Crítica | O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro

spidercapa

estrelas 3,5

Posso ver a horda de fãs raivosos que irão se manifestar após saírem da sala de cinema. Durante alguns dias o Facebook e outras redes sociais serão tomadas por reclamações, elogios, apontamentos, mais reclamações, histeria, entusiasmo, reclamações, euforia, satisfação e já mencionei reclamações?

É praticamente impossível agradar aos fãs de quadrinhos e mesmo filmes de sucesso na área como Os Vingadores, encontraram aqueles que clamassem o contrário. Contudo, não há herói que tenha encontrado mais resistência em ser aceito pelo público do que o Homem-Aranha em seu recente reboot. Na verdade, tem dividido as opiniões.

Nessa continuação Peter terá muitos desafios pela frente. A começar em chegar no horário para a sua própria formatura, assim como manter a relação com Gwen Stacy sem ignorar por completo a promessa que fez ao pai dela. O que será mais difícil do que ele imaginava, já que novos perigos, incluindo um super vilão, irão por a vida da sua namorada em risco. Contudo uma nova pista sobre o que realmente aconteceu aos seus pais lhe dará a perspectiva e entendimento necessários sobre antigos projetos envolvendo a Oscorp. E com a chegada de um antigo amigo de infância, Harry Osborn, essas informações virão a calhar. Mas, acima de tudo, Peter terá que reorganizar seus sentimentos e ser forte para enfrentar todas as batalhas que surgirão em seu caminho.

Verdade seja dita, é meio complicado falar de um filme que os trailers lançados já contaram praticamente tudo. Logo, não há porque enganar ninguém afirmando ter algo diferente do apresentado porque bem, não tem. Se juntar todos os trailers na ordem correta é possível montar o filme inteiro, o que é lamentável, pois acaba estragando qualquer elemento surpresa. Com exceção de pouquíssimas cenas, ainda que importantes, temo dizer que vocês já assistiram ao filme. Ou seja, já tem conhecimento do Rhino, Duende Verde, Electro e a possível formação do Sexteto Sinistro.

Porém, não sabem como eles serão apresentados, desconhecem a essência da obra e isso faz toda a diferença. O roteiro escrito por Orci, Kurtzman e Pinkner apesar de um tanto fraco, consegue conciliar muito bem a maneira como os três vilões são introduzidos na trama e qual a importância de cada um para que a mesma possa transcorrer sem problemas. De forma paralela aos problemas de Peter e Gwen – o foco principal nessa sequência – Electro, Rhino e o Duende Verde vão se desenvolvendo para que o espectador consiga entender a origem deles e visualizar melhor o quadro todo que será apresentado no final. Todavia, o que dita o tom deste longa é a relação conturbada entre o casal e como isso influencia positiva ou negativamente no desempenho do Homem-Aranha. O que pode não agradar a maioria que vai ao cinema ver filme de super-heróis esperando boas cenas de ação e não romance. Bem, mas para aqueles que conhecem a história do herói, sabem que sem romance fica faltando alguma coisa. E para contrabalancear o enredo fraco, o diretor Marc Webb apostou em cenas de ação mais longas e trabalhadas no CGI que faz com que o filme ganhe ares de game em alguns momentos, mas, ao mesmo tempo, é a única solução possível para que o embate entre Electro e Homem-Aranha pudesse acontecer.

Por se tratar de uma continuação, os atores estão mais à vontade em retornar aos personagens e Andrew Garfield e Emma Stone brilham de uma forma incrível, além da química que possuem ser algo absurdo. Jamie Foxx faz todo o possível para parecer esquisitão e convencer como super-vilão, porém fraqueja em seu desempenho e só parece convencer graças a todo o aparato tecnológico que o envolve. Mas, sem sombra de dúvidas, o mais fraco é o ator Dane DeHaan. Sua atuação como Harry Osborn é sofrível e as muitas caretas que faz nos deixam mais certos de que ele não serve para o papel de Duende Verde.

Agora, algo que merece ser aplaudido é a trilha sonora composta pelo Magnificent Six (Pharrell Williams, Johnny Marr, Michael Einziger, Junkie XL, Andrew Kawczynski e Steve Mazzaroritten) e com produção do Hans Zimmer. Fenomenal!

Não posso saber exatamente o que todos irão achar do filme, provável que como falei lá no começo, as opiniões irão se dividir. Mas, não se esqueçam que além de ser um filme do Homem-Aranha, herói da Marvel, ídolo de muitas gerações e etc, etc, é também um filme feito para as massas (me refiro aos leigos não conhecedores do personagem), para as crianças e com o intuito principal de entreter e isso ao menos é garantido . Portanto, divirtam-se primeiro e reclamem depois.

Publicado originalmente em 30/04/2014.

O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameça de Electro (The Amazing Spider-Man 2 – EUA – 2014)
Direção: Marc Webb
Roteiro: Alex Kurtzman, Roberto Orci, Jeff Pinkner
Elenco: Andrew Garfield, Emma Stone, Jamie Foxx, Dane DeHaan, Colm Feore, Felicity Jones, Paul Giamatti, Sally Field, Embeth Davidtz, Campbell Scott, Marton Csokas, B.J. Novak, Jorge Vega, Stan Lee e Chris Cooper
Duração: 142 min.

PS: Vale a pena assistir em 3D viu?

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.