Crítica | Nova York, Eu Te Amo

estrelas 3

A segunda edição dos filmes da série Cities of Love que homenageia cidades famosas pelo mundo, projeto esse capitaneado pelo francês Emmanuel Benhiby e iniciado com Paris, Te Amo, em 2006, foca em uma das mais cosmopolitas e interessantes cidades grandes do mundo: Nova York (não deveria ser “Iorque”?). No entanto, nota-se que, diferentemente do primeiro filme, Benhiby fez algo um pouco mais modesto, com dez curtas no lugar de 18. Com isso, cada segmento ganhou mais espaço dentro da duração total de 103 minutos da fita.

Nova York, Eu Te Amo, assim como seu antecessor, é uma declaração de amor à cidade título. Não é, porém, um filme de paisagens, em que se foca o Empire State Building, a Estátua da Liberdade, o Central Park e símbolos do gênero. Não. São histórias mais ou menos interligadas dirigidas e estreladas por um pout-pourri de pessoas. O resultado é um filme muito interessante que não deixa de abordar os aspectos mais famosos dessa grande cidade, mas com uma visão muito mais intimista do que se pode esperar, fugindo do óbvio. Para se ter uma ideia, a primeira sequência do filme é uma divertida brincadeira com os táxis nova iorquinos. Eles são difíceis de pegar na hora do rush e são, conforme reza a lenda (que está longe de ser mentira), sempre dirigidos por imigrantes de países menos desenvolvidos. Com isso, a fita já consegue trazer um ar familiar para todos os espectadores, já que esse é um problema tão icônico da cidade, que a identificação é imediata.

O filme é estrelado por atores veteranos e novos em uma ótima mescla. Temos desde os sensacionais James Caan, John Hurt e Julie Christie, passando pelos ótimos Ethan Hawke, Andy Garcia, Chris Cooper, Christina Ricci, Robin Wright e Natalie Portman (que também dirige um curta e que participou de Paris, Te Amo), além de Bradley Cooper, Shia LeBoeuf, Orlando Bloom e o péssimo Hayden Christensen. Há muitos outros, mas o destaque mesmo – e que me emocionou genuinamente – foi a participação especialíssima do recém-falecido Eli Wallach, no alto de seus 94 anos. Para quem não se lembra, Wallach é um veterano do cinema, tendo estrelado em mais de 150 filmes, dentre eles Três Homens em Conflito. Sua participação, sozinha, já vale o preço do ingresso.

São, ao todo, dez diretores, oito deles não americanos (conto Natalie Portman como israelense pois, tecnicamente, ela nasceu em Israel). Isso dá uma visão cosmopolita ao filme ao mesmo tempo em que nos são trazidas técnicas de direção bem diferentes e interessantes. No entanto, as histórias, por serem mais longas, deixam mais evidente a oscilação de qualidade que existe nos roteiros, algo que praticamente inexiste em Paris, Te Amo.

Há, também, uma significativa diferença em relação ao primeiro filme, já que os curtas são quase que unificados pela presença constante de um cinegrafista na narrativa, tornando a experiência de conjunto mais relevante que cada uma delas separadamente. Tenho para mim, porém, que esse foi um fator que detraiu da proposta como um todo, pois acabou permitindo menos liberdade para cada diretor e seus respectivos roteiristas para trabalhar histórias independentes. Enquanto que em Paris, Te Amo a transição entre gêneros cinematográficos nos permite um passeio por todos eles, em Nova York, Eu Te Amo, há, sensivelmente, um sentimento de homogeneidade, ainda que seja possível ver os estilos diferentes de cada autor.

No final das contas, apesar de o segundo filme ser significativamente inferior ao primeiro, o retrato tirado da “cidade que nunca dorme” é fiel a seu espírito. A fita agrada mais pela sensação de conjunto do que pelas experiências particulares em cada curta, mas são, mesmo assim, divertidas e descompromissadas duas horas pelas ruas da cidade.

Nova York, Eu Te Amo (New York, I Love You, EUA – 2008)
Direção: Fatih Akin, Yvan Attal, Randall Balsmeyer, Allen Hughes, Shunji Iwai, Wen Jiang, Shekhar Kapur, Joshua Marston, Mira Nair, Natalie Portman, Brett Ratner
Roteiro: Hu Hong, Yao Meng, Israel Horovitz, Suketu Mehta, Shunji Iwai, Oliviver Lécot, Jeff Nathanson, Xan Cassavetes, Stephen Winter, Anthony Minghella, Natalie Portman, Fatih Akin, Joshua Marston, Hall Powell, James C. Strouse
Elenco: Bradley CooperShia LaBeoufNatalie PortmanAnton YelchinHayden ChristensenOrlando BloomIrrfan KhanRachel BilsonChris CooperAndy GarcíaChristina RicciJohn HurtCloris LeachmanRobin Wright PennJulie ChristieMaggie QEthan HawkeJames CaanShu Qi, Eli Wallach
Duração: 103 min.

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.