Crítica | Origens Secretas: Homem Animal e Monstro do Pântano (2015)

plano critico a origem secreta do monstro do pantano e do homem animal dc comics plano critico

Ao longo de 11 edições, lançadas entre 2014 e 2015, a DC Comics realizou o terceiro volume de seu famoso título Origens Secretas, onde são abordadas as origens detalhadas de personagens e equipes na corrente linha de publicações da editora. Aqui, trago pequenas observações para as histórias de origem do Homem Animal e do Monstro do Pântano nesta Era dos Novos 52.

A Origem Secreta do Homem Animal

Bom… convenhamos que esta não é uma história de Origem Secreta…  Este é apenas um resumo preguiçoso para leitores que, talvez por preguiça ou talvez por esquecimento, não querem ler (ou reler) o run de Lemire, aí aparecem aqui e recebem tudo mastigado, todas as informações que o autor colocou de maneira tão boa nos arcos à frente da revista Animal Man Vol.2. Para não ser de alguma forma injusto com a história, vamos dizer que a primeira página serve como uma boa abordagem conceitual para o papel do Homem Animal no Vermelho e que a segunda página — já dentro do “resumão”, mas ainda assim, com uma abordagem mais ou menos direcionada a um novo olhar — apresenta de maneira eficiente os Seres que formam esse Universo da Carne. Todavia, nada tira da história a terrível carapuça de recontagem, que só recebe um olhar simpático do leitor na parte final, porque a perspetiva para tudo o que vimos antes está fora da caixinha. Sem contar que a arte para essa história é soberba, contando com um excelente trabalho de Travel Foreman. Pena que o roteiro de Jeff Lemire e Duffy Boudreau não aproveitou a oportunidade de explorar a nomenclatura de “origem secreta“, optando por uma reprise charmosa, apenas. Pelo menos não nos cansamos no decorrer da narrativa, porque a arte faz o excelente papel de nos encantar a cada momento, então ao meno no aspecto visual, trata-se de uma boa viagem “às origens” do Bichoso.

plano critico a origem do homem animal animal man plano critico secret origins

Secret Origins Vol.3 #8: Animal Man (EUA, fevereiro, 2015)
Roteiro: Jeff Lemire, Duffy Boudreau
Arte: Travel Foreman
Cores: Lovern Kindzierski
Letras: Jared K. Fletcher
Capa: Bryan Hitch, Alex Sinclair
Editoria:David Piña, Joey Cavalieri
12 páginas

.

A Origem Secreta do Monstro do Pântano

Mesmo que também guarde um elemento de repetição desnecessária de uma linha do tempo inteira (o que compromete, inclusive, a proposta de “Origem Secreta“), essa trama de Charles Soule, belissimamente ilustrada por Alessandro Vitti, sobre a origem do Monstro do Pântano dos Novos 52, é realmente muito boa. A linha central do argumento coloca em cena Guarav Ghate, do Culto, mas tanto a forma como ele faz as suas reflexões (por uma espécie de crônica ou diário) quanto a exposição dos eventos e a duração desses momentos do passado + a força do texto envolvendo um avatar do Verde é algo que nos captura de imediato. O aspecto mais filosófico envolvendo o Universo do Monstro do Pântano ganha importância sem depender de muita ação ou elementos externos, porque é se mostra um conceito extremamente relevante e ao mesmo tempo poderoso, um tanto bem humorado, cheio de mitologia antiga e forte conexão com todos os tipo de vida mais outros personagens icônicos da DC. Uma história muito boa, mesmo com os pontos repetitivos dos arcos mensais do Pantanoso. Além de ter uma baita arte.

plano critico a origem secreta do monstro do pantano 2015 dc comics

Secret Origins Vol.3 #9: The Secret Origin of Swamp Thing (EUA, março, 2015)
Roteiro: Charles Soule
Arte: Alessandro Vitti
Cores: Felipe Sobreiro
Letras: Travis Lanham
Capa: Bryan Hitch, Alex Sinclair
Editoria: Darren Shan, Matt Idelson
12 páginas

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.