Crítica | O Povo contra OJ Simpson: American Crime Story – 1X06: Marcia, Marcia, Marcia

estrelas 4

 A cada semana, American Crime Story vai escolhendo um determinado personagem para residir boa parte de sua concentração. Tivemos ótimos momentos com Johnnie Cochran e Chris Darden nos episódios anteriores e, agora, mesmo que já estivesse devorando cada cena na qual aparece, a Marcia Clark de Sarah Paulson ganha destaque; não por menos, o título do episódio traz seu nome. Três. Vezes.

Se Cochran e Darden ambos sofriam com racismo em diferentes momentos, vemos agora como Clark é vítima de um sexismo irracional por parte da mídia e até de seus colegas de profissão – incluindo o Juiz Lance Ito (Kenneth Choi). Não acostumada com o mundo de celebridades e de exposição pública, encontramos uma Marcia muito vulnerável aqui, já que suas figura não é exatamente o que os tabloides de Los Angeles taxam como atraente e suas tentativas de contornar a situação (a grande resposta de Clark é adotar um novo corte de cabelo) sofrem ainda mais escrutínio. Isso fornece ainda mais material para Sarah Paulson, que só por este episódio já deve garantir seu Emmy, Globo de Ouro e todos os demais prêmios a que tem direito.

Sua relação com Chris Darden também vai se fortalecendo cada vez mais, e ainda que tenhamos um interesse amoroso evidente por parte de Darden, a série faz bem ao retratar a forte amizade dos dois, em mais um ótimo episódio para Sterling K. Brown, que vai cada vez mais perdendo a postura incômoda e desconfortável para algo mais confortante, como na excelente cena em que propõe uma dança para Clark. Novamente assinado por D.V. ViCentis, o roteiro continua uma sequência de cenas de tribunal impecáveis, sendo empolgante observar uma situação mostrando-se completamente subversiva, como o testemunho nada convencional da empregada de Simpson e a agressiva reação deste para seus advogados após o fiasco.

Excelentes personagens, roteiro e temática, mas o que deu errado aqui? Ryan Murphy. De volta à cadeira de direção após os dois primeiros episódios, Murphy revela-se um diretor instável e sem o menor raciocínio, utilizando zooms e movimentações incontroláveis de câmera, a fim de criar um efeito “polêmico” a respeito de cada frase proferida por algum personagem durante um confronto verbal – o testemunho do detetive Mark Fuhrman é a grande prova disso, onde Murphy adota uma série de travellings e panorâmicas nervosas para captar ação e reação entre a testemunha e o acusador. Às vezes, um simples corte é mais efetivo e poderoso do que um movimento de câmera estrabalhado.

Não fosse a direção irregular de Ryan Murphy, Marcia, Marcia, Marcia teria sido mais um excepcional episódio de O Povo contra OJ Simpson, mas ao menos ficamos com a espetacular performance de Sarah Paulson e o roteiro ácido de D.V. DeVicentis.

O Povo Contra OJ Simpson: American Crime Story 1X06: Marcia, Marcia, Marcia (2016, EUA)

Showrunners: Scott Alexander e Larry Karaszewski
Direção: Ryan Murphy
Roteiro: D.V. DeVicentis
Elenco: Cuba Gooding Jr., Sarah Paulson, John Travolta, David Schwimmer, Courtney B. Vance, Bruce Greenwood, Selma Blair, Connie Britton, Jordana Brewster, Christian Clemmenson, Sterling K. Brown
Duração: 49 min

LUCAS NASCIMENTO . . . Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.