismo, estuda Narrativas e Cultura Popular, gosta de cerveja e tempera coentro com comida.