Crítica | Quero Matar Meu Chefe 2

estrelas 2,5

Hollywood ama sequências. Mesmo que o filme não tenha sido esse sucesso todo de bilheteria e crítica, acredite, em algum momento você vai presenciar a estreia da parte 2 de algum longa recente ou até mesmo um clássico (sabemos o quanto isso dói na alma de um cinéfilo, em alguns casos). Foi o que aconteceu com Quero Matar Meu Chefe cuja sequência estreou este final de semana nos cinemas brasileiros.

A explicação para a parte 2 está na cifra. O primeiro filme, de 2011, arrecadou aos cofres da Warner mais de 209 milhões de dólares e foi bem aceito pela crítica que viu no longa um respiro para o gênero que há anos sofre com altos e baixos.

O problema é que Quero Matar Meu Chefe 2 não tem a novidade do primeiro filme e apesar de engraçado, deixa a desejar na trama com uma premissa difícil de engolir. Os personagens de Jason Bateman, Charlie Day, Jason Sudeikis agora são empreendedores e querem ser seus próprios chefes. Com um produto inovador (apesar de um tanto sem sentido) os três “empresários” conseguem a atenção do investidor bilionário Bert Hanson, interpretado pelo sempre excelente Christoph Waltz. O problema é que Hanson dá um calote nos três e os deixa à beira da falência. A solução agora, ao invés de assassinar o “chefe”, é sequestrar o filho dele, o playboy Rex, vivido por Chris Pine. Claro que tudo sai errado e como era de se esperar os três se metem em confusões inexplicáveis.

Sean Anders assume a direção. É dele um dos piores títulos de comédia de todos os tempos: Este é o meu garoto. Talvez isso explique um pouco as piadas escatológicas e sexuais sem sentido e gratuitas (sério que alguém ainda ri disso?). Ele ainda foi responsável por roteiros de outras comédias recentes como Debi & Lóide 2Família do Bagulho.

Jamie Foxx, Jennifer Aniston e Kevin Spacey retornam aos seus papeis originais mas não brilham como no primeiro filme. O longa ainda faz menção a vários sucessos do cinema (como já havia feito no antecessor) como Velocidade Máxima e Como Enlouquecer seu Chefe, além de trazer referências de ícones pop como Katy Perry e até Dora, a Aventureira.

Boas risadas são garantidas em Quero Matar Meu Chefe 2, mas não espere uma comédia com humor negro e inteligente. Compre pipoca, escolha uma boa companhia, não leve o filme muito a sério e você terá um excelente programa para o seu final de semana. Uma pena, já que o seu antecessor era um raro exemplar do gênero: cumpria o que prometia com uma qualidade acima da esperada. Parece que os três amigos perderam o fôlego com o passar dos anos.

Quero Matar Meu Chefe 2 (Horrible Bosses 2) – EUA 2014
Direção: Sean Anders
Roteiro: Sean Anders e John Morris
Elenco: Jason Bateman, Charlie Day, Jason Sudeikis, Jennifer Aniston, Jamie Foxx, Chris Pine, Christoph Waltz e  Kevin Spacey
Duração: 108 minutos

GISELE SANTOS . . Gaúcha de nascimento, mas que não curte bairrismos nem chimarrão! Me encantei pelo cinema ainda criança e a paixão só cresceu ao longo dos anos. O top 1 da vida é "Cidadão Kane", mas tenho uma dificuldade enorme de listar os melhores filmes da minha vida. De uns anos para cá, os filmes alternativos têm ganhado espaço neste coração que um dia já foi ocupado apenas por blockbusters pipoquentos.