Crítica | O Céu é de Verdade

estrelas 2

Se há um tema bastante controverso e duvidoso é a real existência do céu e inferno. Para muitos se trata apenas de um conceito imposto pelo catolicismo e demais religiões nos obrigando a ser boas pessoas e não desejar ou fazer mal ao próximo. Para outros, os que acreditam em vida após a morte e assuntos relacionados, há sim um local para onde todos vamos depois de morrer e onde entes queridos, que morreram antes, vão nos recepcionar. Mais ou menos como o que apresentado naquela famosa novela A Viagem.

Mas, tudo isso, são assuntos e discussões que interessam aos adultos na maioria das vezes, e todos sabemos que somos mais propensos a mentir e até inventar para tentar vender a nossa ideia ou o que melhor nos convém. E quanto às crianças que são mais sinceras e honestas que nós? Você acreditaria se um menino lhe dissesse que o céu existe?

Todd Burpo (Greg Kinnear) tem não um, nem dois, mas cinco empregos. O pai de família trabalhador se desdobra como pode desde bombeiro a treinador da equipe de luta greco-romana e é também Pastor, onde dá sermões todo Domingo na igreja em Imperial Nebraska. Sua esposa Sonja (Kelly Reilly) cuida da casa, de seus dois filhos Cassie (Lane Styles) e Colton e também treina os dois corais da igreja. Ainda assim, os Burpo estão bem apertados financeiramente e a economia local não vai nada bem. Todd e Sonja não sabem mais como fazer para conseguir dinheiro e pagar as dívidas.

Mas, após se acidentar em um amistoso jogo de softball, Todd vê os problemas de sua família começar a acumular. E se uma perna fraturada não fosse o suficiente, ele também é diagnosticado com pedras nos rins. Passado o tempo de turbulência, a família decide fazer uma viagem e para espairecer. Porém, ao chegarem em casa, as crianças ficam doentes, com alguma espécie de virose. Cassie se recupera rápido, mas três dias se passaram e Colton continua doente. Bastante preocupados, decidem levar o filho ao hospital e lá descobrem que o apêndice dele rompeu e uma cirurgia é a única forma de salva-lo. Desesperada, Sonja liga para uma amiga e pede que ela informe as outras pessoas o que aconteceu e que rezem pelo seu filho.

Felizmente, Colton sobrevive a cirurgia, mas volta falando coisas das quais seu pai acha difícil de acreditar. Coisas que não seria possível de saber, a menos que alguém tivesse contado a ele. Colton, que tem apenas 4 anos, afirma que esteve no céu, que sentou no colo de Jesus e que anjos cantaram para ele. Além de outras informações, fatos que aconteceram bem antes dele nascer. Como Pastor, Todd vê toda sua crença num poder divino balançar um pouco, enquanto a comunidade acha apenas que os Burpo pretendem faturar à custa da novidade. E isso, vai abalar a pequena cidade de Nebraska.

Baseado em uma história real, o livro O Céu é de Verdade teve milhares de exemplares vendidos e a família Burpo foi posta sob os holofotes. Afinal, é um assunto deveras delicado.

Do ponto de vista técnico, o filme deixa um pouco a desejar, principalmente no quesito trama e atuações. A história é pobremente explorada e há um único ponto de vista, o do pai. Durante grande parte do filme, é o personagem do Greg Kinnear querendo se convencer de que o seu filho fala a verdade. Ainda assim, são interações vagas e há um apontamento em algumas cenas de que o pai quer tirar algum proveito disso, para logo depois, mostrarem o oposto. Os diálogos são fracos e cheios de um sentimentalismo barato, mas não é abordado em momento algum na questão principal, que é o sentido da fé para o ser humano.

As atuações são rasas e nem o doce olhar do menino Connor Corum vai conseguir cativar aquele espectador mais incrédulo. O que fica parecendo é que a adaptação do livro para o cinema, focou unicamente no duelo interno que o pai travava ao se questionar sobre todos os fatos que o filho contava, falhando miseravelmente. Pois a história somente passa a ser interessante quando toma uma proporção maior, envolvendo a comunidade, mas até acontecer, sobram poucos minutos de projeção.

No fim, não há como provar para o espectador se o céu é mesmo de verdade ou não. Fica a mensagem de um pai confuso, que conseguiu convencer a si mesmo ao convencer os outros.

O Céu é de Verdade (Heaven is for Real – EUA 2014)
Direção: Randall Wallace
Roteiro: Randall Wallace, Chris Parker
Elenco: Greg Kinnear, Kelly Reilly, Thomas Haden Church, Connor Corum, Lane Styles, Margo Martindale, Jacob Vargas, Thanya Romero, Danso Gordon, Rob Moran, Nancy Sorel, Darcy Fehr, Vivian Winther, Pete Hudson, Ursula Clark, Mike Mohrhardt, Bryan Clark, John B. Lowe
Duração: 99 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.