Crítica | O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy

estrelas 4

Baseado em acontecimentos reais, onde os nomes, localizações e fatos foram alterados, O Âncora, nos traz a história, ou como o próprio filme diria, a lenda de Ron Burgundy (Will Ferrell), mas quem é esse? Os primeiros minutos da projeção já nos explicam, através de uma narração dramática e sensacionalista que, desde já, nos dá um relance do tom do longa-metragem.

Em tempos antes do surgimento da TV a cabo os âncoras locais reinavam supremos, com a população acreditando em tudo o que eles falavam. Mas havia um deles que era mais homem que o restante: Ron Burgundy. Não são poupados esforços para exaltar de maneira satírica (fato que se evidencia pelo próprio tom de voz empregado) a figura do âncora. Nesses primeiros minutos já podemos sentir o ponto no qual a comédia do filme realmente se estabelece: na falsa-seriedade (mesmo que em diversas partes contenha elementos do ridículo).

O Âncora nos fala, antes de mais nada, sobre o crescente papel da mulher na década de 70 e a conquista de seus direitos. Para tal, o longa satiriza ao máximo o jornalismo e o machismo presente na sociedade, atrelando esse à estupidez de grande parte dos personagens. Ron, apesar de ser exageradamente querido por todos de San Diego, é uma porta que lê exatamente tudo que está escrito no teleprompter, esteja errado ou não e o filme sabe utilizar isso de ótima maneira.

O humor do longa, definitivamente não é para todos. Ele vai de piadas mais sérias até o ridículo. O protagonista é, principalmente, quem leva o filme. Sua personalidade é bem construída desde o início, das suas falas e exclamações (pelo Corvo de Odin!) até sua pose (fumando cachimbo agindo como um sábio).  Will Ferrel nos entrega um personagem caricato que garante as risadas do público alvo sem deixar a desejar . É claro que grande parte do mérito vai para a química equipe de Burgundy, interpretada por Paul Rudd, David Koechner e Steve Carell.

Em termos de trama, a comédia consegue prender o espectador, fazendo-nos acreditar (e rir) da queda e posterior ascensão do repórter. É deixada uma sensação de bom aproveitamento dos 94 minutos do filme que não o deixam cansativo e, tampouco, rápido demais. Suas piadas conseguem se manter ao longo da projeção, mantendo o tom cômico do início ao fim, ao contrário de comédias mais comuns que adotam uma seriedade conforme a história progride.

O Âncora é uma comédia que se destaca dentro das obras genéricas de mesmo tipo. Introduz personagens memoráveis, especialmente o vivido por Will Ferrel e conta com uma abordagem única que realmente dá um tom legendário à narrativa. No fim somos deixados levar pelo sensacionalismo do filme e realmente acreditamos estar assistindo a lenda de Ron Burgundy.

O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy (Anchorman: The Legend of Ron Burgundy, EUA – 2004)
Direção: Adam McKay
Roteiro: Will Ferrell, Adam McKay
Elenco: Will Ferrell, Christina Applegate, Steve Carell, Paul Rudd, David Koechner, Fred Willard, Chris Parnell, Fred Armisen, Seth Rogen, Danny Trejo, Luke Wilson, Ben Stiller, Vince Vaughn
Duração: 94 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.