Crítica | Nice and Friendly

estrelas 1,5

Uma verdadeira raridade no acervo cinematográfico de Charles Chaplin, Nice and Friendly foi realizado como um presente para os recém-casados Louis e Edwina Mountbatten. Por esta razão, dificilmente encontraremos o curta em alguma coletânea do cineasta, estando presente somente em discos de extras.  O filme conta com uma narrativa bastante informal, como um produto mais livre, visivelmente diferente das produções de Charlie da época, mesmo para aqueles que não conhecem a história por trás da obra.

A primeira característica que comprova isso é a total ausência de áudio. Sim, estamos ainda no cinema mudo, mas não temos sequer a costumeira trilha, geralmente composta pelo próprio Chaplin. Esse silêncio absoluto pode acabar afastando algumas audiências da atualidade, mas este não se encaixa como um defeito dentro da obra, chegaremos a eles mais tarde. O segundo elemento indicador desse caráter menos profissional da obra requer um pouco de conhecimento dos bastidores: ela foi filmada na própria casa do diretor, contando no elenco com o próprio casal.  Mais uma vez isso não chega a ser um empecilho para o bom aproveitamento do curta, tendo em vista a simples trama que mais do que se encaixa dentro da locação.

Chegamos, portanto, onde a obra começa a deslizar. O roteiro parece ter sido escrito às pressas e acaba provocando altas dificuldades de entendimento no espectador, quando aliado a esta direção menos precisa. A narrativa, embora seja bastante simples: diversos bandidos procurando roubar um colar de pérolas de uma senhorita, acaba permanecendo repleto de furos, que tiram qualquer esperança de imersão da audiência. A história nos resgata, enfim, no meio da projeção, quando o personagem vivido por Charlie aparece. Desta vez, embora esteja vestido de vagabundo, ele é o herói da trama. A obra, que consegue andar a partir deste ponto, ainda assim não consegue verdadeiramente nos cativar, conseguindo, quando muito, uma ou outra risada. As gags são praticamente inexistentes e as únicas efetivas são as que fazem uso da ilusão do cinema, utilizando a própria montagem, nos remetendo a alguns filmes de Georges Melies.

Nice and Friendly é uma obra que precisa ser assistida com olhos mais casuais. Não deve ser sujeita a análises, tendo em vista as circunstâncias de sua produção. É um presente de casamento, pura e simplesmente, feito somente para os próprios presenteados. Realmente merece seu lugar nos discos de extra, somente sendo indispensável para quem realmente deseja conhecer a filmografia 100% completa do diretor.

Nice and Friendly (EUA, 1922)
Direção: Charles Chaplin.
Roteiro: Charles Chaplin.
Elenco: Charles Chaplin, Jackie Coogan, Edwina Mountbatten, Louis Mountbatten, Eulalia Neilson, Frederick Neilson
Duração: 11 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.